BMW iX xDrive40

Impressionista

TESTE

Por Paulo Sérgio Cardoso 24-09-2022 17:30

O iX representa o virar de página na história da BMW. E não querendo discutir design (disruptivo, é certo), este SUV 100% elétrico com dimensões próximas às do X5 (mas de proporções bem distintas) abre caminho a uma nova filosofia automóvel, com a BMW a aproveitar a vaga da eletrificação para introduzir novas sensações de se estar e de se conviver com o automóvel.

Parece estranho? O iX é daqueles casos em que só experimentando se consegue sentir; só interagindo se chega ao entendimento e já só em movimento se entranha o significado de cada um dos pormenores.

A estrutura e a base com elementos em carbono (ensinamentos do BMW i3) está pensada para conter o peso (que ainda assim não é baixo) e aligeirar a dinâmica; os puxadores de porta à face da carroçaria são um dos elementos que contribuem para o excelente coeficiente aerodinâmico de apenas 0.25; pressionando o símbolo no capot descobre-se bocal para abastecer o depósito de água dos limpa-vidros; e a proeminente grelha dianteira é usada  para incorporar câmaras e sensores. Qual desportivo, as portas estão isentas de molduras e a abertura fica a cargo de sistema elétrico – no interior, o botão está localizado na zona superior da pega, precisamente onde o polegar o vai procurar.

O acesso ao habitáculo é fácil (em altura) e amplo (em largura), desvendando interior luminoso, com pilar A inclinado, quase ao estilo monovolume, e visibilidade perfeita sobre todos os ângulos da dianteira. O iX também estreia conceção interior, marcada por um único painel curvilíneo que agrega a instrumentação e o infoentretenimento, em plena expressão minimalista. O design hexagonal do volante reforça o ambiente futurista, o mesmo se passando com as finas saídas de ventilação e ainda pelo espaço aberto da consola entre bancos ao tablier, o que também contribui para a sensação de largueza interior. Na extensão do apoio de braços central, a BMW mantém o comando rotativo físico do iDrive que é alternativa aos táteis e gestuais, juntando a essa zona teclas de atalho (embutidas) para algumas funções ligadas à dinâmica, caso dos modos de condução.

As animações e os gráficos do painel de instrumentos e do sistema operativo de nova geração coadunam-se com esta atmosfera vanguardista, o mesmo se passando com o navegar entre menus. Depois, há ainda todo o rol de sensações criadas pelos opcionais revestimentos em tecido e microfibra azul (reciclados) presentes na unidade testada, sem pretensões luxuosas, mas suficientemente acolhedores para não destoar num SUV de quase luxo. Há ainda a possibilidade de personalizar outros elementos, caso dos comandos em vidro cristal iluminado (que acabam por ser fonte de alguns reflexos mediante a incidência de luz solar) e madeira porosa. Não obstante o design simples, o ambiente noturno é caloroso, com muitas zonas iluminadas, incluindo filamento no topo das portas, acompanhando a zona das janelas laterais.

Os bancos dianteiros de formato integral resultam mais confortáveis do que desportivos, faltando até um pouco de apoio na zona das pernas. As bolsas nas portas são largas, mas os restantes locais de arrumo são pequenos e pouco práticos. Os lugares traseiros são muito espaçosos, sem intromissão de túnel de transmissão no chão, sendo o assento demasiado direito e os encostos de cabeça laterais não possuem ajuste. Os vidros de trás só abrem até meio da janela. A mala tem dimensões familiares, acesso largo através do portão elétrico e rebatimento facilitado através de botões, havendo local próprio sob o piso para alojar os cabos de carregamento.

Bateria de 71 kW dará para 330 km

A versão xDrive40, de acesso ao iX, conta com dois motores elétricos para formalizar a tração integral, num total de 326 cv e 630 Nm, alimentados por bateria de 71 kWh úteis. Se as performances chegam para impressionar, com acelerações vigorosas, o certo é que o peso do conjunto, que facilmente ultrapassa os 2500 kg, afeta os consumos, sempre elevados, acima dos 21 kWh/100 km, chegando perto dos 24 em autoestrada, o que condiciona bastante a autonomia média, centrada nos 330 km. O que é uma pena, uma vez que apetece estar lá dentro e fazer quilómetros a fio, num casulo de bem-estar, conforto e enorme descontração, marcado por cuidada insonorização e por uma fiel ligação à estrada, seja pela direção, seja pela suspensão que sabe ser confortável e robusta. As rodas de grandes dimensões acabam por criar algum arrasto, mas contribuem para garantir enorme estabilidade em curva, mesmo a velocidades elevadíssimas, nunca havendo sinal de perdas de motricidade no aproveitamento do binário. Mas o efeito do peso elevado faz-se sentir, não sendo o iX apreciador de mudanças rápidas de direção ou de travagens fortes, ou seja, de tudo o que possa desorganizar a compostura: é um grande SUV mais estável e seguro do que propriamente ágil. O condutor pode ainda gerir a capacidade regenerativa elétrica, incluindo modo adaptativo em relação ao trânsito.

O iX não é apenas um grande SUV elétrico. É uma nova experiência de interação com um automóvel, com a BMW a mostrar a sua linha estratégica e de como irá encarar a mobilidade elétrica: sofisticada e com distintas pretensões na ligação entre o condutor/utilizador e o seu veículo. O consumo elevado e consequente autonomia com esta bateria de 71 kW limitam um pouco a utilização em grandes viagens, onde o iX é exímio em conforto e serenidade.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

BMW iX

iX xDrive40

Motor
Tipo 2 motores elétricos síncronos
Potência 326 cv
Binário 630 Nm
Bateria Iões de lítio
Capacidade útil 71 kWh
Tempo de carga (0-80%) 31 m
Transmissão
Tração Integral permanente
Caixa de velocidades Automática de 1 vel.
Chassis
Suspensão F Ind. triângulos duplos
Suspensão T Ind. triângulos duplos
Travões F/T Discos ventilados
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/12,8 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,953/1,967/1,695 m
Distância entre eixos 3m
Mala 500 litros
Depósito de combustível -
Pneus F 8,5jx20-235/60 R20
Pneus T 8,5jx20-235/60 R20
Peso 2440 kg
Relação peso/potência 7,5 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 200 km/h
Acel. 0-100 km/h 6,1 s
Consumo médio 19,4 kWh/100 km
Autonomia 424
Garantias/Manutenção
Mecânica 2 anos sem limite de km
Pintura/Corrosão -
Bateria 8
Imposto de circulação (IUC) 0 €

Medições

BMW

Acelerações
0-50 km/h 2,3 s
0-100 / 130 km/h 5,8/9,3 s
0-400 / 0-1000 m 14,2/25,9 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 2,3 s
60-100 km/h (D) 3 s
80-120 km/h (D) 3,9 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37,1/9,1 m
Consumos
Consumo médio 21,5 kWh/100km
Autonomia 330 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE