Cupra Formentor VZ5

Combinação improvável

TESTE

Por Paulo Sérgio Cardoso 24-09-2022 07:00

Fotos: Gonçalo Martins

A Cupra optou pela improvável combinação da carroçaria CUV (Crossover Utility Vehicle) do Formentor com a mecânica 5 cilindros turbo a gasolina de origem Audi para criar a sua mais potente, exclusiva e emocionante máquina desportiva, de 390 cv. Testámos em Portugal uma das 7000 unidades que serão produzidas.

O Formentor é o primeiro e exclusivo modelo 100% Cupra, autónomo da casa mãe Seat. Uma espécie de Principezinho da jovem marca desportiva espanhola, a quem coube a esta especialíssima versão VZ5 representar os píncaros do conceito de automóvel compacto desportivo, não obstante o formato crossover que alinha as habilidades estéticas de um coupé ao volume mais anafado de SUV.

Serão apenas 7000 as unidades produzidas e animadas por distinto motor de 5 cilindros turbo, de 2,5 litros de capacidade, oriundo da Audi (pode ser encontrado no RS Q3, nos novos RS3 e no TT), que enfatiza a personalidade dinâmica do Formentor com cunho de exclusividade. O Formentor VZ5 respira 390 cv e 480 Nm, energia que domina através de tração integral e caixa automática DSG de 7 relações, evidenciando-a com sonoridade rouca, portentosa, a que alimenta paixões por automóveis (ainda) movidos a mecânicas a gasolina.

Os 10 mm aplicados na redução da altura ao solo face ao Formentor VZ 2.0 TSI de 310 cv serão pouco visíveis, mas as jantes acobreadas de 20’’ despertam atenções, deixando a descoberto por entre os raios os generosos discos de travão dianteiros de 375 mm com pinças (cobre) de seis pistões, com a sigla Cupra bem expressiva. Específico é, também, o difusor traseiro com aplicações em carbono, fazendo-se acompanhar de quatro saídas de escape em disposição vertical, a que não falta o acabamento (cobre...) tão querido à marca espanhola.

Abrir portas serve para descobrir os bancos revestidos a pele com toda a raça de baquet (CupBucket), de estrutura em carbono bem visível a assinalar a tese de exclusividade – o certo é que estes bancos não são mais confortáveis face aos opcionais bancos tipo baquet disponíveis na versão com motorização de 310 cv e pouco acrescentam em ergonomia ou sustentos laterais de corpo e pernas.

Emoções em catadupa

A Seat posiciona a Cupra em cume desportivo, mas também a quer fazer uma marca sustentável e ligada à eletrificação (vide o Cupra Born, primeiro modelo espanhol 100% eletrificado). Como tal, o Formentor VZ5 poderá muito bem ser das últimas e exclusivas oportunidades para usufruir dos cada vez mais raros prazeres de uma (poluente e gastadora...) mecânica térmica entre representantes da marca espanhola. E se um potente elétrico pode impressionar pelas rápidas acelerações e retomas de velocidade, nada iguala outras sensações, como o arranque a frio deste motor (cold start), que faz questão de anunciar ao condutor, através do painel de instrumentos, um limite de regime de utilização enquanto as temperaturas internas não estiverem em valores ideais. Depois, a sonoridade de escape mantém a tónica possante e a batida dos cinco cilindros sempre diferenciada da paisagem – em particular olhando para o universo de SUV e crossovers!

Desde cedo o VZ5 pretende ligar-se ao condutor, não só com o logo iluminado e projetado no chão, como apresentando um cumprimento através da instrumentação e do sistema multimédia (no caso da unidade testada, anunciava-se como Cupra074), quase com aspirações de... avatar! Depois, é o condutor que, aos poucos, se liga à máquina e até se abstrai das formas de SUV para vestir a pele de um desportivo de corpo e alma.

Os vários cenários e quase infindáveis personalizações possíveis para o painel de instrumentos somam todo o género de informação útil, incutindo a dose certa de vanguardismo tecnológico, em combinação com o generoso monitor tátil (12’’) que gere o sistema multimédia – já este poderia apresentar menus mais práticos e intuitivos e iluminação noturna dos poucos botões (também táteis) afetos ao volume e temperatura da climatização.

No volante, o botão Cupra (à esquerda) permite acesso direto aos modos de condução (Drive Profile), com o VZ5 a adicionar inédito modo Drift. Já o botão para desativar os controlos de tração e de estabilidade, localizado junto à caixa de velocidades, bem que poderia passar para o lugar do botão de arranque (no volante), pois é sempre mais tentador ligar/desligar o motor junto ao comando da caixa automática...

Independentemente do modo de condução selecionado, o VZ5 exibe enorme capacidade motriz, a cargo do sistema de tração integral, colando-se à estrada a velocidades elevadas, deixando à direção uma impressionante dose comunicativa, ainda que, por vezes, algo pesada e resistente. O amortecimento variável dá-se sempre como firme, mas o certo é que o Formentor cedo exibe dotes de desportivo nato, extremamente bem afinado.

A tecnologia de vetorização de binário entre as rodas do eixo traseiro é uma das novidades técnicas do VZ5 e que confere superior interação do eixo posterior à saída das curvas, em aceleração forte, aliviando a carga sobre a dianteira, minimizando as subviragens e atraindo o condutor para uma condução de traseira a deslizar e a acomodar-se à zona exterior das curvas. Se no modo Cupra tal é já bastante evidente, o modo de condução Drift espevita ainda mais esse feitio, com o acelerador a conseguir tatear bem o nível de potência, mas sendo sempre necessário elevar a rotação do 5 cilindros para conseguir tirar o VZ5 do sério!

A combinação da personalidade mecânica do motor de cinco cilindros com o elevadíssimo nível de performances – seja pelas estonteantes acelerações que aproveitam milimetricamente a capacidade motriz, seja pelas lestas e impetuosas trocas da caixa automática – resulta num verdadeiro desportivo e não apenas num crossover de pretensões desportivas. Do motor aos travões, passando pelos bancos e culminando na produção limitada, é um Cupra que ficará na história.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

Cupra Formentor

VZ5

Motor
Arquitetura 5 cilindros em linha
Capacidade 2480 cc
Alimentação Inj. direta, Turbo, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./20v
Potência 390 cv/5700-7000 rpm
Binário 480 Nm/2250-5700 rpm
Transmissão
Tração Integral permanente
Caixa de velocidades Automática de 7 vel.
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo multibraços
Travões F/T Discos perfurados/Discos ventilados
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11,4 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,450/1,839/1,501 m
Distância entre eixos 2,68m
Mala 410 litros
Depósito de combustível 55 litros
Pneus F 8.5jx20 - 255/35 R20
Pneus T 8.5jx20 - 255/35 R20
Peso 1683 kg
Relação peso/potência 4,3 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 250 km/h
Acel. 0-100 km/h 4,2 s
Consumo médio 10,2 l/100 km
Emissões de CO2 231 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 4 anos/80.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 394,9 €

Medições

Cupra

Acelerações
0-50 km/h 1,7 s
0-100 / 130 km/h 4,3/7,0/16,7 s
0-400 / 0-1000 m 12,8/23,5 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 2,3 s
60-100 km/h (D) 2,5 s
80-120 km/h (D) 3,4 s
Travagem
100-0/50-0km/h 34,8/8,9 m
Consumos
Consumo médio 10,7 l/100km
Autonomia 514 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE