Audi Q3 45 TFSIe S tronic

Condução ‘à la carte’

TESTE

Por Ricardo Jorge Costa 18-06-2022 07:00

Fotos: Gonçalo Martins

Primeiro híbrido Plug-In na gama deste SUV permite adaptar o funcionamento da motorização às exigências de condução: elétrico até 50 km, misto em viagens mais longas ou total quando há pressa em chegar ou se quer alguma... diversão



O Audi Q3 é o mais recente membro do clube dos Plug-In, tecnologia emergente nas motorizações modernas, nos píncaros da eficiência no consumo energético, por permitir ao automóvel locomover-se apenas a eletricidade proveniente de bateria durante algumas dezenas de quilómetros, suficientes para o quotidiano de muitos utilizadores.

 Neste SUV é possível circular aproximadamente 50 quilómetros sem gastar uma gota de combustível, com francos ganhos de rentabilidade de custos de utilização do veículo. Contudo, o valor do investimento inicial, no limiar dos 50 mil euros, é um importante fator de ponderação de compra, no caso, face às versões movidas somente por motores térmicos.

A motorização híbrida recarregável do Audi Q3 associa uma mecânica a gasolina de 4 cilindros, 1,4 litros, injeção direta e turbo (TFSI) a debitar 150 cv, e uma unidade elétrica de 116 cv, produzindo, em combinado, potência máxima de 245 cv. No auge deste rendimento, este SUV compacto do fabricante alemão – acima do Q2, modelo com linhas mais desportivas – tem prestações elevadas, proporcionando uma condução muitíssimo agradável e até divertida, como traduz a tradicional aceleração de 0-100 km/h em 7,3 segundos.

A motorização TFSIe pode ser tudo o que se que quer, elástica desde os regimes mais baixos e consistente nos intermédios, otimamente explorada pela caixa automática de seis velocidades de dupla embraiagem, S tronic, e suave, económica e até silenciosa, com os préstimos da tecnologia híbrida Plug-In.

O veículo arranca, por defeito, em modo elétrico e assim permanece se esgotar a bateria, permitindo uma condução, digamos, normal sem intervenção do motor a gasolina. No auge da eficiência (adequação da condução necessária), o Q3 funciona apenas a bateria durante pouco menos de 50 quilómetros (aferidos nestes testes, enquanto a marca anuncia 51 km, o que é prova de idoneidade). No entanto, com uma condução menos moderada, a carga pode não durar muito mais de 20 km, quiçá menos, e a partir daí praticamente só trabalha o motor de combustão.            r rOu seja, sem carga suficiente na bateria não há energia para o motor elétrico contribuir com os seus 116 cv para os totais dos 245 cv, limitando a potência disponível à do motor de combustão: 150 cv. E assim se esgotam as performances máximas do 45 TFSIe.

Para precaver esse constrangimento, é imperioso manter uma reserva de carga na bateria (através de função específica do sistema híbrido). Que percentagem preservar? Depende da nossa avidez por adrenalina. Acrescente-se as óbvias contrapartidas no consumo de combustível.  

Este pode variar entre tão-só 2,5 l/100 km reais – aproveitando a carga completa da bateria para conduzir o Q3 em modo EV até cerca de 50 km – e pouco mais de 6 l/100 km em modo híbrido (para isso é necessário desligar o modo EV em botão na consola central). Necessitando de recarregar a bateria com o motor térmico (existe função dedicada no programa de gestão do módulo híbrido através do monitor central de bordo), os gastos sobem para 7 a 8 l/100 km, e elevando-se as performances desportivas disparam para além de 10 l/100 km – ou o custo da emoção!

A bateria só suporta o carregamento até 3,7 kW. Nessa potência demora-se 3,7 horas para fazer uma carga completa. Tal como os demais híbridos Plug-in Audi, é possível verificar o estado da carga da bateria e ligar/programar a climatização do veículo remotamente através de aplicativo para smartphone MyAudi.

No habitáculo rendemo-nos à habitual qualidade geral muito elevada de materiais e acabamentos de que a Audi tem sido referência até para os seus concorrentes diretos premium também alemães, BMW e Mercedes. A este elogio, acrescenta-se outra à sofisticação tecnológica que impera no interior do Q3, amplamente digitalizado, ainda que a supressão da solução original física de controlo das funções de bordo através de comando rotativo do sistema multimédia MMI (nos) tenha deixado saudades.

A oferta de espaço é generosa. No banco posterior acomodam-se três passageiros adultos (desde que não muito… avantajados) sem qualquer problema, apesar de quem se sentar no lugar do meio tenha de meter o volumoso túnel de transmissão entre os pés. A volumetria da bagageira, subtraída de 150 litros em relação a qualquer outra versão da gama, para módicos 380, é restritiva em viagem de família. Rebatendo-se os encostos dos bancos traseiros, a capacidade de carga sobe para 1375 litros.

O Audi Q3 seduziu, ainda, pelo comportamento dinâmico, neutro e previsível, mas reativo quando é estimulado, o que diverte. Deve-o ao competente chassis com eixo posterior independente multibraços com amortecimento bem afinado. Programa de condução com quatro modos de intervenção permite ajustar o funcionamento de alguns componentes do veículo que interferem na condução, como a direção, acelerador e caixa.

Por 50 mil euros arredondados acede-se ao maravilhoso mundo do Plug-In no Audi Q3. Não é um preço exagerado, considerando a mais-valia da tecnologia de motorização, que permite economizar no quotidiano, logo se faça uma gestão criteriosa do sistema híbrido, capaz de garantir quase 50 km de circulação exclusivamente elétrica. Além do fator-poupança, o TFSIe proporciona ainda performances elevadas, conferindo agrado e até algum divertimento à condução do SUV.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

AUDI Q3

45 TFSIe S tronic

Motor térmico
Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 1395 cc
Alimentação Inj. direta Turbo, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16V
Potência 150 cv/5000-6000 rpm
Binário 250 Nm/1550-3500 rpm
Motor elétrico
Tipo -
Potência 116 cv (85 kW)
Binário 330 Nm
Bateria Iões de lítio
Capacidade da bateria 12,8 kWh
Módulo Híbrido
Potência 245 cv
Binário 400 Nm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Automática de 6 vel.
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo multibraços
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11,8 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,484/1,849/1,595 m
Distância entre eixos 2,68m
Mala 380-1375 litros
Depósito de combustível 45 litros
Pneus F 215/65 R17
Pneus T 215/65 R17
Peso 1715 kg
Relação peso/potência 7 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 210 km/h
Acel. 0-100 km/h 7,3 s
Consumo médio 1,6 l/100 km
Emissões de CO2 37 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 4 anos/80.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 137,14 €

Medições

AUDI

Acelerações
0-50 km/h 3,2 s
0-100 / 130 km/h 7,6 / 9,3 s
0-400 / 0-1000 m 15,2 / 28,1 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 3,5 s
60-100 km/h (D) 4,6 s
80-120 km/h (D) 5,3 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37/9,1 m
Consumos
Consumo médio 6 l/100km
Autonomia 750 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE