Seat Terraco e-Hybrid FR

Recarregável de virtudes

TESTE

Por Ricardo Jorge Costa 21-05-2022 07:00

Fotos: Gonçalo Martins

Híbrido de ligar à tomada configura a versão mais virtuosa do SUV de topo de gama da Seat, capaz de compatibilizar performances e eficiência elevadas. Basta recarregar a bateria que alimenta o motor elétrico sempre que possível. A versão híbrida Plug-in está no auge da sofisticação técnica e tecnológica e é a que oferece as melhores performances e a capacidade superior de eficiência no consumo de combustível no catálogo do automóvel de topo de gama da Seat, o SUV Tarraco. No nível de acabamento FR, o Tarraco e-Hybrid apresenta-se com visual de apelo desportivo e ricamente equipado, propondo-se nesta unidade em teste, adicionada de diversos extras, a um preço de 52 mil euros (IVA incluído).

Para a imagem exterior conferida pelo estilo FR contribuem guarda-lamas mais largos, spoiler traseiro desportivo e jantes de liga leve específicas de 19 polegadas (na unidade em análise ainda mais vistosas com liga leve maquinada e 20” opcionais, por 668 €). No habitáculo, os bancos dianteiros são desportivos, tipo baquet, com regulação elétrica e memória (para o condutor) e todos no veículo em exame com opcional revestimento a couro (1075 €), os pedais em alumínio e o volante desportivo com logo FR. Ainda no interior, sistema multimédia com monitor central tátil de 9,2’’ (disponível com comando vocal ou, em opção, por gestos) com tecnologia de conectividade compatível com o Android Auto do Google, CarPlay e Mirrorlink da Apple. O painel de instrumentos é digital, com ecrã de 12,25’’, e permite diversas configurações e a projeção de múltiplas informações ao condutor.

e-Hybrid

A motorização é híbrida recarregável (Plug-in) e associa mecânica a gasolina de 4 cilindros, 1,4 litros e sobrealimentada, a debitar 150 cv, e unidade elétrica de 116 cv. Juntas produzem totais 245 cv e 400 Nm. No auge desse rendimento, o Tarraco e-Hybrid é um SUV bem rápido, cumprindo a tradicional aceleração de 0-100 km/h em tão-só 7,4 s segundos e chega facilmente a 205 km/h de velocidade máxima, mediante enérgicas recuperações em ampla faixa de regime, beneficiando de valorosos préstimos da caixa automática de dupla embraiagem DSG de seis velocidades.

Para uma condução agradável e até bastante despachada, quaisquer que sejam os percursos (urbano, estrada nacional e autoestrada), não falta nada – basta carregar no acelerador e deixar o sistema híbrido e a DSG fazerem tudo! 

De qualquer modo, à imagem das demais versões da gama, o Tarraco e-Hybrid dispõe de programa de condução com quatro modos selecionáveis (num comando redondo na consola entre os bancos) que permite escolher entre três pré-definidos (Eco, Normal e Sport) e ainda um personalizável (Individual) pelo condutor. Cada um deles modifica a assistência da direção, sensibilidade do pedal do acelerador, o funcionamento mais ou menos rápido da caixa automática e os amortecedores, que na versão FR já são mais firmes. A dinâmica do SUV é ótima para o seu gabarito de tamanho, centro de gravidade e peso, mas apesar da regulação de amortecimento FR o conforto nunca é beliscado. Estamos perante um estradista de excelência. Há ainda duas funções específicas desta versão acessíveis por pressão em botões na consola central, junto ao seletor da caixa: e-Mode (força o funcionamento elétrico) e s-Boost (mais desportivo, com o máximo de rendimento híbrido).

A dotação complementa-se com equipamentos para segurança e conforto, tais como o sistema de travagem de emergência em cidade (de série), cruise control adaptativo, de alerta de transição involuntária de faixa ou de objeto em ângulo morto do retrovisor, e ainda câmaras com visão a 360º e outros auxílios a manobras de baixa velocidade.

A bateria do sistema híbrido está localizada sob os bancos posteriores (2.ª fila), o que implica a instalação do depósito de combustível sob o piso da bagageira, impedindo a montagem dos dois lugares adicionais (em 3.ª fila, como noutras variantes do SUV, e assim o e-Hybrid não pode ter sete lugares). A volumetria da mala na configuração convencional (cinco lugares disponíveis no habitáculo) também perde com estas arrumações comparativamente às versões não híbridas com a mesma lotação do SUV, descendo dos 760 litros para ainda generosos 610 litros. O rebatimento e reclinação dos bancos traseiros são permitidos.

A bateria tem 13 kWh de capacidade, demorando cerca de 5,8 horas a processar carregamento completo em tomada doméstica de 2,3 kW ou até 3,7 horas com o veículo ligado a wallbox (3,7 kW). Sugere-se carregamento completo antes de cada viagem, de modo a aproveitar a eficiência híbrida, em especial a exclusivamente elétrica. 

O veículo arranca, por defeito, em modo elétrico e assim permanece até esgotar-se a bateria, que no pico da eficiência (a adequação da condução é fundamental) poderá acontecer com pouco mais de 40 km percorridos (a Seat anuncia 48 km). Quando a carga da bateria desce de determinado nível ou a velocidade excede 140 km/h, o SUV passa automaticamente para modo híbrido.


Os consumos podem variar entre tão-só 6 l/100 km reais (aproveitando a carga completa da bateria para conduzir o Tarraco em modo EV) e pouco mais de 7 l/100 km em modo híbrido, quando não há carga suficiente na bateria ou esta se esgota. Arrancando sem bateria, os gastos de combustível sobem para 8 l/100 km e recarregando a bateria com o motor térmico para 9 l/100 km, posteriormente atenuados com o funcionamento EV. Elevando-se as performances, para mais desportivas, conte-se com 10 l/100 km… ou superior.

O Tarraco e-Hybrid é um produto de mérito para a Seat. A sofisticação tecnológica do sistema híbrido Plug-in promove a eficiência e as performances. Além disso, o dinamismo, pela facilidade e ligeireza elogiáveis com que este SUVse deixa conduzir e que lhe confere o dom de transmitir a impressão de ser mais compacto e dinâmico do que as suas dimensões deixam antever, sem ser necessariamente menos confortável. Pena o preço ser proibitivo para tantas bolsas portuguesas.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

SEAT Tarraco

e-Hybrid FR

Motor térmico
Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 1495 cc
Alimentação Inj. direta turbo, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16v
Potência 150 cv/5000-6000 rpm
Binário 250 Nm/1550-3500 rpm
Motor elétrico
Tipo -
Potência 116 cv (85 kW)
Binário 330 Nm
Bateria Iões de lítio
Capacidade da bateria 13 kWh
Módulo Híbrido
Potência 245 cv
Binário 400 Nm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Automática de 6 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo multibraços
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11,9 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,735/1,839/1,658 m
Distância entre eixos 2,79m
Mala 610 litros
Depósito de combustível 45 litros
Pneus F 255/45 R19
Pneus T 255/45 R19
Peso 1868 kg
Relação peso/potência 7,6 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 205 km/h
Acel. 0-100 km/h 7,5 s
Consumo médio 1,9 l/100 km
Emissões de CO2 44 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 4 anos ou 80.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 137,14 €

Medições

SEAT

Acelerações
0-50 km/h 3,2 s
0-100 / 130 km/h 7,6/9,3 s
0-400 / 0-1000 m 15,2/28,1 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 3,5 s
60-100 km/h (D) 4,6 s
80-120 km/h (D) 5,3 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37/9,1 m
Consumos
Consumo médio 6 l/100km
Autonomia 600 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE