Volkswagen Multivan Energetic DSG PHEV

Instinto familiar

TESTE

Por Vítor Mendes da Silva 27-04-2022 07:05

Fotos: Gonçalo Martins

O T7 é o primeiro VW Multivan híbrido Plug-In e junta motores 1.4 turbo a gasolina e elétrico para atingir 218 cv. Potência suficiente para o exercício das funções familiares a que se propõe monovolume para 7, que paga Classe 1 nas portagens nacionais – com Via Verde.

Perfeito para férias, ótimo para famílias numerosas, prático com os carros normais – o novo Multivan tem muitas coisas do VW Pão de Forma, mas está muito distante do ideal de veículo acessível para todo o serviço lançado em 1950. Ao contrário, o multiusos da marca alemã está mais próximo do que nunca daquilo que se convencionou designar por monovolume, num patamar elevado de qualidade e sofisticação, como alternativa aos formatos mais familiares no mercado, incluindo os modernos SUV de sete lugares. E espaço, obviamente, também não falta. Tendo tamanho e funcionalidade de um furgão, pela primeira vez, em sete gerações do modelo, a Multivan foi desenvolvida exclusivamente para ser um veículo de passageiros, sem derivar de qualquer veículo comercial (a base não é a da Transporter), e sem contar com uma versão de trabalho.

A plataforma é a MQB, arquitetura modular transversal que serve tanto Audi A3 como os VW Golf ou Tiguan, a permitir vários níveis de eletrificação e conetividade, além de conforto e desempenho similares a um automóvel de passageiros. A começar na posição de condução: elevada, é certo, mas o volante não está demasiado inclinado e a distância aos pedais é também correta. O painel de bordo é praticamente decalcado do Golf atual, com instrumentação digital Cockpit Digital Pro, em ecrã de 10,2 polegadas, e painel tátil com 12 polegadas ao centro, para o sistema de infoentretenimento Ready 2 Discover, a partir do qual se comandam também a maioria das funções do veículo. Os botões físicos contam-se pelos dedos de uma mão – foram substituídos por comandos hápticos: o das luzes está no painel tátil “Light & Sight”, situado à esquerda do volante; os comandos do ar condicionado automático e das assistências ao estacionamento e à condução numa superfície tátil por baixo do ecrã do sistema de multimédia.

A solução ajuda à imagem de modernidade, mas não é a mais prática ou intuitiva, sobretudo em algumas funções que se querem simplificadas, como é a regulação da climatização. O seletor da caixa de velocidades é um pequeno botão à direita do condutor no painel de bordo e o travão de estacionamento é elétrico, acionado através de um botão. A qualidade dos materiais e da montagem e a apresentação (no tablier, apontamentos em folha de madeira e frisos cromados) são de topo.

Dinamicamente, também nota alta. O comportamento em curva mostra-se surpreendentemente equilibrado – apesar da maior altura e de a resistência aerodinâmica ser elevada –, sem excessivo adornar da carroçaria. A suspensão é confortável e a travagem também encontra nos atributos nos atributos que cumpre elogiar. Tudo isso compatibilizado com tecnologia híbrida Plug-In que permite efetivamente economizar combustível.

Até 50 quilómetros elétricos

O Multivan eHybrid associa motor a gasolina 1.4 turbo de 156 cv e unidade elétrica de 116 cv alimentada por uma bateria de iões de lítio de 13 kWh de capacidade (apenas 10,4 kWh úteis) que permite o carregamento por fonte de energia externa (Plug-In). Contas feitas, o módulo PHEV gera uma potência total de 218 cv e 400 Nm e garante VW uma autonomia em modo de funcionamento exclusivamente elétrico próxima de 50 km, aferida neste teste, praticando uma condução regrada. O motor elétrico está alojado no compartimento da caixa de velocidades de dupla embraiagem DSG, de seis relações.

Da ação combinada dos dois, prestações muito boas para automóvel com vincada vocação familiar (acima das duas toneladas de peso) e consumos baixos. O agregado híbrido, no programa de condução mais económico (além do Eco, há também os modos Comfort, Sport e Individual), garante valores interessantes. Selecionando-se o modo Hybrid, em que o sistema gere autonomamente fontes e fluxos energéticos na motricidade do veículo, o consumo médio nos primeiros 100 quilómetros percorridos foi de 4,4 l/100 km e 10,4 kWh. Por defeito, o motor que prevalece é o elétrico. Mas, com a bateria está descarregada (ou acima de 140 km/h), é o 4 cilindros a assumir as despesas da condução, com impacto na média do consumo de gasolina: sobe para 8,5 l/100 km.

O carregamento caseiro demora entre 5 e 6 horas, com o modelo alemão a poder encurtar a operação para metade do tempo numa wallbox de 3,6 kW. A bateria também pode ser carregada em andamento, usando o motor de combustão como gerador, mas ativando-se esse recurso o consumo do motor térmico ultrapassa os 10 l/100 km.

Carro, escritório ou sala de refeições

A Multivan T7 parte de um base ótima e carateriza-se por excelente modularidade: pode ter seis ou sete lugares (sempre com fixação Isofix), os bancos de segunda e terceira fila são individuais e podem ser dobrados ou retirados. A VW reduziu o peso de cada banco, para entre 23 kg e 29 kg dependendo da especificação – ainda obrigam a alguma “ginástica”. Para ajudar à modularidade do interior, os bancos da fila central são giratórios e incluem mesas rebatíveis. E há calhas no piso que permitem ajustar a colocação ideal dos bancos no habitáculo entre os dianteiros e a bagageira. A consola central também se movimenta longitudinalmente, podendo recuar aos lugares do “2.º anel” para se transformar numa prática mesa de trabalho ou refeições.

O acesso aos lugares posteriores faz-se pelas enormes portas de correr laterais, com sistema de abertura e fecho elétrico. Acionamento elétrico tem também o portão da mala, cuja volumetria aumenta e encolhe de acordo com a lotação a bordo: 469 litros com as três filas de bancos montadas, até um máximo de 3710 litros, na configuração de apenas dois lugares.

A versão ensaiada está equipada com o pack edição especial Energetic (738,30 €), que acrescenta ao equipamento base da versão Life – já com jantes em liga leve de 18'', câmara traseira, vidros escurecidos, teto panorâmico, seis ligações USB, travagem de emergência ativa e airbag central, entre outros –, elementos como a iluminação exterior LED IQ.Light com barra de iluminação a ligar os grupos óticos dianteiros, a câmara de ajuda ao estacionamento Area View. O preço arranca nos 59.690 euros.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

VOLKSWAGEN Multivan

Energetic DSG PHEV

Motor térmico
Arquitetura Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 1395 cc
Alimentação Injeção direta, Turbo, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16v
Potência 150 cv/5000-6000 rpm
Binário 250 Nm/1500-3500 rpm
Motor elétrico
Tipo -
Potência 116 cv (85 kW)
Binário 330 Nm
Bateria Iões de lítio
Capacidade da bateria 10,4 kWh
Módulo Híbrido
Potência 218 cv
Binário 400 Nm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Automática de 6 vel.
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Ind. multibraços
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/12,1 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,973/1,941/1,907 m
Distância entre eixos -
Mala 469-3710 litros
Depósito de combustível 40 litros
Pneus F F 235/50 R18
Pneus T T 235/50 R18
Peso 2120 kg
Relação peso/potência 9,4 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 190 km/h
Acel. 0-100 km/h 11,6 s
Consumo médio 1,8 l/100 km
Emissões de CO2 41 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 4 anos ou 80.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 137,14 €

Medições

VOLKSWAGEN

Acelerações
0-50 km/h 3,2 s
0-100 / 130 km/h 7,9 s
0-400 / 0-1000 m 16,2 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 3,0 s
60-100 km/h (D) 4,4 s
80-120 km/h (D) 5,2 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37/9,2 m
Consumos
Consumo médio 4,4 l/100km
Autonomia 770 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE