Dacia Sandero Stepway Eco-G 100

Tudo por tão pouco

TESTE

Por Vítor Mendes da Silva 05-02-2022 07:00

Fotos: Gonçalo Martins

À fórmula de robustez e simplicidade que deu origem ao automóvel que é grande referência de compra racional, a Dacia acrescentou novos ingredientes: imagem muito mais moderna, espaço, versatilidade e tecnologia, sem abdicar dos preços de combate. Na versão Eco-G, a gasolina e a GPL, somem-se os muito baixos custos de utilização.

A Dacia vai continuar a apostar no GPL (Gás de Petróleo Liquefeito) através das versões Eco-G, tecnologia de motorização que lhe tem garantido vendas e lucros, e que, no caso concreto do novo Sandero, a marca procura preencher o espaço deixado pelo Diesel, que desaparece do catálogo.

Quem compra a versão bi-fuel do best-seller romeno pretende, mais do que tudo, beneficiar do preço baixo do GPL face aos outros combustíveis. Tendo em conta que o Sandero Eco-G consome 8 litros/100 km de GPL (valor oficial é de 7,4) e que o preço médio por litro é de 0,63 €, a despesa por cada 100 km percorridos ronda os 5 euros, praticamente metade do que se gastará com gasolina para cumprir a mesma distância, sendo o consumo médio apurado de 6,5 l/100 km. A novidade é haver, nesta geração do Dacia Sandero, computador de bordo que indica os consumos médio e instantâneo do GPL, facilitando as contas.

Acrescente-se a vantagem enorme de a utilização em modo de funcionamento a GPL não diferir quase nada de quando trabalha a gasolina (o motor de 3 cilindros está equipado com dois sistemas de injeção distintos), sendo a operação de passagem de uma solução para a outra muito fácil de efetuar, bastando premir um botão localizado à esquerda do volante. Depois, a utilização de quaisquer das soluções permite uma condução fluida, ainda que a pouca força do motor com 100 cv obrigue a recorrer à caixa em subidas mais pronunciadas ou para efetuar uma ultrapassagem mais apressada.

Fórmula de sucesso

A fórmula parece resultar: mais de 60% do total de vendas do popular Sandero são Stepway, a variante mais aventureira do compacto, com distância ao solo aumentada em quase 5 cm, o suficiente para encarar estradões de terra batida com outro à vontade, e as habituais aplicações laterais em plástico que protegem a carroçaria de pedradas ou da vegetação mais densa.

Na dianteira e na traseira, as proteções são em cromado acetinado, iguais às barras de tejadilho longitudinais, que são de série e que lhe conferem ar mais modernaço, apesar das linhas sóbrias e sem grandes truques de estilo.

Evolução notável também na apresentação do interior, com vários apontamentos de cor, além dos logótipos específicos que identificam a série Stepway nos encostos dos redesenhados bancos. A versão Comfort, no topo da gama, inclui mimos como o ar condicionado automático, retrovisores elétricos, câmara traseira, sensores de luz e chuva e sistema de infoentretenimento com ecrã tátil de 8 polegadas, navegação e compatibilidade com Android Auto e Apple Car Play sem fios. O Pack Hands Free, por 450 €, acrescenta o travão de estacionamento elétrico, o acesso e arranque sem chave e o apoio de braço com compartimento para pequenos arrumos.

Em matéria de segurança, acrescentam-se agora os sistemas de travagem ativa de emergência com aviso sonoro e luminoso, travando automaticamente, o aviso de ângulo morto e assistente de arranque em subida.

Depois, há novos materiais na consola central, revestimentos em tecido nas portas e no painel de bordo e um novo volante com ótima pega.

Tudo isto, sem beliscar o privilégio à simplicidade em detrimento do supérfluo. O Sandero, embora modernizado, não perde o estatuto de automóvel prático e despretensioso, em que a funcionalidade continua a ser a característica dominante, destacando-se a instrumentação simples e intuitiva, em legibilidade e manuseamento.

E se a qualidade de todos os plásticos que compõem o interior se mantém condizente com o posicionamento de baixo custo do modelo, no espaço para os passageiros e na bagageira não há poupança: mala com bons acessos e capacidade para ótimos 328 litros (só menos 50 litros do que no compartimento de carga do Mégane, por exemplo). A mais acessível berlina do segmento B apresenta também cotas habitáveis de fazer inveja a alguns dos melhores players na categoria acima, especialmente desafogada em comprimento, sobretudo no espaço para pernas dos passageiros traseiros.

Dinamicamente, o modelo romeno construído sobre a competente plataforma CMF-B, a mesma das gerações atuais dos Renault Clio e Captur, destaca-se por apresentar pisar sólido, mesmo mostrando comprometimento exagerado com a comodidade, que tem como consequência oscilações desestabilizadoras da carroçaria. O amortecimento também é macio, com ligações ao solo de curso bastante amplo, sobressaindo a competência para filtrar as irregularidades do piso, mesmo no trem posterior que monta esquema simplista com eixo de torção. E atenção: à medida que a superfície se torna mais irregular, menos parece sofrer com vibrações e algumas sacudidelas mais secas, reforçando a perceção de solidez estrutural de produto que foi pensado para… resistir. Só a direção, pouco informativa não convence...

Tantos trunfos. O Dacia Sandero, com a chegada de geração 100% nova, teve muito reforçado o estatuto de alternativa mais racional do mercado, ao oferecer a melhor relação entre preço, espaço e equipamento da atualidade, esta versão Stepway com a motorização Eco-G 100 soma-lhe a versatilidade de utilização, a imagem aventureira da moda e os custos muito baixos de manutenção, sobretudo no que concerne à despesa com combustível. Isto, optando por utilizar maioritariamente o gás.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

DACIA SANDERO

Stepway Eco-G 100

Motor
Arquitetura 3 cilindros em linha
Capacidade 999 cc
Alimentação Inj. eletrónica, Turbo, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./12v
Potência 100 cv/4500-5000 rpm
Binário 170 Nm/2000 rpm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Manual de 6 vel.
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Tambores
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/10,4 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,099/1,848/1,535 m m
Distância entre eixos 2,604m
Mala 328-1108 litros
Depósito de combustível 50 litros
Pneus F 6jx16-205/60 R16
Pneus T 6jx16-205/60 R16
Peso 1251 kg
Relação peso/potência 12,5 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 177 km/h
Acel. 0-100 km/h 11,9 s
Consumo médio 5,8 l/100 km
Emissões de CO2 131 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 3 anos ou 100.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 103,12 €

Medições

DACIA

Acelerações
0-50 km/h 4,0 s
0-100 / 130 km/h 11,4/19,5 s
0-400 / 0-1000 m 18,0/32,9 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 5,8 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 6,4/8,2/12,0 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 9,8/13,5/18,5 s
Travagem
100-0/50-0km/h 35,3/9,0 m
Consumos
Consumo médio 6,5 l/100km
Autonomia 769 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE