Honda Jazz 1.5 HEV EXECUTIVE “20 anos”

Um de apenas vinte

TESTE

Por Vítor Mendes da Silva 27-12-2021 07:00

Fotos: Gonçalo Martins

Em 20 anos, espaço de tempo entre o lançamento da 1.ª geração do Jazz e o momento que vivemos, a Honda vendeu mais de oito milhões de unidades do utilitário em todo o mundo (23 mil só no nosso país), pelo que se percebe facilmente a importância deste modelo para o fabricante japonês. A efeméride assinala-se com o lançamento de uma versão especial “20 anos”, que se destaca pela pintura do tejadilho em cor exclusiva, emblema específico na traseira e a oferta de porta-chaves único a todos os clientes. Só há 20 para Portugal.

Em 2001, o Jazz veio reposicionar a Honda no topo de segmento utilitário, oferecendo habitáculo e bagageira de tamanhos referenciais, incomparável funcionalidade e versatilidade, dinâmica honesta e bons motores a gasolina. E, vinte anos volvidos, já na 4.ª geração (lançada em 2020), progressos importantes na segurança – obteve a pontuação máxima nos testes de segurança EuroNCAP, graças às tecnologias ativas incluídas –, enquanto a nova geração e-HEV fortaleceu a posição do Jazz no mercado nacional, tendo sido o 2º modelo mais vendido da marca em Portugal no ano passado. E sem perder qualidades enquanto utilitário. O habitáculo é extraordinariamente amplo para um automóvel com menos de quatro metros de comprimento, sendo nesse particular uma referência na categoria – nos lugares traseiros, por exemplo, a distância para os encostos da frente chega aos 75 centímetros, equiparável a um modelo familiar dois segmentos mais acima –, assim como na capacidade da bagageira (304 litros), e nas múltiplas possibilidades de aproveitamento do espaço face aos esquemas de rebatimento dos bancos traseiros, os quais rebatem totalmente (divisão 60:40, com o piso de carga a ficar totalmente plano, oferecendo bagageira com volumetria de 1205 litros) e os assentos também podem ser fixados na vertical aos encostos, de modo a transportar objetos de maior altura. Depois, também o encosto do passageiro da frente também pode ser totalmente reclinado de forma a criar uma espécie de sofá-cama, sendo apenas necessário retirar o apoio de cabeça para o encaixar à base dos assentos traseiros.

Ainda no interior, a instrumentação é moderna, exibida num ecrã digital de sete polegadas (de série em todas as versões) e o sistema de infoentretenimento foi modernizado e projetado num monitor tátil de nove polegadas. A tecnologia Honda Connect dispõe de funcionalidades como ponto de acesso Wi-Fi, compatibilidade com sistemas CarPlay e Android Auto ou reconhecimento de instruções por voz.

Melodia suave e ritmada

Quanto ao 1,5 litros com hibridização (combina motor de quatro cilindros a gasolina e outro elétrico com uma bateria de muito pequena capacidade a alimentá-lo e ainda um motor/gerador), são evidentes as vantagens de utilização. A potência máxima do sistema é de 109 cv e um binário de 253 Nm, “músculo” suficiente para desembaraço assinalável nos trajetos urbanos e extraurbanos de todos os dias. Há três modos operativos, totalmente automáticos, durante a condução: EV Drive (100% elétrico, ativado por defeito no arranque e a baixa solicitação de energia ao motor térmico), Hybrid Drive (unidades gasolina/elétrica em comunhão de esforços, quando a exigência de potência aumenta) e Engine Drive (configuração mais eficiente a velocidades mais altas, quase exclusiva com motor de combustão, em que o elétrico só pontualmente intervém).

Em termos práticos, na condução urbana o sistema vai privilegiar os modos EV Drive e Hybrid Drive, para máxima eficiência; a velocidades mais elevadas, ativa-se o modo Engine Drive – ajudado por um pico de potência do motor elétrico para uma aceleração mais rápida.

Globalmente, o funcionamento promove tanto a suavidade como a condução serena e a eficiência no consumo de combustível, que se mantém com facilidade abaixo da fasquia de 5 litros/100 km médios, não se notando falta de genica em nenhum tipo de percurso. Isto partindo do princípio de que o potencial comprador não espera dele prestações de desportivo…

Onde o Jazz mais desafina…?

Nas acelerações mais fortes. O desempenho peculiar da caixa automática e-CVT de velocidade única torna- se mais incómodo, pelo arrasto e o aumento de sonoridade que provoca ao motor térmico. Ainda assim, condução fácil e cómoda, ainda que não tenhamos ficado totalmente convencidos pela capacidade de filtragem das ligações ao solo, pois o Jazz revela sensibilidade excessiva quando confrontado com maus pisos ou na travessia de lombas sonoras e buracos.

Ao mesmo tempo, se o utilitário da Honda teve sempre argumentos de cariz prático (espaço e versatilidade) quase imbatíveis perante a concorrência, o preço foi um obstáculo. E mantém-se: este Jazz 1.5 HEV EXECUTIVE “20 anos” está disponível por 30.178 euros (a garantia é sempre de 7 anos sem limite de quilómetros), acima dos principais concorrentes.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

HONDA JAZZ

1.5 HEV 20 ANOS

Motor térmico
Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 1498 cc
Alimentação Injeção direta
Distribuição 2 a.c.c./16 v
Potência 98 cv/5500-6400 rpm
Binário 131 Nm/4500-5000 rpm
Motor elétrico
Tipo -
Potência 109 cv (80 kW)
Binário 253 Nm
Bateria Iões de lítio
Capacidade da bateria
Módulo Híbrido
Potência 109 cv
Binário 253 Nm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Automática de 1 velocidade
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/10,1 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,044/1,694/1,526 m
Distância entre eixos 2,517m
Mala 304-1205 litros
Depósito de combustível 40 litros
Pneus F 6jx16-185/55 R16
Pneus T 6jx16-185/55 R16
Peso 1228 kg
Relação peso/potência 11,26 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 175 km/h
Acel. 0-100 km/h 9,5 s
Consumo médio 4,6 l/100 km
Emissões de CO2 104 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 7 anos ou 160.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 20000 km
Imposto de circulação (IUC) 137,14 €

Medições

HONDA

Acelerações
0-50 km/h 3,3 s
0-100 / 130 km/h 9,5/16,5 s
0-400 / 0-1000 m 16,9/31,8 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 4,5 s
60-100 km/h (D) 5,6 s
80-120 km/h (D) 7,3 s
Travagem
100-0/50-0km/h 39 / 9,6 m
Consumos
Consumo médio 4,7 l/100km
Autonomia 851 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE