Porsche Panamera 4S E-Hybrid

A virtude deveria estar no meio...

TESTE

Por Paulo Sérgio Cardoso 16-10-2021 07:00

Fotos: Gonçalo Martins

No processo de atualização do Panamera, introdução de novo híbrido Plug-In entre os já existentes 4 E-Hybrid e Turbo S E-Hybrid. Com 560 cv na soma dos motores térmico e elétrico, reúne o melhor dos dois mundos! Menos em Portugal... onde será um dos penalizados pela legislação.

Teria tudo para dar certo, esta terceira versão na gama PHEV do também retocado Panamera. Este novo 4S E-Hybrid, com 560 cv de potência máxima combinada, encaixa entre o 4 E-Hybrid (462 cv) e o poderoso Turbo S E-Hybrid (agora com 700 cv) com excelente relação entre utilização, performance e consumos. Mas, em Portugal, com a legislação anti híbridos e híbridos Plug-In (!), e por a Porsche anunciar emissões de CO2 de 50 g/km para esta versão, quando o limite legislativo fecha os benefícios fiscais para os PHEV nas 49 g/km, os clientes (empresariais) continuarão a atentar na versão E-Hybrid – para melhor se perceber o peso da lei, o valor base de aquisição deste 4S E-Hybrid subiu dos 138.589 € (a 31 de dezembro de 2020) para os 146.952 € a 1 de janeiro de 2021...

Mas centremos atenções nas qualidades deste novo Panamera, enquanto automóvel. Com a atualização desta berlina desportiva de luxo, mexida na imagem frontal e no efeito da faixa de iluminação LED a toda a largura da traseira, além de gama alargada de jantes de 20 e 21’’. Escassas são também as alterações no interior, com o principal motivo de interesse a recair no novo e ergonómico volante desportivo, herdado do Taycan, incluindo botão rotativo com acesso à seleção de modos de condução. O sistema multimédia de nova geração (PCM – Porsche Communication Management) surge com controlos vocais mais expeditos, software atualizado e oferta de novos serviços conectados, passando a ser possível a ligação sem fios para Apple CarPlay.

Comum aos agora três híbridos Plug-In é a adoção de nova bateria de iões de lítio, de capacidade (total) incrementada dos anteriores 14,1 para os atuais 17,9 kWh, o que permite superior autonomia em modo 100% elétrico e um melhor aproveitamento da mesma mediante o ajuste da eletrónica que gere os modos de condução: E-Power, Sport, Sport Plus e Hybrid, sendo que neste último o condutor pode optar pela gestão automática da carga (Auto), manutenção do nível da mesma (E-Hold) ou forçar o autocarregamento em andamento (E-Charge).

Com a bateria totalmente carregada (são necessárias mais de 6 horas em ligação doméstica) o 4S E-Hybrid conseguiu percorrer 46 km sem recurso ao motor térmico (modo E-Power), com consumo médio nunca inferior a 25 kWh/100 km. Os 136 cv elétricos, parecendo pouco para o peso do conjunto, permitem utilização suficientemente fluida em ambiente urbano, onde os 400 Nm de binário são mais importantes do que a potência. Mas, selecionado o modo Hybrid Auto, a gestão interna acaba quase sempre por ligar o V6 biturbo à passagem pelos 80 km/h, velocidade a partir da qual o motor elétrico começa a perder fôlego.

Paralelamente a esta gestão, o Panamera não descura a presença de suspensão com elementos pneumáticos, com três níveis de amortecimento, que podem ser selecionados com independência dos modos de condução, o mesmo se passando com os três ajustes do controlo de estabilidade. Esta unidade contava ainda com outras habilidades técnicas que contribuem para apimentar a vertente dinâmica, caso do chassis PDCC com barras estabilizadoras eletromecânicas (4859 €) que ajuda a conter a inclinação lateral da carroçaria em curva, em particular a velocidades elevadas, e eixo traseiro direcional – que além de somar trunfos na agilidade em traçados sinuosos, permite encurtar o diâmetro de viragem de modelo com dimensões generosas – por 2152 €. E nem as jantes de 21’’ com pneus de grandes dimensões e baixo perfil beliscam a comodidade, seja em estrada ou no alcatrão menos cuidado das cidades.

Olhando para as medições, é fácil perceber o vinco desportivo desta versão, com arranques fulminantes, enorme capacidade motriz e resposta imediata por parte da caixa automática de 8 velocidades, o que aproxima as performances desta aparentemente inofensiva berlina de luxo às do atual 911 Carrera 4S! Até a travagem oferece potência e tato consistente, sem os efeitos de que costumam padecer os híbridos, devido à travagem regenerativa.

No modo híbrido a utilização é marcada por enorme fluidez entre as duas mecânicas, mal se sentindo o liga-desliga do V6, seja em cidade, seja em autoestrada, o que contribui fortemente para a real contenção dos gastos de gasolina – e assim se mantém após o esgotar da carga efetiva da bateria. Neste teste, os primeiros 100 km percorridos apenas com uma carga da bateria resultaram numa média a rondar os 6,2 l/100 km (mais 22 kWh/100 km de eletricidade) e ao final de cerca de 300  km realizados o consumo médio estabilizou entre os 9 e os 10 l/100 km, o que se poderá considerar um feito, mesmo quando, pelo meio, se tirou total partido dos 560 cv, em Sport e SportPlus e ainda se forçou 15 km de carga em E-Charge.

Nem a fachada ecológica afeta as sensações de condução deste Panamera, um Porsche dos grandes e pesados que quase oferece o feeling dos pequenos e levezinhos! Chega a ser impressionante a dicotomia existente entre o casulo de conforto e bem-estar com a dignidade dinâmica (bem desportiva!) e a facilidade com que a ação se desenrola, em qualquer cenário, a grande velocidade. A vertente elétrica permite real contenção de custos diários de utilização.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

PORSCHE PANAMERA

4S E-Hybrid

Motor térmico
Arquitetura 6 cilindros em V
Capacidade 2894 cc
Alimentação Inj. direta, Biturbo, Intercooler
Distribuição 2x2 a.c.c./24v
Potência 440 cv/5650-6600 rpm
Binário 550 Nm/2000-5500 rpm
Motor elétrico
Tipo -
Potência 136 cv (100 kW)
Binário 400 Nm
Bateria Iões de lítio
Capacidade da bateria 17,9 kWh
Módulo Híbrido
Potência 560 cv
Binário 750 Nm
Transmissão
Tração Integral permanente
Caixa de velocidades Automática de 8 vel.
Chassis
Suspensão F Ind. triângulos duplos, pneumática
Suspensão T Ind. multibraços, pneumática
Travões F/T Discos ventilados e perfurados
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11,9 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 5,049/1,937/1,423 m
Distância entre eixos 2,95m
Mala 403-1242 litros
Depósito de combustível 80 litros
Pneus F 9.5x20-275/40 R20
Pneus T 11.5x20-315/35 R20
Peso 2305 kg
Relação peso/potência 4,1 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 298 km/h
Acel. 0-100 km/h 3,7 s
Consumo médio 2,2 l/100 km
Emissões de CO2 50 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 2 anos sem limite de km
Pintura/Corrosão 2/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 533,04 €

Medições

PORSCHE

Acelerações
0-50 km/h 1,4 s
0-100 / 130 km/h 3,7/5,6 s
0-400 / 0-1000 m 11,8/21,6 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 1,8 s
60-100 km/h (D) 2,1 s
80-120 km/h (D) 2,5 s
Travagem
100-0/50-0km/h 33,5/8,8 m
Consumos
Consumo médio 6,2 a 9,5 l l/100km
Autonomia 840 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE