Ford Ranger Wildtrak Thunder 2.0 TDCi 4X4

Competentes ferramentas de trabalho, imparáveis veículos de lazer e evasão por todos os tipos de terreno, poucos automóveis são mais versáteis que as pick-up, espécie de veículo ‘tudo-em-um’.

TESTE

Por Vítor Mendes da Silva 19-09-2021 07:00

Fotos: Gonçalo Martins

A Ford Ranger, campeã europeia de vendas na categoria, ganhou novas séries especiais de inspiração vincadamente ‘racing’ (capitalizando o sucesso enorme da desportiva versão Raptor), entre as quais esta Wildtrak Thunder, com produção limitada a apenas 4500 unidades.

Entre os elementos exclusivos desta versão com preços a partir de 51.526 euros (sem despesas), destacam-se a pintura da carroçaria na cor “Sea Grey”, as jantes de liga leve com 18 polegadas (pintadas a negro com o Pack Wildtrak Thunder, por 2379 euros; inclui cobertura da caixa tipo persiana e barras de tejadilho pretas) e os apontamentos Ebony Black na grelha dianteira, nos para-choques traseiros e nas molduras dos faróis de nevoeiro.

Outras inserções a vermelho e os logotipos específicos da série limitada com efeito tridimensional completam o pacote estético.

Já no interior, com lotação para cinco ocupantes nesta sua configuração mais familiar de cabina dupla com quatro portas, decoração sóbria, com o único toque de irreverência nas costuras a vermelho dos estofos em pele.  A acessibilidade é facilitada por avantajados estribos por onde escalamos, literalmente, para o posto de condução. O painel de bordo, moderno, apresenta nível de qualidade elevado, quer em temos de materiais, quer no rigor dos acabamentos, ainda se destacando o completíssimo equipamento desta versão com posicionamento à parte e vocação muito mais lúdica do que para funções laborais. O sistema de infoentrenimento SYNC 3 comanda-se a partir do ecrã tátil de oito polegadas em posição sobrelevada ao centro do tablier, e que reúne a maioria das funções do carro, desde a navegação ao ar condicionado bi-zona, ambos de série. Como é também o sistema de arranque sem chave, a câmara de ajuda ao parqueamento ou o alerta de manutenção na faixa de rodagem. Entre os extras pagos desta unidade de teste, pintura metalizada (508 euros), o Pack Drive Plus, que inclui, entre outros, o controlo automático de velocidade adaptativo (559 euros).

O motor de 4 cilindros e de 2 litros a gasóleo é o mesmo que serve a Ranger Raptor, sobrealimentado por dois turbos que sobem a potência para 213 cv e o binário máximo para 500 Nm, em combinação com a ótima transmissão automática de 10 velocidades, que também está no Mustang...

Com músculo de sobra para resolver todo o tipo de situações, é motor rápido em aceleração e com excelente resposta a partir das 2000 rpm, mostrando-se depois vigoroso e competente na restante faixa de utilização. Nota mais para a redução importante nos níveis de ruído e vibrações que chegam ao habitáculo. E conte-se também com elasticidade impressionante para ultrapassagens decididas e fáceis retomas de velocidades, não obstante tamanho e do peso avantajados. 

Quase tão impressionante é o à vontade em estrada. O Ford Ranger assenta em chassis com qualidade comprovada e melhoradas suspensões (embora com o mesmo esquema simplificado de eixo rígido atrás), que contribuem para que o comportamento até satisfaça os condutores que apreciam condução mais despachada. Claro que, quando atirado a boa velocidade para dentro de uma curva mais exigência em matéria de apoios, a tendência para mergulhar a dianteira e soltar a traseira está lá. Mas, sem exageros no acelerador, não há lugar a grandes sustos, fruto também bom compromisso no amortecimento das suspensões para veículo com esta tipologia, eficaz a restringir os movimentos de carroçaria que está a 28,3 centímetros solo (85 centímetros na passagem a vau).

Os ângulos específicos de TT (32º de ataque e 24º de rampa e ventral) garantem total liberdade de movimentos em situações fora de estrada. Para isso também contribuem os pneus Continental Cross Contact (BF Goodrich All-Terrain na Raptor), especificamente concebidos para alcançarem o melhor desempenho possível em terrenos pouco consistentes, com lama, neve, areia e pedras soltas, como no asfalto liso.

A tração é integral, com as opções 2H (apenas às rodas traseiras, para condução mais económica); 4H (tração às quatro rodas em alta velocidade, ideal para terreno acidentado) e 4L (tração às quatro rodas em baixa velocidade, para subidas ou descidas muito íngremes, especialmente quando se necessitar de maior força de tração). Sem surpresa, o desempenho é ótimo, nas variadas opções. Diferencial traseiro de bloqueio eletrónico ajuda a melhorar a tração em condições de aderência precária. Uma “força da natureza”…

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

FORD Ranger

Wildtrak Thunder 2.0 TDCi 4X4

Motor
Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 1996 cc
Alimentação Injeção dir. CR, biturbo, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16 v
Potência 213 cv/3750 rpm
Binário 500 Nm/1750-2000 rpm
Transmissão
Tração Tração Integral inserível
Caixa de velocidades Automática de 10 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo rígido
Travões F/T Discos ventilados
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/12,9 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 5,363/1,860/1,873 m
Distância entre eixos 3,22m
Mala -
Depósito de combustível 80 litros
Pneus F 260/65 R18
Pneus T 260/65 R18
Peso 2585 kg
Relação peso/potência 12,1 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 170 km/h
Acel. 0-100 km/h 10,5 s
Consumo médio 8,9 l/100 km
Emissões de CO2 242 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 2 anos sem limite de km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 53,69 €

Medições

FORD

Acelerações
0-50 km/h 3,5 s
0-100 / 130 km/h 10,8 s
0-400 / 0-1000 m 18,1 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 4,4 s
60-100 km/h (D) 5,4 s
80-120 km/h (D) 7,2 s
Travagem
100-0/50-0km/h 40/11 m
Consumos
Consumo médio 10,8 l/100km
Autonomia 734 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE