Ford Fiesta ST-Line 1.0 mHEV 155 cv

Mais do que imagem de desportivo

TESTE

Por Ricardo Jorge Costa 14-08-2021 07:00

A Ford define o pressuposto dos seus automóveis de nível de equipamento/versão ST-Line como «pensados para clientes que aspiram à imagem desportiva» dos seus automóveis, «mas que não [lhes] exigem a performance otimizada dos motores dos modelos ST e pelos chassis equipados com tecnologias desportivas». Marketing à parte, são versões de quase toda a gama Ford para quem gosta de impacto visual desportivo, mas dispensa as ‘verdadeiras’ prestações desportivas, ou então prefere motorizações mais económicas sem dispensar um certo aparato de imagem. Ou simplesmente não tem orçamento para comprar um desportivo.

A estética é a condizer, impactante, incluindo grelha dianteira em ninho de abelha, faróis de nevoeiro com contornos a negro, para-choques específicos e difusor traseiro. Ao que se acrescenta um friso negro na linha de cintura abaixo das janelas, saias laterais, logótipos ST-Line junto aos guarda-lamas e na soleira das portas, ambos à frente, e jantes específicas em liga leve de 17” pintadas em Rock Metallic Grey. O spoiler traseiro custa 124 euros e os vidros escurecidos 99 euros. Com a pintura metalizada vermelha Race Red (na unidade em teste e de série), a imagem desportiva do Fiesta estimula alguma adrenalina.

A cosmética desportiva não se remete ao exterior, também ao habitáculo, onde os bancos são parcialmente em couro com inserções Race Red e os dianteiros incluem ajuste lombar, o volante tem revestimento em pele e pespontos em cinzento e o punho do seletor da caixa de velocidades é metálico como no ST, e os tons escuros predominam.

No Fiesta com a referência ST-Line está-se longe de ficar mal servido de motor, quando este é o pequeno e compacto, mas enérgico e eficiente, bloco a gasolina 1.0 EcoBoost na versão de 155 cv – também disponível na versão ST-Line X. O fabricante norte-americano propõe mais do que apenas estilo inspirado no desportivo da gama, Fiesta ST, que se recorre igualmente de motor 3 cilindros, mas de 1,5 litros e com mais robustos 200 cv. A Ford adiciona ao 1.0 EcoBoost um sistema semi-híbrido (ou mild hybrid) que consiste num motor de arranque/gerador acionado por correia que substitui o alternador e permite que a energia elétrica gerada seja armazenada numa bateria adicional de 48 volts. Esta energia pode ser utilizada para dar um 'boost' extra de 20 Nm ao motor térmico nas fases de aceleração e para ‘aliviar’ o trabalho da bateria principal da alimentação dos diversos componentes elétricos do veículo.

Poderá pensar-se que a simplicidade da arquitetura tricilíndrica e a parca capacidade (1 litro) do EcoBoost torna-o falho de rendimento, para agilizar as performances de um desportivo mesmo se apenas de aparência. Mas não. Mais os 155 cv, do que o binário máximo disponível às 1400-4500 rpm, conferem ao veículo boas performances em todos os ambientes rodoviários. Os 20 Nm do ‘boost’ elétrico do sistema semi-hibrido são percetíveis especialmente nos arranques e contribuem para a aceleração de 0 a 100 km/h fique abaixo de 10 segundos (9,9 s). A velocidade máxima atinge 195 km/h. Não se devem pedir-lhe recuperações desportivas dignas do ST, porque 170 Nm não é energia abundante, mas com a adequação do regime de funcionamento ótimo do motor às necessidades do momento, recorrendo-se à transmissão manual, corretamente escalonada, a condução deste ST-Line pode ser bem divertida.

Para respostas mais veementes do 1.0 EcoBoost é indispensável levá-lo ao redor das 4000 rpm, o que implica contrapartidas ao nível da sonoridade, denunciando, então sim, a simplicidade da sua arquitetura e, claro, do consumo. Neste último, perde-se argumento importante de cativação desta simulação de Fiesta ST, porque, com excessos, superam-se os 8 litros/100 km em média.

O Fiesta S-Line tem suspensão desportiva rebaixada (10 mm) comparativamente às versões normais, conferindo-lhe comportamento dinâmico mais assertivo - sem penalizar o conforto de quem se quer ficar apenas pela imagem - e selecionando o modo Sport do programa de condução retira-se o que há de mais desportivo neste Fiesta.

Os faróis LED custam 488 € e o sistema de navegação 286 €. A Ford propõe, por 1116 €, um Pack denominado Segmento Premium, que inclui controlo automático de velocidade adaptativo ACC, sistema de aviso de saída de estrada, assistência à pré-colisão, reconhecimento de sinais de trânsito, alerta de fadiga do condutor e faróis máximos automáticos, câmara de visão traseira, estacionamento automático e deteção ângulo morto. E há ainda o pack Conforto, com retrovisores exteriores elétricos e rebatíveis e sistema de chave Inteligente, por 248 €

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

FORD FIESTA

ST-Line 1.0 mHEV 155 cv

Motor
Arquitetura 3 cilindros em linha
Capacidade 998 cc
Alimentação Injeção direta, turbo, interc.
Distribuição 1 a.c.c./12 v
Potência 155 cv/6000 rpm
Binário 220 Nm/3000 rpm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Manual de 6 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/10 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,065/1,735/1,466 m
Distância entre eixos 2,493m
Mala 303-984 litros
Depósito de combustível 42 litros
Pneus F 205/45 R17
Pneus T 205/45 R17
Peso 1219 kg
Relação peso/potência 7,86 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 219 km/h
Acel. 0-100 km/h 8,9 s
Consumo médio 5 l/100 km
Emissões de CO2 113 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 2 anos sem limite de km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 25000 km
Imposto de circulação (IUC) 103,12 €

Medições

FORD

Acelerações
0-50 km/h 2,3 s
0-100 / 130 km/h 9 s
0-400 / 0-1000 m 15,3 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 3,8 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 4,1 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 7,1/9,5/11,6 s
Travagem
100-0/50-0km/h 36,1 / 9,6 m
Consumos
Consumo médio 6 l/100km
Autonomia 700 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE