Toyota Yaris 1.0 Comfort Plus

As bases elegem os líderes

TESTE

Por Vítor Mendes da Silva 17-04-2021 07:00

Fotos: Gonçalo Martins

O Yaris surgiu no Velho Continente em 1999 e mudou a perceção que os europeus tinham da marca, trazendo muitos clientes novos. Hoje, com a 4.ª geração do bem-sucedido utilitário na estrada, confiança reforçada nas qualidades de produto desenvolvido a pensar no topo de categoria fundamental, capaz de interpretar bem o momento do segmento B, em autêntica transformação, com a necessidade de mais e melhor mobilidade nas principais cidades do continente e, ainda, a pressão para reduzir consumos e emissões poluentes.

Confirma-o, desde logo, galardão importantíssimo: o Toyota Yaris 1.5 Hybrid Dynamic Force (sistema derivado diretamente dos sistemas híbridos maiores de 2,0 e 2,5 litros) foi o grande vencedor do prémio do Carro do Ano 2021 (Car of The Year - COTY), sucedendo ao Peugeot 208, em mais uma edição da votação europeia, que é a mais antiga da indústria automóvel.

Mas no catálogo da nova geração Yaris, a juntar ao híbrido premiado, mais duas mecânicas a gasolina com trunfos, o 1.5 VVT-i (125 cv) e o motor 1.0 VVT-i que equipa as versões base de gama, de números modestos (72 cv e 93 Nm), mas cheio de genica.

O rotativo 3 cilindros atmosférico de 998 cc prende-nos à ação pelo comportamento muito homogéneo em toda a faixa de regime, mesmo se nas mais baixas rotações notamos alguma falta de elasticidade caraterística deste tipo de mecânicas naturalmente aspiradas.

A “piada” está mesmo em usar à caixa manual de 5 velocidades, de escalonamento correto e comando preciso, para espicaçar a mecânica e tirar partido de bloco que pede condução acima das 4000 rpm, regime a partir do qual o Yaris já embala para andamentos despachados. E até com uma nota de escape mais grave e encorpada que convida a acelerar. 

Grandes para quê?

Não sendo, obviamente, nenhum portento de força, o “milinho” a gasolina do Yaris parece maior. E parte da explicação está na base. A mesma que sustenta desportivo brilhante, o GR Yaris.  

Contrariando a norma na categoria, o novo Yaris não cresceu de forma significativa. Aliás, o fabricante japonês até reduziu o comprimento total do utilitário em 5 mm, mas ao mesmo tempo aumentou a distância entre eixos em 50 mm. O modelo estreou a plataforma modular Toyota, a TNGA, adaptada ao segmento utilitário (GA-B), que permite ao automóvel japonês ter o centro de gravidade mais baixo do que o seu antecessor, proporcionado, por exemplo, pelo recuo do banco do condutor e acrescentando-lhe rigidez torsional (+37%) para melhores credenciais dinâmicas. Também em prol da eficácia comportamento, na forma como permitiu reduzir o rolamento da carroçaria e aumentar a agilidade em curva, está o novo desenho das suspensões, a dianteira McPherson e a posterior com eixo de torção, aumentada na rigidez, de 320 para 580 Nm/grau, e ambas integrando molas mais macias que contribuem para a otimização do conforto. Mais motor houvesse… 

No interior, tudo novo. As informações são apresentadas ao condutor a partir de três fontes interligadas: o ecrã central Toyota Touch, um ecrã TFT no painel de instrumentos e um head-up display de 10’’, e o tamanho do volante foi reduzido e está mais próximo do condutor, com um aumento de seis graus no ângulo de inclinação. Empírica e visualmente, a coisa funciona bem.

Ainda no posto de condução, nota para a altura reduzida do capot, que contribui para uma melhor visão do condutor. Já a adição de 50 mm à largura do carro gera mais espaço na frente e na traseira, enquanto o aumento da largura das vias dianteira e traseira aumentam a aparência mais larga e mais baixa da nova geração Yaris.

A bagageira mantém os 286 litros de capacidade da anterior geração, continuando a ser uma das mais pequenas do segmento, embora beneficie da área com formato regular e de um compartimento sob a plataforma de carga. A qualidade de construção do habitáculo melhorou, corrigindo-se as lacunas mais evidentes do modelo que saiu de cena, sem deixar de misturar muitos plásticos rígidos e com superfícies mais suaves, dentro do padrão do segmento, mas a um nível acima no rigor de montagem e solidez dos componentes.

  

Os preços do novo Yaris arrancam nos 16.990 € da versão Comfort. A unidade ensaiada é o nível imediatamente acima, o Comfort Plus, que, por mais 700 €, acrescenta à lista de equipamentos a antena tipo barbatana de tubarão, jantes em liga leve de 15", os espelhos retrovisores exteriores elétricos e sensor de chuva. Outros elementos de série o sensor de luz, o Cruise Control Adaptativo, o controlo automático de máximos, o sistema de Pré-Colisão com assistência de interseção e deteção de peões e ciclistas, o ecrã multimédia de 7" e o ar condicionado automático. O utilitário é ainda o primeiro Toyota a ser equipado com airbag central, que contribui para prevenir que o condutor e o passageiro da frente choquem um no outro em caso de um embate lateral. 

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

TOYOTA YARIS

1.0 VVT-i Comfort Plus

Motor
Arquitetura 3 cilindros em linha
Capacidade 998 cc
Alimentação Injeção indireta
Distribuição 2 a.c.c./12v
Potência 75 cv/6000 rpm
Binário 93 Nm/4400 rpm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Manual de 5 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Tambores
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/9,3 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 3,940/1,745/1,500 m
Distância entre eixos 2,56m
Mala 286 litros
Depósito de combustível 42 litros
Pneus F 195/55 R16
Pneus T 195/55 R16
Peso 960 kg
Relação peso/potência 12,8 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 160 km/h
Acel. 0-100 km/h 14,6 s
Consumo médio 5,7 l/100 km
Emissões de CO2 127 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 7 anos ou 160.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 20000 km
Imposto de circulação (IUC) 103,12 €

Medições

TOYOTA

Acelerações
0-50 km/h 4,1 s
0-100 / 130 km/h 14,7 / 27,5 s
0-400 / 0-1000 m 19,4 / 35,3 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 8,3 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 9,1 / 12/ 16,5 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 15,3 / 19,3 / 30,2 s
Travagem
100-0/50-0km/h 36,2 / 9,4 m
Consumos
Consumo médio 5,5 l/100km
Autonomia 763 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE