DS 7 Crossback E-Tense 4x4

Recomenda-se

TESTE

Por José Caetano 06-02-2021 09:30

Fotos: Gonçalo Martins

Em 2025, na gama da DS, só automóveis eletrificados. O lançamento do 7 Crossback E-Tense ‘acelera’ a implementação do plano. No SUV, tecnologia híbrida com 1.6 Turbo a gasolina apoiado por dois motores elétricos, caixa automática de 8 velocidades, tração integral… A marca anuncia 300 cv e apenas 1,3 l/100 km. Primeiro teste.

A DS apresenta-se como ponta de lança da estratégia de eletrificação do automóvel da PSA, o consórcio comandado pelo português Carlos Tavares. Precisamente para melhorar o conhecimento e acelerar o desenvolvimento da tecnologia, a marca francesa associou-se à chinesa Techeetah e acelera na Fórmula E. A competição é laboratório ótimo para a investigação de hardware e software novos para os modelos de produção em série. Cumprindo-se o plano de ação, em 2025, no catálogo do fabricante, encontrar-se-ão apenas carros eletrificados.

E-Tense é o nome de batismo tanto do Fórmula E de Félix da Costa como das propostas elétricas da DS. A marca tem dois automóveis novos: no 3 Crossback, máquina de 100 kW (136 cv) alimentada por pacote de baterias (iões de lítio), de 50 kWh; no 7 Crossback, sistema híbrido com motor 1.6 Turbo a gasolina, duas máquinas elétricas e carregamento externo dos acumuladores de energia (plug-in), de 13,2 kWh.

O 7 Crossback E-Tense é o primeiro automóvel híbrido da DS, na condição de marca autónoma – tornou-a independente da Citroën em 2015... A base do Sport Utility Vehicle (SUV) é a plataforma EMP2, arquitetura moderna que admite sistemas de tração dianteira ou de quatro rodas motrizes e recurso massivo às tecnologias de digitalização e de eletrificação. O carro com 4,5 m de comprimento e 2,7 m entre eixos posiciona- se em categoria tão concorrida como competitiva, com Audi Q5 e Volvo XC60 entre os adversários com que partilha o estatuto premium (leia-se luxo).

O E-Tense tem as mesmas características das versões térmicas do modelo apresentado na primavera de 2017. O sistema híbrido não influenciou negativamente a liberdade de movimentos no interior, tanto à frente como atrás, nem a capacidade da mala (mínima de 555 litros e máxima de 1752), com a arrumação da bateria sob o piso do habitáculo, entre os eixos. No entanto, este automóvel tem alguns equipamentos diferenciadores, nomeadamente o sistema multimédia, com menu específico para informações sobre o funcionamento da tecnologia de propulsão, a autonomia do modo de condução elétrico e os pontos de recarga, entre outros dados.

O 7 Crossback, com o acabamento interior Opera, impressiona pela qualidade quer dos materiais, quer da montagem e pelo número de assistências eletrónicas à condução. O pacote inclui regulador de velocidade ativo, reconhecimento de sinais, alerta de fadiga do condutor, travagem de emergência automática, aviso de transposição involuntária dos limites da faixa de rodagem ou controlo dos ângulos mortos dos retrovisores exteriores. Também de série, suspensão com amortecimento variável comandado eletronicamente (chama-se DS Active Scan Suspension e baseia-se em câmara que a estrada, para aumentar e diminuir a firmeza em função das características do piso).

A tecnologia otimiza as capacidades do chassis. O SUV da DS tem qualidades dinâmicas acima da média (vide agilidade, estabilidade, precisão e segurança em curva e durante as mudanças repentinas de direção, devido ao rolamento limitado da carroçaria nas transferências de massa e à ação do sistema de tração integral), que combina com conforto de rolamento excecional. Nota mais, também, para a atuação dos travões, que são potentes e resistentes à fadiga (sublinhe- se que este E-Tense é várias centenas de quilos mais pesado do que as outras versões da gama, devido aos componentes do sistema híbrido).

Sistema inteligente

No 7 Crossback E-Tense, mecânica 1.6 PureTech a gasolina (200 cv) e motores elétricos nos eixos (o dianteiro rende 110 cv, o traseiro 112 cv), ambos alimentados por bateria de iões de lítio com 13,2 kWh de capacidade. Esta configuração técnica garante-lhe quatro rodas motrizes… A caixa é automática, tem 8 velo-cidades, programa manual comandado sequencialmente em patilhas no volante e escalonamento adaptado às características do híbrido plug-in da DS.

Existem cinco programas de gestão da energia, que elegemos no comando Drive Mode instalado na consola entre os bancos dianteiros: Hybrid, 4WD, Desporto, Conforto e Electric. Complementarmente, em menu do sistema multimédia, no centro do painel de bordo, hipótese de eleição do modo eSave, para poupança de carga na bateria (10, 20 ou mais quilómetros), para possibilidade de condução elétrica em cidade. E o número de metrópoles com áreas que apenas admitem a circulação de modelos «zero emissões» é cada vez maior... No 7 Crossback, luz orientada para o exterior informa as autoridades sobre essa modalidade de ação.

A DS anuncia até 58 km de condução em modo elétrico, aceleração 0-100 km/h em 5,9 s, velocidade máxima de 235 km/h e consumo médio de 1,3 l/100 km. Durante o nosso teste, números diferentes. Iniciámo-lo com estimativa de 32 km para a autonomia elétrica, mas estendemo-la até 43 km, explorando a capacidade de recuperação de energia nas desacelerações e travagens (deslocando o seletor da caixa para a posição B, otimiza-se o programa e aumenta- se o potencial de retenção), atuação que permitiu gastar somente 3,8 l/100 km nos primeiros 100 quilómetros.

Obviamente, a autonomia elétrica e o consumo de gasolina dependem muito da forma como utilizamos o acelerador. Pressionando-o de forma suave, melhor! O programa EV funciona até 135 km/h. No entanto, privilegiando-se a dinâmica e as performances, o sistema é hiperativo! No programa Desporto, com três motores em ação, 0-100 km/h em 5,5 s. Em condições normais, o 7 Crossback movimenta-se no modo Hybrid, que gere, automaticamente, a atuação de todas as fontes de energia. E fá-lo de forma muito inteligente, sempre com o objetivo de reduzir o consumo de combustível.

O tempo de recarregamento das baterias depende, necessariamente, do tipo de instalação elétrica. Utilizando-se uma tomada doméstica, menos potente (logo, mais lenta), a operação demora cerca de 6h00. No entanto, na compra do carro, a DS oferece wallbox de 7,4 kW. Ligando- a ao carregador de 3,3 kW fornecido de série, 100% de carga em 2h00.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

DS 7 Crossback

E-Tense 4X4

Motor térmico
Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 1598 cc
Alimentação Inj. direta, turbo, intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16 v
Potência 200 cv/5500 rpm
Binário 300 Nm/3000 rpm
Motor elétrico
Tipo Síncrono de íman permanente
Potência 110 cv (F)+112 cv (T)
Binário 320 Nm (F)+166 Nm (T)
Bateria Iões de lítio
Capacidade da bateria 13,2 kWh
Módulo Híbrido
Potência 300 cv
Binário 520 Nm
Transmissão
Tração Integral
Caixa de velocidades Automática de 8 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Ind. Multibraços
Travões F/T Discos ventilados
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/10,5 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,570/1,895/1,620 m
Distância entre eixos 2,738m
Mala 555-1752 litros
Depósito de combustível 43 litros
Pneus F 205/55 R19
Pneus T 205/55 R19
Peso 1900 kg
Relação peso/potência 6,33 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 235 km/h
Acel. 0-100 km/h 5,9 s
Consumo médio 1,3 l/100 km
Emissões de CO2 30 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 2 anos sem limite de km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 137,14 €

Medições

DS

Acelerações
0-50 km/h 2,2 s
0-100 / 130 km/h 5,5 s
0-400 / 0-1000 m 13,7 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 2,4 s
60-100 km/h (D) 3,0 s
80-120 km/h (D) 3,5 s
Travagem
100-0/50-0km/h 36,5/9,1 m
Consumos
Consumo médio 3,8 l/100km
Autonomia 1131 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE