Citroën C5 Aircross 1.2 PureTech

O bom gigante

TESTE

Por Paulo Sérgio Cardoso 03-10-2020 09:05

Fotos: Gonçalo Martins

O maior dos SUV da Citroën pode acolher um dos mais pequenos motores do Grupo PSA! Com o 1.2 turbo a gasolina, de três cilindros, o C5 Aircross tem preço-canhão (a partir de 28.487 €), pelo que resta saber se os 130 cv chegam para as encomendas.

C5 lateralO C5 Aircross tem o dom de ser diferente. Para o seu modelo maior e atual topo de gama, a Citroën não se coibiu em adaptar os apontamentos de personalidade semeados no mais pequeno C3, facilitando ao SUV o ar bonacheirão que se mistura com as formas avolumadas face ao segmento – Nissan Qashqai, Seat Ateca ou Mazda CX-30 são alguns dos potenciais concorrentes.

Além dos 4,5 metros de comprimento, aquela dianteira alta e com zona de capot muito bem definida (não se assuste: este carro paga Classe 1 nas portagens nacionais!) contribui para a restante orientação da carroçaria, com generosa altura ao solo (230 mm), mesmo sendo este um SUV de tração dianteira sem pretensões trialeiras, mas que se permite a utilização versátil caso seja necessário enfrentar pisos mais irregulares. Versatilidade é mesmo um dos temas fortes do C5 Aircross, corroborado quer pelo acesso fácil a todos os cinco espaçosos e confortáveis lugares, em particular os traseiros, onde existem três bancos individuais e ajustáveis, qual monovolume – deslizam 15 cm sobre calhas e permitem regulação do ângulo das costas. Ainda mais atrás, a bagageira é das mais generosas, com 580 litros base e possibilitando a organização espacial do compartimento através de piso de carga amovível. Por baixo, existe ainda espaço para uma (opcional) roda suplente.

C5 interior posição de conduçãoTodas estas qualidades familiares não têm de estar obrigatoriamente associadas a interiores enfadonhos… Os bancos, além de imensamente cómodos (filosofia Citroën Advanced Confort) não abdicam de mais uma nota de personalidade, quer pelo duplo tom do tecido, quer pela faixa laranja nas costas. Além do monitor tátil de 8’’ no topo da consola central que reúne as principais funções de bordo, o painel de instrumentos não dispensa a apresentação digital (12,3’’) com diversos cenários de visualização – e não se pense que são iguais aos do primo Peugeot 3008: as vistas do C5 Aircross são originais. A posição de condução, sendo alta e dando prioridade à vista sobre a estrada e ampla visibilidade periférica, resulta bem centrada com o volante e alavanca da caixa. Os botões de ignição e do travão de mão elétrico estão colocados à frente da alavanca, algo afastados do contacto direto.

O principal mote deste teste é a motorização base, a cargo do pequeno tricilíndrico 1.2 turbo a gasolina, de 130 cv, e de como este C5 Aircross pode representar um bom negócio e alternativa face a muitas propostas Diesel (combustível ainda preferido) neste segmento. A versão Fell Pack, em análise, está obrigatoriamente associada à caixa manual de 6 velocidades, podendo o 1.2 PureTech ser combinado com a caixa automática de 8 relações apenas nos níveis de equipamentos mais dotados.

C5 traseiraComo em quase tudo na vida, o bom-senso na utilização ditará a validade desta mecânica. Não se esperem acelerações estonteantes (ver medições), mas conte-se com desempenho muito elástico nos regimes baixos e médios, personalidade mecânica que quase faz esquecer a curta capacidade da mesma. Poucos dirão que motor tão pequeno poderá mexer desta forma um carro tão grande, embora o C5 conte com peso contido (em vazio). Trabalhando um pouco as relações de caixa, desmultiplicando cedo e mantendo a fluidez na condução, os consumos podem ficar em torno dos 7 l/100 km, mas conte-se com médias gerais reais mais perto dos 7,5-8 litros, ou seja, nada exageradas para mecânica a gasolina e considerando o diferencial de preço (3820 €) para o 1.5 Diesel BlueHDI de 130 cv. Em autoestrada poderão ser sentidas algumas limitações, nada que uma redução de caixa não resolva – até porque os valores medidos para as retomas de velocidade são extremamente satisfatórios. Atitude mecânica que, no cômputo geral, se adequa à restante forma de ser deste SUV, onde quase tudo está orientado para o conforto e facilidade de utilização, caso das ligações ao solo de amortecimento brando ou direção leve e desmultiplicada.

c5 jantesOutra das fações tentadoras deste negócio são os equipamentos incluídos na versão Feel Pack, ganhando destaque o sistema de navegação, as jantes de 18’’ com pneus Michelin Primacy 4, rebatimento elétrico dos retrovisores, climatização automática independente, Mirror Link aceitando ligações Apple Car e Android Auto ou sensores de parqueamento à frente e atrás com câmara traseira. Tudo contribui para a referida sensação de bem-estar generalizado, somando-se as muitas ajudas eletrónicas que tranquilizam a condução – consultar a ficha de equipamento.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

CITROËN C5

Aircross 1.2 Puretech Feel Pack

Motor
Arquitetura 3 cilindros em linha
Capacidade 1199 cc
Alimentação Inj. direta, turbo, intercooler
Distribuição 2 a.c.c./12 v
Potência 130 cv/5500 rpm
Binário 230 Nm/1750 rpm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Manual de 6 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/10,7 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,500/1,840/1,654 m
Distância entre eixos 2,73m
Mala 580-1630 litros
Depósito de combustível 53 litros
Pneus F 225/55 R18
Pneus T 225/55 R18
Peso 1479 kg
Relação peso/potência 11,4 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 188 km/h
Acel. 0-100 km/h 10,5 s
Consumo médio 6,4 l/100 km
Emissões de CO2 144 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 2 anos sem limite de km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 25000 km
Imposto de circulação (IUC) 171,69 €

Medições

CITROËN

Acelerações
0-50 km/h 4,1 s
0-100 / 130 km/h 12,1 s
0-400 / 0-1000 m 18,4/33,3 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 6,7 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 6,4/7,9/10,5 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 8,9/11,8/16,9 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37,3 m
Consumos
Consumo médio 7,6 l/100km
Autonomia 697 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE