Melhores prestações com mais 40 cv ‘elétricos’ A potência do motor elétrico aumenta para 64 cv ou 113 cv ‘máximos’ durante 10 segundos em aceleração, na denominada função XtraBoost (’overboost’) Percorrem-se cerca de 40 km em modo elétrico Sistema híbrido que evolui do da geração anterior, associando ‘dois litros’ a gasolina de 184 cv e motor elétrico mais potente e bateria de maior capacidade No modo Sport do programa ‘experiência de condução’, a instrumentação adquire tonalidade vermelha. Qualidade de construção elevada Três ações que podem ser induzidas ao sistema híbrido pelo condutor, segundo as suas preferências: modo desportivo, para rendimento máximo de 292 cv; modo híbrido, em que o tecnologia gere automaticamente as intervenções dos dois motores; e modo 100% elétrico Ativando-se XtraBoost (vermelho) no modo Sport do programa ‘experiência de condução’ ganham-se 45 cv durante 10 segundos Função Battery Control permite guardar a carga da bateria e/ou recarregá-la mais rapidamente através da energia do motor térmico Bagageira perde relevantes 105 litros, para 375 litros, de volumetria, devido à instação da bateria do motor elétrico por trás dos bancos Carregamento externo é altamente recomendável para otimizar a rentabilidade económica proporcionada pelo sistema híbrido A nova geração trouxe ganhos de dinamismo e conforto de rolamento ao Série 3, que mantém o tradicional envolvimento do condutor com o automóvel típico da BMW, beneficiando desde logo da posição muito correta ao volante Habitabilidade no banco posterior está a nível elevado, com beneplácito do trabalho da BMW no aproveitamento do espaço no novo Série 3

BMW 330e Berlina

Mais forte, mais longe

TESTE

Por Ricardo Jorge Costa 27-06-2020 19:40

Fotos: Gonçalo Martins

O fenómeno da hibridização do automóvel está em curso e é imparável até melhor alternativa aos motores de combustão. Mas a otimização da tecnologia já atingiu um patamar muito acima do simples conceito ambientalista, compatibilizando performances e eficiência, que é, afinal, o que se pretende com estas motorizações.

Um automóvel híbrido não só está longe de ser um ambientalista intolerante à rapidez das performances, como poderá ser ainda mais veloz consumindo menos do que os seus congéneres alimentados exclusivamente a gasolina ou a gasóleo. Daqueles é exemplo a 2.ª geração do BMW 330e, híbrido plug-in a gasolina, mais potente e com maior capacidade da bateria, daí resultando prestações e eficiência no consumo de combustível igualmente superiores.

bmw 330e exteriorO módulo híbrido, que o fabricante alemão denomina de eDrive, é formado por motor a gasolina de quatro cilindros, dois litros, turbo, a debitar 184 cv, e um motor elétrico que produz potência contínua de 68 cv (50 kW) e uma potência de pico durante 10 segundos (em overboost, ou como a BMW chama, XtraBoost) de 113 cv (83 kW). Daí resultam dois níveis de potência, um disponível em permanência, de 252 cv, e outro naquele espaço temporal, de 292 cv, em aceleração máxima e só disponível quando está ativado o modo Sport do programa de condução. Ambos os motores enviam energia às rodas traseiras através de transmissão automática de oito velocidades do tipo com conversor de binário.

bmw 330e energia eletricaA unidade elétrica funciona em simultâneo com a térmica, contribuindo para o rendimento conjunto, ou em exclusivo na motorização do veículo até cerca 40 km (60 km anunciados) e a velocidades até 140 km/h (mais 20 km/h do que no anterior 330e. Deve-o à bateria que o alimenta ser de maior capacidade (12 kWh, mais 4,4 kWh).

O motor de zero emissões é também mais potente (25 cv) em potência máxima (no referido XtraBoost) do que no modelo de 2016, conferindo energia extra para otimizar as performances do novo 330e. Estas condizem com o rendimento mecânico – são elevadas. A demonstrá-lo, a aceleração de zero a 100 km/h em apenas 6,1 segundos (medidos neste teste), que, na prática, traduz-se em respostas com grande elasticidade desde baixas rotações (vide recuperação 40-80 km/h em 2,6 segundos) e abundante fluxo energético e sempre consistente em ampla faixa de regime. A caixa funciona sempre a preceito na otimização do funcionamento do(s) motor(es), assegurando passagens e reduções sem hiatos e com a comodidade que o seu automatismo confere à condução.

botoes consola bmw 330eEm paralelo com as prestações do automóvel, está a economia do consumo de combustível, que determina a mais-valia, ou não, do 330e – e de todas os híbridos de ligar à tomada - sobre as versões exclusivamente a combustão da gama. E deve dizer-se que não é, de todo, linear, dependendo da otimização dos recursos tecnológicos do sistema híbrido – e do tipo de condução, obviamente – ao dispor do automobilista, que fazem com que a eficiência varie, por vezes substancialmente.

A utilização mais económica deste BMW é, sem dúvida, ligando-o à tomada no final de cada dia/viagem, recarregando totalmente a bateria para poder usufruir, o mais possível, do funcionamento 100% elétrico com energia proveniente da rede. Também se usufrui daquela, mas através do sistema de regeneração das travagens e desacelerações – nunca com a mesma capacidade geradora de eletricidade –, ou do motor de combustão – com maior eficácia, mas altamente penalizadora do consumo, existindo mesmo uma função (ativada por botão na consola) que a induz (modo Batery Control), e que é de utilização recomendável a velocidade mais altas e estabilizadas para guardar energia para trajetos a ritmos mais lentos, como os urbano, onde aquela é mais rentável.

bmw 330e exterior traseiraApós 100 km, em que cerca de 40 km podem ser quase exclusivamente em modo EV – porque é difícil que seja a 100% num percurso diversificado e sem zelo extremoso pela poupança –, e os restantes 60 km foram geridos pelo sistema, o consumo médio de gasolina rondará, com facilidade, apenas 3 litros, o que comprova a competência da tecnologia. Entenda-se gestão, deixar ao critério do módulo híbrido as entregas de energia das duas fontes, ainda que o condutor poderá sempre forçar as funções de modo EV (desde que haja bateria suficiente) e de modo de salvaguarda de eletricidade (referido Batery Control).

bagageira bmw 330eA bateria sob o banco traseiros, o que implicou a perda de significativos 105 litros de capacidade da bagageira, comparativamente às versões apenas de combustão, para 375 litros. Para aumentar a volumetria daquela, rebatem-se os encostos dos bancos posteriores (na proporção 40:20:40), com a incontornável supressão de lugares na lotação do veículo.

O BMW 330e é alternativa compensadora às versões de combustão comparáveis do Série 3, sem constrangimentos que pudessem advir da sua tecnologia… alternativa, a não ser uma simples, intuitiva e, quiçá, lúdica mudança de hábitos de condução para maximizar a eficiência, afinal a principal mais-valia deste conceito de motorização. De resto, dinamismo e conforto similares aos dos não-híbridos da gama. Apenas uma ligeira diminuição da capacidade de carga.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

BMW Série 3

330e Berlina

Motor térmico
Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 1998 cc
Alimentação Injeção direta, Turbo, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16 v
Potência 184 cv/5000-6500 rpm
Binário 290 Nm/1350-4250 rpm
Motor elétrico
Tipo -
Potência 113 cv (83 kW)
Binário -
Bateria Iões de lítio
Capacidade da bateria 12 kWh
Módulo Híbrido
Potência 292 cv
Binário 420 Nm
Transmissão
Tração Traseira
Caixa de velocidades Automática de 8 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo multibraços
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/10,4 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,709/1,827/1,442 m
Distância entre eixos 2,851m
Mala 375 litros
Depósito de combustível 40 litros
Pneus F 225/50 R17
Pneus T 225/50 R17
Peso 1815 kg
Relação peso/potência -
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 230 km/h
Acel. 0-100 km/h 5,9 s
Consumo médio 1,4 l/100 km
Emissões de CO2 31 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica -
Pintura/Corrosão -
Intervalos entre revisões -
Imposto de circulação (IUC) -

Medições

BMW

Acelerações
0-50 km/h 2,5 s
0-100 / 130 km/h 6,1 s
0-400 / 0-1000 m 14,3 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 2,6 s
60-100 km/h (D) 3,2 s
80-120 km/h (D) 3,7 s
Travagem
100-0/50-0km/h 36,2/9,3 m
Consumos
Consumo médio 3 l/100km
Autonomia 1000 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE