Mazda 3 CS Skyactiv-X

Gasolina Diesel

TESTE

Por Ricardo Jorge Costa 05-04-2020 18:10

Fotos: Gonçalo Martins

Reconheçamos a expectativa redobrada à partida para este teste ao Mazda3, modelo lançado em geração totalmente nova - aqui na variante de carroçaria de quatro portas Sedan (CS) -, mas sobretudo pela estreia na berlina de motor dotado de tecnologia inovadora.

O denominado Skyactiv-X da Mazda é um bloco a gasolina de dois litros, injeção direta, sobrealimentado por compressor volumétrico, de 180 cv e binário máximo especialmente baixo de 224 Nm. Recorrendo-se do sistema SPCCI (Ignição por Compressão Controlada por Faísca), a mecânica alterna entre a ignição por faísca convencional (dos motores a gasolina) e a combustão através de ignição por compressão (dos motores gasóleo), recorrendo a uma faísca para despoletar ambos os processos de combustão. AUTO FOCO já tinha analisado o Skyactiv-X – explicando- o tecnicamente em detalhe – no crossover CX-30 com caixa manual, e as impressões foram dúbias. Na segunda chamada, o novo motor fetiche da Mazda apresenta-se ainda num modelo compacto, mas agora na berlina Mazda3 CS e com transmissão automática.

Desde logo, um primeiro mérito, ainda sem passar do papel: as emissões de CO2 homologadas, no novo ciclo WLTP, são relativamente baixas para os níveis de cilindrada e potência. Assim, já meia conquista para a Mazda, porque este foi assumidamente um dos objetivos da marca com a criação deste motor.

Mas passemos sem mais delongas, à condução: assim, pressionando o botão no tablier estreito, mas muito bem construído, dá-se ignição. Até aqui tudo igual, o arranque do motor faz-se por ignição com faísca convencional e o ralenti, a frio, é o mesmíssimo de um bloco a gasolina, suave no ruído e nas vibrações. Engrena-se depois a caixa de seis velocidades, convencional com conversor de binário, e pressiona-se o acelerador sem ímpeto, fazendo o Mazda3 movimentar-se com condizente tranquilidade. Ao entrar-se em condução normal do veículo, em estrada nacional ou cidade, pressente-se a boa elasticidade do motor desde baixos regimes, com a transmissão corresponder a preceito. O binário, repita-se, é baixo, mas parece superior. A rotações inferior e intermédias, o Skyactiv-X tem um desempenho adequado ao seu nível de potência, mas quando se puxa pela mecânica, esta transfigura-se para pior. Perde a discrição na sonoridade e começa a claudicar nas performances.

A culpa desta degeneração não é do motor, mas da caixa automática, que perde a compostura quando é mais solicitada, tornando-se hesitante nalguns momentos e impetuosa noutros, ora mantendo o motor a regimes demasiado baixos, ora deixando-o a rotações demasiado altas, com prejuízo das prestações, do consumo, da sonoridade, do conforto - na generalidade, da condução do automóvel. Como atenuante à parcimónia e indecisão da transmissão é recomendável, sempre que se pretende agilizar as performances, utilizá-la com programa de condução do veículo selecionado em modo Sport. Todavia, com isso perde-se a eficiência do motor, que é bastante, ressalve-se, perdendo- se o comedimento do consumo, que se pode manter numa média inferior a 7 litros/100 km, muito satisfatória para 2.0 de 180 cv. Conte-se, então, com valores próximos dos 9 l/100 km.

Em suma, o Skyactiv-X com caixa automática deve ser conduzido a regimes baixos e intermédios, evitando os altos – ou nestes últimos ser o condutor a comandar a transmissão, existindo patilhas no volante para o fazer sem incómodo de manusear o seletor do tipo alavanca na consola entre os bancos. Com aquele critério, o motor cumpre otimamente os pressupostos num automóvel compacto como o Mazda3, um dos melhores do seu segmento a compatibilizar eficácia e conforto no comportamento dinâmico. Ênfase para a competência do amortecimento, suave na filtragem das irregularidades do piso, sem penalizar a agilidade da berlina em curva, estável e segura. A dourar o dinamismo, a direção, precisa e comunicativa.

A qualidade de construção do habitáculo, no limiar dos produtos premium, a ampla dotação tecnológica - em que se contam inúmeros sistemas modernos de assistência à condução -, não tem o devido acompanhamento da habitabilidade, uns furos abaixo do segmento nos lugares posteriores, aos mesmo nível da do Hatchback. No formato de carroçaria tricorpo também se impõem contingências desta conceção, por um lado, com efeito positivo, na maior volumetria da bagageira, por outro, negativo, pelo acesso ao compartimento condicionado da boca de carga mais exígua e a menor versatilidade do acondicionamento da bagagem, igualmente restringida pela estrutura da carroçaria, que delimita claramente os dois espaços físicos interiores, o habitáculo e a bagageira. Apesar disso, os bancos posteriores rebatem, tal como os congéneres de cinco portas.

O inovador motor Skyactiv-X cumpre a preceito as suas atribuições, que mais do que grandes prestações que pressupõem os dois litros de cilindrada e os 180 cv, é a relação entre estas e a eficiência no consumo e nas emissões de CO2. No entanto, esta mecânica que compatibiliza algumas das mais apreciadas virtudes dos blocos a gasolina e dos Diesel merecia uma caixa automática mais competente. A rever pela Mazda. Tal como o preço, elevado para o segmento.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

MAZDA 3

CS SKYACTIV-X

Motor
Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 1998 cc
Alimentação Injeção direta
Distribuição 2 a.c.c./16v
Potência 180 cv/6000 rpm
Binário 224 Nm/3000 rpm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Automática de 6 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11,38 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,660/1,795/1,440 m
Distância entre eixos 2,725m
Mala 450 - 1138 litros
Depósito de combustível 51 litros
Pneus F 215/45 R18
Pneus T 215/45 R18
Peso 1351 kg
Relação peso/potência 7,5 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 216 km/h
Acel. 0-100 km/h 8,6 s
Consumo médio 6,2 l/100 km
Emissões de CO2 142 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 3 anos ou 100.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 208,7 €

Medições

MAZDA

Acelerações
0-50 km/h 3,3 s
0-100 / 130 km/h 8,9 s
0-400 / 0-1000 m 17 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 4,1 s
60-100 km/h (D) 5,4 s
80-120 km/h (D) 7,1 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37,5/9 m
Consumos
Consumo médio 7 l/100km
Autonomia 728 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE