Volvo V60 D4 Cross Country Momentum

Fora da caixa

TESTE

Por João Ouro 15-03-2020 18:40

Fotos: Gonçalo Martins

A nova variante Cross Country é praticamente decalcada da versão V60 normal, recorrendo à plataforma SPA (Scalable Product Architecture) utilizada nos mais recentes automóveis Volvo, nada menos do que nos XC60 e XC90 (SUV), assim como nos familiares S90 e V90. No entanto, esta variante assume várias modificações ao nível do chassis e da carroçaria, além de ter uma distância ao solo mais elevada (75 mm), assim como proteções inferiores extra, acrescentando outros para-choques, estribos e spoilers inferiores, algo que lhe permite encarar com à vontade certas incursões TT. A tração integral (AWD por embraiagem multidisco, variando até 50:50 por eixo) é outro recurso a ter em conta para que possa enfrentar terrenos mais difíceis, incluindo programa Off Road específico (atua no acelerador, na caixa, na eletrónica e na travagem…) e sistema HDC (Hill Descend Control) que facilita a passagem por declives íngremes, travando automaticamente consoante a inclinação. Os pneus da versão em teste são de… estrada, neste caso Pirelli PZero Rosso 235/45 R19 (opcionais), cujo compromisso é excelente, mesmo que a eficácia no piso molhado ou demasiado escorregadio até pudesse ser superior (imobilização desde 100 km/h acima de 38 m), sem prejuízo da segurança, mas a exigir cuidado nalguns trilhos.

O ruído de rolamento não é nada elevado e os índices de conforto devem ser elogiados, algo que transita para os ambientes fora-de-estrada, onde o desempenho da suspensão não regride, antes pelo contrário, parecendo que está muito habituada a esses desafios. Sem solavancos, estremecimentos ou ruídos! Em estrada acontece o mesmo, apesar da maior resistência aerodinâmica gerada pelo peso (1815 kg) e, como já se disse, pela altura ao solo (21 cm no total, quase igual à da do SUV XC60), sendo esses fatores indissociáveis do comportamento dinâmico, embora só entrem mais a jogo quando a velocidade aumenta, estando o limite circunscrito aos 210 km/h.

O motor Diesel D4 de 190 cv (4 cilindros) progride sempre com imenso à vontade, bem auxiliado pela transmissão automática de 8 relações, a qual não exibe grande arrastamento a baixo regime e nem sequer é muito hesitante nas passagens, embora até pudesse ser mais rápida nas trocas sequenciais, as quais podem ser operadas através das patilhas no volante ou no seletor.

O arranque até aos 100 km/h é cumprido em 8,8 segundos e as principais recuperações são suficientemente rápidas, como se comprova pela retoma de 80 a 120 km/h em apenas 6,7 segundos. É possível selecionar vários modos de condução, desde o mais poupado ECO, passando pelo Comfort, até ao Dynamic, além do já referido Off Road. No programa Dynamic há outra intensidade por parte do motor e da aceleração, ao mesmo tempo que a assistência da direção se modifica (para melhor...!), assim como as leis da transmissão, embora essas alterações não sejam radicais, uma vez que se está na presença de uma carrinha familiar mais virada para o lado do... conforto. Mais assertiva, é certo, mas sem exagero.

A acústica do bloco Diesel não é elevada, embora pudesse estar mais dissimulada, dissipando-se à medida que se eleva a velocidade ou se conduz num andamento estabilizado, sem que haja vibrações excessivas. A resposta conjunta da mecânica até podia ser mais suave nas acelerações bruscas, a baixa rotação, uma vez que a transmissão acaba por reagir aí de forma menos elegante... Maiores elogios para os consumos apurados, cuja média atinge com frequência valores de 7,6 a 7,8 litros por 100 km, às vezes um pouco mais, mas sem que haja grandes oscilações.

À imagem de outros adversários, tais como Audi A4 allroad ou VW Passat Alltrack, por exemplo, o tamanho da carroçaria é do tipo familiar e isso também se nota na amplitude do habitáculo. Nesse domínio não há (quase) nada a criticar, sobrando até vários elogios para os acessos ao interior, inclusive ao posto de comando, assim como para o abundante espaço na 2.ª fila e para a volumetria da bagageira (530 litros), cuja funcionalidade é ainda ampliada através de alguns detalhes originais, desde encostos e apoios de cabeça atrás que rebatem num único movimento, à chapeleira do tipo elevatório (sobe automaticamente, embora nem sempre se fixe convenientemente…), existindo ainda um estrado divisório na plataforma de carga (a meio) e uma espécie de fundo falso à entrada, por baixo e no lugar do ausente pneu suplente. A abertura elétrica do portão da bagageira não é lenta, mas a dos vidros, por vezes, é estranhamente demorada. Já se sabe que a rede elétrica a bordo tem muitas solicitações, mediante tanta mordomia e tantos equipamentos de conforto, entre os quais é possível destacar os bancos em couro Ambar (com ajustes elétricos) e o teto panorâmico (de abrir), incluindo vários packs de ordem funcional.

 

Na segurança, destaque para o inevitável alerta de mudança de faixa com correção automática da trajetória, assim como para o moderno head-up display, com novo grafismo e melhor leitura. Se existir o perigo imediato de colisão frontal surge um alerta no para-brisas, bem à frente dos olhos do condutor, como se se tratasse de uma espécie de clarão a vermelho. Pode assustar, mas é eficaz. O City Safety (travagem automática) e o Pilot Assist (cruise control) reforçam essa vertente tão colada à Volvo.

A diferença de preço da variante Cross Country (6700 € acima da V60 normal) justifica-se pela inclusão da tração integral, pelo equipamento mais abundante e pela imagem diferente. Está mais perto de alguns modelos SUV, mas sem perder as qualidades inerentes à tipologia carrinha, tendo um habitáculo amplo e funcional. É um automóvel confortável e seguro, até porque a maior altura ao solo não afeta demasiado a eficácia a curvar. Ótima estabilidade e excelente ritmo...

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

VOLVO V60

D4 Cross Country Momentum

Motor
Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 1969 cc
Alimentação Inj. direta CR, TGV, intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16v
Potência 190 cv/4250 rpm
Binário 400 Nm/1750-2500 rpm
Transmissão
Tração Integral (AWD)
Caixa de velocidades Automática de 8 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo multibraços
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11,3 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,784/2,040/1,499 m
Distância entre eixos 2,875m
Mala 530 - 1441 litros
Depósito de combustível 60 litros
Pneus F 8,5jx19 - 235/45 R19
Pneus T 8,5jx19 - 235/45 R19
Peso 1815 kg
Relação peso/potência 9,6 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 210 km/h
Acel. 0-100 km/h 8,2 s
Consumo médio 5,9 l/100 km
Emissões de CO2 155 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 2 anos sem limite de km
Pintura/Corrosão 2/8 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 258,78 €

Medições

VOLVO

Acelerações
0-50 km/h 2,8 s
0-100 / 130 km/h 8,8 s
0-400 / 0-1000 m 16,3 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 4,2 s
60-100 km/h (D) 5,3 s
80-120 km/h (D) 6,7 s
Travagem
100-0/50-0km/h 38,3/9,2 m
Consumos
Consumo médio 7,6 l/100km
Autonomia 789 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE