BMW 118i

Virar de página

TESTE

Por Paulo Sérgio Cardoso 08-02-2020 15:05

Fotos: Gonçalo Martins

A BMW teve nas duas anteriores gerações do Série 1 (entre 2004 e 2018 foram comercializadas 1,3 milhões de unidades) o único compacto do mercado com tração traseira. Configuração que sempre diferenciou o modelo em matéria de condução e sensações ao volante e o aproximou de clientes que realmente gostam de conduzir e não apenas de se transportarem entre dois pontos.

O certo é que os custos falam mais alto, pelo que a marca teve (à terceira) de fazer uso de recursos técnicos já existentes, assentando a nova geração do Série 1 na plataforma de tração dianteira que já viu nascer os atuais Mini e os Série 2 Active e Gran Tourer.

Se tecnicamente as mexidas são de extrema importância e de contributo total para a nova configuração de carroçaria e expressão dinâmica, deixamos no ar a questão: qual a percentagem de clientes que irá sentir na pele este virar de página na história do Série 1? Quantos darão conta (ou importância) de ser agora tração dianteira? Muitos irão apenas querer um BMW Série 1...

Com tração às rodas da frente e motor em posição transversal até se permite à distância entre eixos encurtar 20 mm para que o habitáculo surja bem mais amplo na oferta de espaço para ocupantes (quase mais 5 cm para pernas) e bagagem (20 litros extra). Ao vivo, é nítida a perceção de uma carroçaria mais volumosa, espelhando os 34 mm a mais na largura e os 13 suplementares na altura, com o desenho esticado das óticas traseiras a contribuir para essa sensação visual, algures entre uma pseudo carrinha Série 1 e um X2.

O interior oferece de tudo o que se deseja num compacto premium, desde correta posição de condução a uma disposição ergonómica atual, com os poucos botões a surgir na consola entre os bancos dedicados à dinâmica, caso dos comandos dos modos de condução, travão elétrico e botão rotativo do iDrive. No topo, em posição cimeira, o monitor tátil que pode agora ser igualmente comandado por gestos (opcional, por 310 €), com grafismo moderno, embora a variante da unidade ensaiada obrigue ao investimento de 2060 € por ser parte do Live Cockpit Professional, agregado ao sistema de navegação com monitor de maiores dimensões (10,25’’) e painel de instrumentos totalmente digital, de igual medida – solução herdada de segmentos mais altos e aqui adaptada às dimensões do Série 1. Aliás, o mais compacto dos modelos da BMW inclui forte aposta na conectividade, com a oferta de diversos serviços de ligação do carro ao mundo exterior, caso do informativo ConnectDrive, Tele Services (assistência técnica à distância) e ainda aos serviços Concierge. Com o opcional carregador indutivo de aparelhos móveis (410 €), some-se a presença de Hotspot WiFi a bordo. A climatização, sendo automática, peca por não incluir de série a regulação independente da temperatura nem saídas de ventilação traseiras.

No (novo) mundo da suavidade

É notória a distinta atitude dinâmica do novo Série 1, com refinamento extra das ligações ao solo, tato da direção e trabalho conjunto da caixa automática de dupla embraiagem e 7 relações com a mecânica de três cilindros e 1,5 litros de capacidade, a gasolina, cujos 140 cv caracterizam esta versão 118i. Conjunto que está preparado para oferecer condução fluida e descontraída no quotidiano, isolando o condutor do trabalho da mecânica, com passagens de caixa quase impercetíveis e ausência de ruídos – apenas o liga/desliga da mecânica com o start/stop ativo pode levar algumas trepidações ao habitáculo.

Neste mundo agora mais filtrado, nem a boa performance do motor chega a ser percetível, pois puxando-se um pouco mais pela rotação, o ruído é de esforço e não de entrega. Como tal, o 118i parece ter sido concebido à luz das mais clássicas regras de boa educação dinâmica, exprimindo-se depois com chassis bem agarrado à estrada, dono de ótima estabilidade e motricidade, mas sem o conduto sensorial de outros tempos. Ou seja, competência acima de identidade dinâmica, onde a travagem também se mostrou de grande equilíbrio – tudo em prol da segurança. A suspensão, embora mantendo o timbre de firmeza premium para garantir a contenção de movimentos da carroçaria em curva, tem o condão de ser agora bem mais indiferente ao estado do piso.

Não é uma crítica, é apenas uma característica: a nova geração do Série 1 abdicou do lado mais sensorial da condução para se dedicar a objetivos premium focados no bem-estar a bordo, nas capacidades de uso familiar e nos elementos/ serviços que aproximem o condutor do mundo exterior, via smartphone. A nova tendência ergonómica convence, embora não tivéssemos ficado fãs das múltiplas arestas e superfícies que dão forma ao tablier, nem dos bancos (firmes e com parco apoio) propostos com a Linha Luxury. Por outro lado, apreciamos o ambiente noturno a bordo e toda a delicadeza dinâmica com que o condutor é agora tratado.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

BMW Série 1

118i

Motor
Arquitetura 3 cilindros em linha
Capacidade 1499 cc
Alimentação Injeção direta, turbo
Distribuição 2 a.c.c./12 v
Potência 140 cv/4200-6500 rpm
Binário 220 Nm/1480-4600 rpm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Auto, dupla embraiagem, 7 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo multibraços
Travões F/T Discos ventilados
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11,4 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,319/1,799/1,434 m
Distância entre eixos 2,67m
Mala 380-1200 litros
Depósito de combustível 42 litros
Pneus F 7jx16 - 205/55 R16
Pneus T 7jx16 - 205/55 R16
Peso 1395 kg
Relação peso/potência 10 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 213 km/h
Acel. 0-100 km/h 8,5 s
Consumo médio 6,2 l/100 km
Emissões de CO2 140 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 2 anos sem limite de km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 136,72 €

Medições

BMW

Acelerações
0-50 km/h 3,3 s
0-100 / 130 km/h 8,8/14,5 s
0-400 / 0-1000 m 16,5/30 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 4 s
60-100 km/h (D) 4,8 s
80-120 km/h (D) 6,3 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37,2/9,3 m
Consumos
Consumo médio 7,6 l/100km
Autonomia 552 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE