Audi SQ2 TFSI Quattro

Como ferve

TESTE

Por Vítor Mendes da Silva 21:00

Fotos: Gonçalo Martins

Na categoria dos hot hatch, termo popularizado nos idos 80, encaixam as versões superdesportivas das berlinas compactas no mercado, do Ford Fiesta ST ao Polo GTI, do Renault Mégane R.S. ao Seat Leon Cupra.

Mas, sinal dos tempos, eis que começa a criar-se um especial alarido em torno de subdivisão nova, a dos hot SUV! Nesta nova categoria, só compactos com o insuflado formato da moda, em modo vincadamente racing.

A Audi acaba de entrar neste campeonato com o SQ2, a versão mais musculada do Q2, que não sendo automóvel visualmente espalhafatoso, tem imagem de forte personalidade, quer por intermédio das grelhas dianteiras em preto brilhante, mas principalmente pela vista de traseira, dominada pelas quatro saídas de escape e agressiva decoração dos para-choques. Ficamos avisados ao que vamos... E o vermelhão da carroçaria condiz, porque o visual do super Q2… aquece.

Por dentro, mais detalhes vincadamente racing. O painel de instrumentos digital e configurável adota gráficos específicos e desenhos que aludem ao conceito da versão, especial. E também a instrumentação pode configurar-se à medida das exigências, adaptando os grafismos e as informações ao estilo de condução. A posição de condução, não ficando a dois palmos do asfalto que se pede a desportivo de gema, é ótima, devido à combinação da diversidade de regulações para o volante e bancos, com estes a contribuir para uma ideal sustentação lateral do corpo em curva.

O nível de performance exigiu preparação do chassis, com suspensão rebaixada (e mais firme) e discos de travão maiores. Mas o principal cartão-de-visita é mesmo o 2.0 TFSI, com sistema Valvelift, que otimiza o funcionamento das válvulas de escape e injeção dupla (direta e indireta), sempre disponível para acelerar, bem ajudado por uma caixa de dupla embraiagem e sete relações, mais curtas que o normal. A transmissão integral quattro (mantém os princípios dos outros Audi que a utilizam, com uma embraiagem central multidiscos de comando eletrónico, que só passa potência para as rodas de trás quando necessário), assegura que todos os Nm passam para o asfalto quando esmagamos o acelerador. E são 400, logo a partir das 2000 rpm e até às 5200 rpm. O motor é, sem dúvida, a estrela da companhia. Mas a forma como o SQ2 se guia sempre bem colado à estrada… Uma vez colocado em curva, basta acelerar e deixar que os 300 cv façam o resto, pois tudo corre sobre carris. Se chega a deixar-nos com pele de galinha, são outros quinhentos

Nas medições dinâmicas que efetuámos, recurso ao launch control que garante aceleração de 0-100 km/h em escassos 5,1 segundos e, apesar de toda a estampa de um SUV, nomeadamente na altura exagerada para desportivo, o SQ2 impressiona pela forma como sai disparado em aceleração e devora asfalto a toda a velocidade, mais parecendo contrariar as leis da Física.

Existem vários modos de condução disponíveis (quatro, mais um para personalização a gosto), que conjugam a resposta do motor ao acelerador com o tato da direção, sonoridade de escape, amortecimento e atuação da eletrónica de estabilidade (a qual pode ser adormecida em modo dynamic...).

E é no programa mais agressivo do sistema que se ativa a referida função especial para arranques balísticos, com a mecânica a assumir definições de pista: o motor 2.0 TFSI reage mais depressa aos movimentos no pedal do acelerador e as trocas das relações, velocíssimas são sublinhadas, sonoramente, pelo sistema de escape. Que transformação!

Já no modo mais confortável, que diferença! A suspensão com amortecimento ajustável, mesmo sendo 20 mm mais baixa que a dos outros Q2, o que permitiu reduzir a altura do centro de gravidade na mesma proporção, beneficiando o controlo das massas em todas as situações de condução rápida, opera com competência soberba. A direção com controlo dinâmico tem para esta versão uma afinação específica, mas ainda assim a condução poderia ser um pouco menos filtrada. 

Se alguma vez teremos insuflados SUV a fazer os tempos canhões dos verdadeiros hot hatch no Nürburgring, duvidamos! Mas que a fórmula racing adaptada ao formato da moda tem potencial, nenhuma dúvida. Provam-no modelos como este SQ2, automóvel perfeito de todos os dias, capaz de se transfigurar para oferecer desempenhos verdadeiramente desportivos, cortesia de excecional binómio motor/caixa, com afinação e equipamentos a condizer.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

AUDI SQ2

TFSI Quattro S Tronic

Motor
Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 1984 cc
Alimentação Inj. direta, turbo, intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16 v
Potência 300 cv/5300-6500 rpm
Binário 400 Nm/2000-5200 rpm
Transmissão
Tração Integral permanente
Caixa de velocidades Automática de 7 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Ind. Multibraços
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/10,8 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,210/1,802/1,524 m
Distância entre eixos 2,594m
Mala 355-1000 litros
Depósito de combustível 55 litros
Pneus F 8jx19-235/40 R19
Pneus T 8jx19-235/40 R19
Peso 1585 kg
Relação peso/potência 5,28 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 250 km/h
Acel. 0-100 km/h 4,8 s
Consumo médio 8,7 l/100 km
Emissões de CO2 163 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 4 anos ou 80.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 238,66 €

Medições

AUDI

Acelerações
0-50 km/h 1,7 s
0-100 / 130 km/h 5,1 s
0-400 / 0-1000 m 9,5 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 2,5 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 2,7 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 3,5 s
Travagem
100-0/50-0km/h 35,7/9,1 m
Consumos
Consumo médio 8,9 l/100km
Autonomia 617 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE