Opel Grandland X 1.2 Turbo AT8

Cada vez mais ‘dentro da caixa’

TESTE

Por Paulo Sérgio Cardoso 25-08-2019 09:00

Fotos: Gonçalo Martins

O Opel Grandland X é o primo mais formal do Peugeot 3008: se ambos diferem nos estilos e aos corações que querem conquistar, partilham a maioria dos órgãos mecânicos, neste caso do motor 1.2 turbo a gasolina, de 3 cilindros, e da caixa automática de 8 velocidades a que aquele se pode associar para superior descontração ao volante.

Independentemente do nível de equipamento ou da presença da caixa automática, o Grandland X com este pequeno motor 1.2 a gasolina é sempre 3000 € mais acessível face ao 1.5 Turbo D de 130 cv. O que, mesmo em momento em que as tendências de compra estejam a inverter (com os motores a gasolina a ganharem quota de mercado), o certo é que em modelo com as características mais familiares do Grandland X, esta mecânica só deverá ser alternativa real a quem percorra poucos quilómetros por dia e com utilização suportada em cenários de cidade e vias rápidas, sem pedidos de correrias. Porque, rolando-se com tranquilidade, tanto o motor como a caixa automática permitem a aguardada serenidade e descontração, com consumos de relativa moderação, em torno dos 8 l/ /100 km. Mas querendo- se um pouco mais de ímpeto, percebe- se o esforço extra da mecânica, que surge aliada a relações longas da caixa automática. E, como é do conhecimento geral, as transmissões automáticas funcionam melhor quanto mais binário tiverem à disposição. E, pese a disponibilidade do três cilindros, a caixa tende a procurar força que não existe... O comando manual/sequencial pode apenas ser operado via alavanca, não existindo patilhas no volante – o que se entende face às pretensões do SUV.

Em ritmo de autoestrada os consumos irão rondar os 7,2 l/100 km, cerca de 1,2 litros mais do que aferido com o 1.5 Turbo D, sendo que o Diesel é melhor companhia na manutenção de ritmos mais vivos e na forma mais expedita com que ganha velocidade. Enquanto SUV a rondar os 34 mil euros (o preço desta motorização 1.2 Turbo inicia- -se nos 29.090 € com caixa manual e nível de equipamento Edition), este Grandland X a gasolina é de uma enorme justiça face ao que oferece, complementado por forte sentido familiar, onde não falta muito espaço para passageiros no banco traseiro – ausência de túnel no chão ajuda a receber um terceiro elemento central atrás – e bagageira por demais generosa, que soma aos 514 litros base a possibilidade de gerir o espaço de carga mediante a presença de uma plataforma amovível que também pode ser colocada em duas alturas/posições.

A posição de condução resulta mais correta com caixa automática (não sendo preciso pisar a embraiagem), sendo ainda possível recorrer aos bancos totalmente em pele e dotados de ajustes elétricos, aquecimento e ventilação, cujos 2200 € ainda deixam margem para somar outras comodidades até esmagar os 3000 € que separam este gasolina face ao Diesel.

Mais normalizado do que inovador, o habitáculo rege-se pela presença de alguns pormenores de requinte, caso das costuras no tablier e nas laterais da consola central, ou ainda pela presença de iluminação LED nas bolsas das portas. O sistema mãos-livres é acompanhado pela sempre prática abertura e fecho automático da tampa da bagageira. O sistema multimédia em monitor tátil de 8’’, embora apelidado de IntelliLink, mais não é do que o software já conhecido na Peugeot/Citroën, tendo esta versão Innovation sistema de navegação incluído.   

A palavra chave do Grandland X, independentemente da versão, é competência. É um SUV extremamente espaçoso e funcional, bem equipado e onde é possível encaixar diversos opcionais tecnológicos de suporte à condução. Tem uma cuidada relação com a estrada, assente num pisar sólido e consistente e dinâmica pautada pela segurança. O motor 1.2 turbo de 130 cv fica à justa, bem acompanhado pela caixa automática se o mote for a descontração.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

OPEL Grandland X

1.2 TURBO AT8 INNOV

Motor
Arquitetura 3 cilindros em linha
Capacidade 1199 cc
Alimentação Inj. direta, Turbo, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./12v
Potência 130 cv/5550 rpm
Binário 230 Nm/1750 rpm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Automática de 8 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,477/1,856/1,609 m
Distância entre eixos 2,675m
Mala 514-1652 litros
Depósito de combustível 53 litros
Pneus F 7.5jx18 - 225/55 R18
Pneus T 7.5jx18 - 225/55 R18
Peso 1390 kg
Relação peso/potência 10,7 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 196 km/h
Acel. 0-100 km/h 10,4 s
Consumo médio 5,3 l/100 km
Emissões de CO2 121 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 2 anos sem limite de km
Pintura/Corrosão 2/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 137,26 €

Medições

OPEL

Acelerações
0-50 km/h 3,9 s
0-100 / 130 km/h 11/18,5 s
0-400 / 0-1000 m 17,8/32,5 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 5,2 s
60-100 km/h (D) 5,5 s
80-120 km/h (D) 8,1 s
Travagem
100-0/50-0km/h 35,5/8,8 m
Consumos
Consumo médio 7,8 l/100km
Autonomia 679 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE