No centro do painel é possível ativar ou desligar as várias assistências à condução: alerta de faixa, cruise-control ativo (ACC) e ângulo morto No ecrã central, o computador de bordo fornece vários dados relativos à condução e ao consumo (longo prazo, desde o abastecimento e arranque) Ecrã tátil de 8’’ para controlo das funções do ‘infotainment’, incluindo navegação Discover Media (Pacote Life Plus, por 993 €), Car-Net, App-Connect Basta deslizar o dedo no ecrã para sintonizar as estações de rádio. O sistema de som Beats (com 8 colunas, subwoofer na mala, 300W) é opcional: 363 € Novo volante em pele e posição de condução bem enquadrada, com ajuste em altura do banco e da coluna. A perna direita ‘colide’ demasiado com a consola, mas não é nada de (muito) grave, parecido até ao que acontece nalguns modelos da... Audi. O tato da direção está bem definido, sem exigir esforço O acesso é prático e o estrado da mala tem duas posições. Com o avanço dos bancos é esquisito que haja uma espécie de vão a ‘descoberto Bloco de 3 cilindros nada ruidoso, apesar das ressonâncias a frio, que se dissipam à medida que a velocidade aumenta e se estabiliza a rotação Posição de condução num plano ligeiramente elevado, como é muito comum neste tipo de modelos. Os bancos têm uma boa sustentação Os bancos avançam e recuam (14 cm) e a distância até aos encostos da frente é ampla. O comprimento dos assentos também é muito bom (apoio) Eficácia a curvar e a travar, sem que haja muita inclinação da carroçaria nessas situações. O ruído de estrada é baixo e as ligações ao solo (pneus, suspensão) permitem um excelente conforto, tendo em conta de que se trata de um automóvel do segmento B O T-Cross recorre à plataforma MQB e tem mais 5,4 cm no comprimento e 11,2 cm na altura do que o Polo. É ainda 12 cm mais curto que o T-Roc Consumo médio entre 5,8 e 6,5 litros por cada 100 km

VW T-Cross 1.0 TSI Life

Razões à vista

TESTE

Por João Ouro 18-08-2019 09:00

Fotos: Gonçalo Martins

A próxima proposta SUV da VW está prevista para 2020 e será totalmente elétrica: o I.D. Crozz. Para já, outro Cross, sem zês, com esses, que se junta à família crossover da marca, num portefólio europeu que inclui Tiguan, T-Roc, Tiguan Allspace (7 lugares) e Touareg.

O novíssimo produto é (quase) uma espécie de míni Tiguan e, em termos de dimensões, está posicionado abaixo do T-Roc de Palmela (fábrica de Setúbal da VW) e acima do utilitário Polo, do qual herda a base/chassis, recorrendo também à plataforma MQB A0, ambos com a produção em Pamplona (Espanha). Com o total de 4,11 m de comprimento, tem menos 12 cm do que o T-Roc e mais 5,4 cm que o Polo, acrescentando 11,2 cm na altura em relação ao último.

A gama propõe o motor 1.0 TSI de injeção direta a gasolina nas configurações de 95 cv e 115 cv, com transmissão manual de 5 e 6 velocidades, respetivamente, embora também se possa optar pela automática DSG (7 relações) no TSI mais potente. Mais tarde surgirá o propulsor Diesel 1.6 TDI de 95 cv e, provavelmente, a unidade 1.5 TSI de 150 cv (DSG de 7 velocidades) com sistema de desativação de cilindros para menores consumos e emissões.

Na versão 1.0 TSI examinada (que inclui filtro de partículas) sobressaem o baixo ruído e a suavidade de funcionamento do bloco de 3 cilindros, mesmo que se possam apontar certas vibrações ou ressonâncias a frio e ao ralenti, embora sem gravidade. Após alguns quilómetros essa acústica dissipa-se e, por vezes, sobrepõe-se a da ação do turbo...

Outra das evidências diz respeito ao consumo equilibrado que é registado no computador de bordo, sendo possível atingir valores entre 5,8 e 6,2 l/100 km, sem quaisquer preocupações ou táticas de condução ecológica. Ainda bem!

A relação com a estrada é fluída e o motor TSI progride sem esforço, embora as retomas de velocidade sejam tímidas, especialmente em 4.ª e 5.ª e em situações exigentes. Nada de mais!

A capacidade de aceleração (12,6 s até 100 km/h) e os registos das recuperações estão de acordo com o tipo de rendimento (175 Nm a partir das 2000 rpm), ao mesmo tempo que a elasticidade da mecânica não desilude, com as devidas ressalvas. O curso do seletor está bem ajustado (nada longo) e o engrenamento revela precisão, a par do escalonamento mais alongado da última relação, exatamente para a moderação do consumo. Apesar disso, em autoestrada nota-se a ausência de uma 6.ª relação, já que há a sensação de que a 5.ª engrenada é demasiado... curta para o esforço.

A resposta da direção merece ser elogiada, tendo em conta a rapidez, a precisão e a leveza da assistência (elétrica). A condução é, assim, muito fácil (e suave), sendo auxiliada pelas dimensões e formato compacto do T-Cross, em simultâneo com a ótima posição ao volante, ligeiramente sobreelevada e 11 centímetros acima da do Polo, por exemplo, equivalendo-se à da dos adversários mais conhecidos da categoria, nada menos do que Renault Captur, Peugeot 2008 ou Seat Arona, fazendo até lembrar este último, uma vez que ambos partilham a maioria dos órgãos mecânicos e das ligações ao solo, mediante as sinergias do grupo VW a que pertencem. Poderá existir uma pequena embirração que consiste no facto da perna direita do condutor ficar muito em cima da consola central (de lado), também por causa da posição do pedal do acelerador, mas sem prejuízo de maior. O habitáculo é espaçoso e bastante prático, inclusive com alguns truques que aumentam a funcionalidade, algo que é patente no deslizar dos bancos traseiros (alavanca a meio), mecanismo que permite variar a volumetria da bagageira (de 385 a 455 litros), embora seja estranho que passe a existir um espaço a descoberto (tipo vão) quando se avançam os bancos para a frente (no chão). O estrado da mala não o tapa (não chega lá!) e não parece existir uma cobertura extra. Valerá a pena remediar isso!

Regressando à estrada, o ruído de rolamento não é elevado (pneus Bridgestone Turanza 205/60 R16) e as reações da suspensão são confortáveis, sem deterioração em mau piso, embora aí com atitudes mais secas. Nem parece um automóvel desta categoria, ao mesmo tempo que a insonorização está muito bem resolvida. Outra (boa) surpresa é o excelente comportamento, quer a curvar, quer nas travagens fortes, sem inclinação exagerada da carroçaria, e isto apesar do formato SUV. Impecável!

A sensibilidade do radar do Front Assist (travagem automática) pode causar estranheza (e sustos!), mas já o cruise-control ativo com alerta de faixa funciona bem e é pouco usual na classe. 

O pequeno SUV da VW (adversário de Captur, Arona e 2008, por exemplo) está cheiinho de razões válidas para que se possa perspetivar uma carreira de sucesso. A imagem exterior inclui alguns detalhes invulgares, tais como a dimensão da grelha e a faixa refletora que une as óticas atrás. O habitáculo é amplo e prático, a par de uma qualidade geral bem ajustada à categoria. Conduz-se muito bem, é confortável e eficaz. Pena que este motor TSI não seja mais vitaminado...

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

VOLKSWAGEN T-CROSS

1.0 TSI LIFE

Motor
Arquitetura 3 cilindros em linha
Capacidade 999 cc
Alimentação Inj. direta, Turbo, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./12v
Potência 95 cv/5500 rpm
Binário 175 Nm/2000-3500 rpm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Manual de 5 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/10,6 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,108/1,760/1,584 m
Distância entre eixos 2,551m
Mala 385-455-1281 litros
Depósito de combustível 40 litros
Pneus F 6jx16-205/60 R16
Pneus T 6jx16-205/60 R16
Peso 1245 kg
Relação peso/potência 13,1 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 180 km/h
Acel. 0-100 km/h 11,5 s
Consumo médio 5,8 l/100 km
Emissões de CO2 132 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 5 anos ou 100.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 102,81 €

Medições

VOLKSWAGEN

Acelerações
0-50 km/h 4,4 s
0-100 / 130 km/h 12,6 s
0-400 / 0-1000 m 18,6 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 6,1 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 9,9/15,3 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 11,3/15 s
Travagem
100-0/50-0km/h 36,9/9,4 m
Consumos
Consumo médio 6,2 l/100km
Autonomia 645 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE