Mercedes-Benz A 160

Motor de vendas

TESTE

Por Vítor Mendes da Silva 17-08-2019 19:05

Fotos: Gonçalo Martins

Coube ao Classe A e à Mercedes-Benz as honras de estreia do bloco 1.3 turbo a gasolina que irá conhecer várias derivações de potência e presença alargada a modelos da Renault.

No portefólio da marca da estrela, para já, existe com 163 cv, no A200, por enquanto em exclusivo com a caixa automática de dupla embraiagem de 7 velocidades, ou nesta declinação mais modesta, com 109 cv e caixa manual de 6 velocidades, representando poupança de cerca de 3000 € face ao primeiro.

Boa notícia: com este motor, o Classe A não ganha apenas verdadeiro preço-canhão, trunfo que se destina também ao rent-a-car. Esta que é a menos musculada declinação do mil-e-trezentos de origem franco-alemã (homologado sob as diretrizes do protocolo WLTP e compatível com a norma ambiental Euro 6d-TEMP, que entrará em vigor já em setembro), tem ainda o condão de não beliscar as qualidades premium do novo compacto, com referencial suavidade de atuação e desempenho que não compromete, quer nas acelerações amparadas na caixa manual de seis relações, quer nas retomas de velocidade a baixos regimes, como comprovam os valores que medimos.

Claro que se trata de versão muito mais voltada para clientela que valoriza claramente a economia em detrimento das performances, até porque ao nível satisfatório de prestações do 160, junta-se o da eficiência do consumo, com uma média apreciável de 5,9 l/100 km obtidos neste teste, muito próxima da que foi certificada em ciclo WLTP. E a poupança ainda pode ser maior com especial comedimento no acelerador, e só com muito frenesim neste pedal ultrapassa os 8 litros...

Por outro lado, embora competente e nunca dando mostras evidentes de fraqueza, o motor de 109 cv não consegue, nem de perto nem de longe, levar ao limite o competentíssimo chassis.

No caso deste 160 (assim como no 200 ou no Diesel 180 d), o eixo traseiro utiliza solução de torção (geometria independente nas mecânicas mais potentes), mas só temos elogios a fazer ao desempenho dinâmico, com o compacto a revelar-se não só equilibrado como divertido. E tudo isto sem beliscar minimamente a capacidade de filtragem, ou seja, o conforto também está em muito bom plano, apresentando-se num nível superior ao da anterior geração.

Evolução notada no novo Classe A também ao nível das cotas habitáveis, uma das principais críticas apontadas à anterior geração, e que acontece graças à utilização da evolução da plataforma da geração anterior, agora com distância entre eixos com mais 3 cm, e ainda pelas formas mais volumosas da carroçaria, que apresenta mais 13 cm no comprimento e de 14 mm na largura (esta última alteração permitiu aumentar as vias, com vista a um comportamento dinâmico mais eficaz).

Com isto, mais espaço para arrumar as pernas em comprimento e, sobretudo, maior desafogo em largura (o novo design interior das portas deu uma ajuda importante neste aspeto) e altura. Por fim, a bagageira ganhou 29 litros, oferecendo agora 370, tendo os engenheiros da Mercedes, mesmo apesar das linhas mais estilizadas e desportivas, conseguido melhor acesso daquele compartimento de carga.

Cartão-de-visita do moderno habitáculo do compacto alemão, os dispositivos inerentes à plataforma MBUX – Mercedes Benz User Experience –, que inclui a assistente virtual «Mercedes» e ainda enorme painel de instrumentos com dois ecrãs de 7’’ (em opção, ecrãs de 10’’), os quais permitem gestão por toque (touch screen), outra novidade no Classe A. 

Apesar dos elevados proveitos comerciais resultantes da parceria empresarial que a Mercedes celebra com a Renault, a marca da estrela não se coíbe em afirmar que motores e caixas de velocidades gauleses são profundamente revistos em Estugarda… Com ou sem pó de pirlimpimpim, a verdade é que o 1.3 a gasolina que equipa o A 160 é motor à medida das pretensões: competente, refinado e poupado.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

MERCEDES A

160

Motor
Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 1332 cc
Alimentação Inj. direta, Turbo, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16v
Potência 109 cv/5500 rpm
Binário 180 Nm/1375-3500 rpm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Manual de 6 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,419/1,796/1,440 m
Distância entre eixos 2,729m
Mala 370-1200 litros
Depósito de combustível 43 litros
Pneus F 6,5jx16-205/60 R16
Pneus T 6,5jx16-205/60 R16
Peso 1375 kg
Relação peso/potência 12,6 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 200 km/h
Acel. 0-100 km/h 10,9 s
Consumo médio 5,5 l/100 km
Emissões de CO2 127 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 2 anos sem limite de km
Pintura/Corrosão 3/30 anos
Intervalos entre revisões 25000 km
Imposto de circulação (IUC) 134,98 €

Medições

MERCEDES

Acelerações
0-50 km/h 3,4 s
0-100 / 130 km/h 9,9 s
0-400 / 0-1000 m 17,1 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 6 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 6,4/9,4/13,2 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 10/13,4/18,1 s
Travagem
100-0/50-0km/h 39,3/9,7 m
Consumos
Consumo médio 5,9 l/100km
Autonomia 728 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE