Renault Espace TCe 225

Viajante francês

TESTE

Por Ricardo Jorge Costa 24-07-2019 09:20

Fotos: Gonçalo Martins

A quinta geração do Renault Espace tem quatro anos e esse tempo pode ser uma eternidade na indústria automóvel. Desde então, o segmento dos monovolumes de sete lugares tem sido invadido pelos insanáveis SUV, que com idêntica lotação, alguns certamente mais modernos e a maioria com design mais atual.

Estes últimos, todavia, não perderam propósitos e continuam a oferecer múltiplas finalidades. Transportadores por excelência, no bulício do quotidiano ou em viagens de longo curso, sempre confortáveis para todos os passageiros, como os monovolumes deste gabarito não há, e entre os melhores mantém-se, desde a sua primeira geração, pioneira no segmento na Europa (1984), o Renault Espace.

Pináculo da comodidade e da versatilidade do interior, ora entre o privilégio à lotação (até aos referidos sete ocupantes), ora à capacidade de carga (de enormes 720 litros com cinco lugares, a ainda utilizáveis 247 litros com sete), o monovolume de topo de gama da marca francesa é tecnologicamente sofisticado, na dotação de equipamento e na qualidade dos acabamentos, no limiar do luxo nesta versão superior Initiale Paris.

Habitabilidade ótima nas duas primeiras filas de bancos (todos individuais), tal como a modularidade da segunda, em que se permite o seu rebatimento total (através de acionamento automático em botões na zona da mala ou em comando tátil no monitor de bordo, cortesia do sistema de infoentretenimento R-Link), permitindo criar enorme porão para bagagens com piso totalmente plano (2035 litros com apenas os dois dianteiros). A abertura automática (eletricamente) do portão da bagageira é de série.

Os dois bancos suplementares, que se instalam e arrumam na área da bagageira, nesta última disposição fazendo das suas costas o chão, são exíguos para a acomodação das pernas, recomendando-se ao transporte de crianças. Também estes rebatem com o referido automatismo.

Com os motores Diesel a caírem em desgraça, existem ainda mais constrangimentos para automóveis de todo o serviço, como o Espace. Por isso, a Renault lança o pregão a este potente motor a gasolina de quatro cilindros e 1,8 litros, até há poucos meses com importância meramente residual na gama. Bloco de 225 cv e 300 Nm desenvolvido pela Renault Sport (encontramo-lo no Mégane R.S. e no Alpine A110, com níveis de potência superiores) com injeção direta e turbo de dupla entrada (twin-scroll), substituiu o TCe 200 (1,6 litros, 200 cv e 260 Nm) está equipado com novo filtro de partículas e confere ao monovolume um consumo efetivo de 8,7 l/100 km (medido neste teste contra 7,4 l/100 km anunciados) e performances elevadas, amparado na caixa automática de sete velocidades, de dupla embraiagem (EDC), indispensável à comodidade da condução que se pretende de veículo como este. Força e elasticidade não faltam às prestações do Espace TCe 225, que cumpre com todos os requisitos, das vias mais rápidas aos arruamentos urbanos, ao sabor da pressão exercida pelo pé direito.

Comparativamente ao motor antecessor, são melhores as prestações, mas o consumo também é mais elevado.

Para responder a preceito de cada situação e gosto do condutor, a tecnologia Multi-Sense regula a assistência da direção, a sensibilidade do acelerador, a prontidão da caixa EDC e até a sonoridade do propulsor, de acordo com cinco programas predefinidos – Eco, Confort, Neutro, Sport e Perso(nalizado).

As dimensões, peso e centro de gravidade, todos elevados(!), condicionam a dinâmica do Espace, mas globalmente a nota é positiva. O adorno da carroçaria em curva não é acentuado e o sistema 4Control ajuda à agilidade, beneficiando não só a estabilidade direcional, como igualmente as manobras lentas.

A condução sente-se quase sempre leve, só se impondo a as contrapartidas do seu gabarito e do privilégio ao conforto (na maciez das suspensões) em estradas sinuosas.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

RENAULT ESPACE

TCE 225

Motor
Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 1798 cc
Alimentação Injeção direta, turbo, intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16v
Potência 225 cv/5500 rpm
Binário 300 Nm/2000 rpm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Automática de 7 velocidades com dupla embraiagem
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11,6 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,857/1,888/1,677 m
Distância entre eixos 2,884m
Mala 247-720-2035 litros
Depósito de combustível 58 litros
Pneus F 235/55 R19
Pneus T 235/55 R19
Peso 1747 kg
Relação peso/potência 7,76 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 224 km/h
Acel. 0-100 km/h 7,9 s
Consumo médio 7,4 l/100 km
Emissões de CO2 168 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 5 anos ou 100.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 258,1 €

Medições

RENAULT

Acelerações
0-50 km/h 3 s
0-100 / 130 km/h 8,3 s
0-400 / 0-1000 m 15,6 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 4,9 s
60-100 km/h (D) 5,2 s
80-120 km/h (D) 5,7 s
Travagem
100-0/50-0km/h 38,5/9,5 m
Consumos
Consumo médio 8,7 l/100km
Autonomia 666 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE