Renault Mégane TCe 160 Bose Edition

Alta fidelidade

TESTE

Por Ricardo Jorge Costa 09-06-2019 16:25

Fotos: Gonçalo Martins

O Mégane celebra a estreia de um motor a gasolina de quatro cilindros e 1,3 litros desenvolvido em parceria que a Renault fez questão de frisar que foi igualitária com a Daimler. O novo bloco mantém a sigla TCe do antecessor (que substitui) de 1,2 litros, porque, tal como este, possui tecnologia de injeção direta e turbocompressor de geometria variável, mas foi construído a partir de uma folha em branco.

Todas as versões do modelo compacto francês que dele dispõem foram homologadas sob as diretrizes do protocolo WLTP para o consumo e as emissões e desde já compatíveis com a norma ambiental Euro 6d-TEMP que entrará em vigor apenas em setembro deste ano. Por isso, o gasto médio de combustível neste teste ao Mégane com o TCe de 160 cv, a versão mais potente de três do novo motor (há também de 115 e 140 cv), aproxima-se do que anuncia a Renault, uns bastante satisfatórios 6,7 l/100 km comparativamente aos 6,3 certificados. Mas não será tanto a economia, mas mais as prestações, bastante enérgicas, que caracterizam o desempenho do mais musculado dos novos motores TCe, nesta unidade em análise associado a caixa manual de seis velocidade - a automática de dupla embraiagem EDC de sete velocidades também está disponível, aguardando-se expectativa a possibilidade de aferir, em teste próximo, os frutos deste casamento.

A disponibilidade do motor sente-se, às primeiras pressões mais fortes no pedal do lado direito e explicita-se nos tempos das acelerações e das recuperações que medimos, todos refletindo uma enorme elasticidade, quer apoiando-se no correto escalonamento da caixa de velocidades, cuja precisão e suavidade no engrenamento beneficiam a rapidez das passagens e o manuseio do seletor. É elevado o agrado que confere à condução do veículo e, mesmo a quem aprecia performances ainda mais vivazes, no limiar das desportivas, o TCe 160 não desilude. A estes sugere-se, como indispensável, selecionar o modo Sport no programa de condução Multi-Sense, que agiliza as respostas do pedal do acelerador e da direção, tornando-a mais direta.

Mas o 1.3 TCe mais potente e empertigado também sabe ser discreto e suficientemente económico, basta que moderemos o acelerador e recorramos de uma forma, digamos, pró-eficiente à caixa de velocidades. Então, o motor funciona com tanta suavidade e baixo ruído que chega a impressionar, mesmo perante os avanços tecnológicos em mecânicas congéneres, e que faz deste um dos melhores da atualidade na sua classe de cilindrada e potência.

Deste modo, e como já foi referido, às boas performances junta-se a eficiência do consumo, demonstrada na média muitíssimo apreciável de 6,7 l/100 km obtidos neste teste, obtida mediante uma condução sem especial zelo na poupança, e que se aproxima da que foi certificada no novo ciclo WLTP pela Renault (6,3). A poupança ainda pode ser maior, aproximando-se do limiar dos 6 litros com maior comedimento no acelerador, e só com muito frenesim neste pedal ultrapassa os 8,5-9 litros.

Entre as soluções técnicas fazem do motor franco-alemão virtuoso destacam-se o aumento da pressão de injeção de combustível em 250 bar e o novo desenho específico da câmara de combustão que otimiza a mistura, e ambas contribuindo para melhorar as performances em harmonia com a redução do consumo de combustível e das emissões.

Mas há mais tecnologias que promovem o rendimento deste motor, como o sistema que controla as válvulas de admissão e de escape, de acordo com a carga do motor, proporcionando um aumento do binário a baixas rotações e maior linearidade deste a regimes mais elevados.

Acrescenta-se o revestimento aprimorado dos cilindros utilizado no motor no superdesportivo da Aliança, o Nissan GT-R, que melhora a eficiência através da redução do atrito e otimização da transferência de calor, e filtro de partículas (FAP) com o objetivo de reduzir as emissões.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

RENAULT MÉGANE

1.3 TCE160 Bose Edition

Motor
Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 1332 cc
Alimentação Inj. direta, Turbo, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16v
Potência 160 cv/5500 rpm
Binário 260 Nm/1750 rpm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Manual de 6 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11,2 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,359/1,814/1,447 m
Distância entre eixos 2,712m
Mala 372-1162 litros
Depósito de combustível 47 litros
Pneus F 7,5jx18-205/50 R17
Pneus T 7,5jx18-205/50 R17
Peso 1419 kg
Relação peso/potência 8,9 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 212 km/h
Acel. 0-100 km/h 9,3 s
Consumo médio 6,3 l/100 km
Emissões de CO2 144 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 5 anos ou 100.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 171,1 €

Medições

RENAULT

Acelerações
0-50 km/h 2,9 s
0-100 / 130 km/h 9,5 s
0-400 / 0-1000 m 16,1 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 3,8 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 5,6/8 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 8,6/11,2 s
Travagem
100-0/50-0km/h 35,8/8,5 m
Consumos
Consumo médio 6,7 l/100km
Autonomia 701 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE