Se há automóvel no portefólio da Jeep que merece o ‘certificado’ de aptidões TT é, sem dúvida, o Wrangler É mais leve e sofisticado, mas mantém a filosofia de sempre A adoção de uma plataforma mais moderna, que pesa menos 45 kg do que a anterior, contribui para o ‘emagrecimento’ da geração nova do Wrangler O Jeep também ficou mais leve (cerca de 100 kg) com a adoção de materiais novos nos painéis da carroçaria e no portão, agora em alumínio e magnésio Com a introdução de mais e melhores, equipamentos a marca americana adiciona muita sofisticação a automóvel que continua fiel ao velho espírito do ‘antes quebrar do que torcer’ Mais de sete décadas de experiência na produção de TT valem à Jeep o selo de garantia de qualidade nas condições mais austeras, nos piores caminhos. E, neste percurso, o emblemático Wrangler tem, obviamente, uma palavra a dizer Na variante mais curta, com carroçaria de 2 portas e apenas 2 lugares, compartimento de carga com dimensões ‘XXL’ Turbodiesel de 2,2 litros com 200 cv, mais eficiente, importado do Cherokee, sucedendo a mecânica de 2,8 litros ‘fora de forma’ No interior, painel remodelado, ganhando imagem mais aproximada à do Compass e ecrã tátil de 8,4” ao centro do ‘tablier’ No painel de instrumentos, comandos para bloquear o eixo traseiro ou ambos os eixos e desconectar a barra estabilizadora Instrumentação modernizada inclui painel digital com todas as informações de bordo e de condução essenciais, configurável ‘à medida’ É vasta e muito completa a lista de elementos gráficos específicos para auxiliar a condução sem problemas nos percusos fora de estrada

Jeep Wrangler Rubicon

Último Moicano

TESTE

Por Vítor Mendes da Silva 05-05-2019 09:00

Fotos: Gonçalo Martins

No desenvolvimento da geração nova (JL) de ícone norte-americano e da indústria automóvel, os especialistas da Jeep, emblema do consórcio Fiat Chrysler Automobiles (FCA), não mexeram quase um milímetro nas formas e na silhueta quadradonas, mantendo-se fiéis ao desenho original do veículo de origem militar, o mesmo acontecendo com alguns pormenores deliciosamente retro, como as braçadeiras laterais que servem para fechar o compartimento do motor, a enorme grelha com sete barras verticais ou os faróis redondos, bem simples. E a fórmula conhecida de carroçaria de aço suportada por estrutura com longarinas e travessas, suspensões de eixos rígidos, molas helicoidais, escora transversal e barras estabilizadoras, também foi mantida. Entre os progressos, revisão integral do cockpit, que se aburguesou, também na dotação de equipamentos, ganhando ecrãs táteis policromáticos, que podem atingir 8,4’’, ligação aos sistemas Apple Car Play e Android Auto e, ainda, mão-cheia de sistemas de assistência à condução e segurança, com destaque para a monotorização dos ângulos mortos nos retrovisores exteriores, aviso de aproximação perigosa de outros carros ou câmara traseira.

Sob o capot, motor novo, um turbodiesel com 4 cilindros, 2,2 litros e 200 cv (precisa de aditivo Adblue para respeitar as emissões de gases de escape), associado a caixa automática de 8 velocidades, também nova, que é rápida q.b., além de oferecer uma sensação de robustez que faz acreditar que está preparada para resistir a todos os tipos castigos comuns quando decidimos acelerar fora de estrada...

O Wrangler novo tem, igualmente, direção melhorada, que não é tão lenta ou vaga como a do carro precedente, mas o Jeep mais puro e duro, embora apresentado- se mais leve do que o antecessor, tem dimensões e peso avantajados. Estas características, associadas ao curso longo das suspensões (eixos rígidos à frente e atrás), continuam a obrigar-nos à pratica de um estilo de condução defensivo, que pede habituação.

Rolando no asfalto, o Wrangler é rijo, desconfortável e pouco prático, mas quem o conduz não espera outra coisa. Este modelo emblemático da marca norte-americana especializada em TT é um autêntico automóvel de culto capaz de transformar qualquer viagem num exercício de afirmação de estilo. Sim, é um duro, como já não se faz, brilhante em TT, com tração 4x4 inserível, bloqueios de diferenciais e ângulos específicos para atacar qualquer obstáculo. Pela 1.ª vez, diferencial central permite circular com quatro rodas motrizes sobre superfícies muito aderentes, por exemplo em asfaltos lisos e secos. O novo Diesel de 200 cv, no lugar de motor VM de 2,8 litros com o mesmo nível de potência, é o que equipa o Cherokee. Esta mecânica de 4 cilindros tem potência e binário de sobra e, ainda, o mérito de ser ligeiramente mais poupado, além de mais refinado no funcionamento.

Como na geração que sai de cena, face à proposta de acesso à gama, com o acabamento Sport, o Rubicon (7000 € mais caro) acrescenta equipamentos específicos, com destaque para o verdadeiro arsenal técnico para o todo-o-terreno mais exigente. A lista de elementos exclusivos inclui, por exemplo, o sistema de tração integral Rock-Trac (rácio 4:1 nas relações baixas), diferenciais TruLok (é possível bloquear-se o diferencial traseiro ou ambos, em simultâneo), barra estabilizadora dianteira desconectável (desligando-a, aumenta-se o curso da suspensão) e proteções Rock Rails, que não servem apenas para a imagem, ao contrário do que possamos pensar... Estes resguardos laterais aplicados na carroçaria, sob as portas, contribuem efetivamente para melhorar a rigidez, garantindo maior resistência  à torção. E, não menos importante, também existem pneus BFGoodrich Mud Terrain T/A KM2 de série, em vez dos Bridgestone Dueler H/T. Dotação que torna o Wrangler praticamente imparável quando o terreno se compõe de pó, terra e lama, apresentando-se escorregadio ou atulhado de pedras.

Nesta variante de 2 portas, muito curta distância entre eixos e ângulos otimizados (ataque: 44º em vez de 42,2º), (ventral: 27,8º em vez de 25,8º) e (saída: 37º em vez de 32,2º). Somem-se os 27,4 cm de altura livre ao solo. A passagem de cursos de água faz-se sem medos. No interior do Rubicon, no piso, locais específicos para drenagem.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

JEEP WRANGLER

Rubicon

Motor
Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 2143 cc
Alimentação Inj. direta CR, Turbo, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16v
Potência 200 cv/3500 rpm
Binário 450 Nm/2000 rpm
Transmissão
Tração Traseira ou 4x4 inserível
Caixa de velocidades Automática de 8 velocidades
Chassis
Suspensão F Eixo rígido
Suspensão T Eixo rígido
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Hidráulica/12,2 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,223/1,873/1,865 m
Distância entre eixos 2,424m
Mala -
Depósito de combustível 66 litros
Pneus F 255/70 R18
Pneus T 255/70 R18
Peso 1933 kg
Relação peso/potência 9,6 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 160 km/h
Acel. 0-100 km/h 9,6 s
Consumo médio 9,6 l/100 km
Emissões de CO2 250 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 2 anos sem limite km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 20000 km
Imposto de circulação (IUC) 972,36 €

Medições

JEEP

Acelerações
0-50 km/h 3,9 s
0-100 / 130 km/h 10,7 s
0-400 / 0-1000 m 17,6 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 5,3 s
60-100 km/h (D) 7 s
80-120 km/h (D) 7,8 s
Travagem
100-0/50-0km/h 42/10,1 m
Consumos
Consumo médio 10,6 l/100km
Autonomia 660 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE