Mitsubishi L200 Strakar Sport

Forte e cuidada

TESTE

Por João da Silva 15-03-2019 09:00

Fotos: Gonçalo Martins

Nesta série especial Sport da Mitsubishi L200 Strakar, uma das duas que celebram os 40 anos do modelo japonês – a outra é a Strakar Extreme – e que tem por base o chassis de cabina dupla, há importante reforço de equipamento de conforto e de estilo para conferir a esta pick-up maior exclusividade e aparência mais desportiva.

Passemos então, então, em revista os acrescentos: por fora, grelha do radiador, protecção inferior dianteira, anéis dos faróis de nevoeiro, abas laterais, jantes de 17’’, espelhos retrovisores com indicadores de mudança de direção, puxadores exteriores, estribos laterais e para-choques traseiro específico, pneus BF Goodrich AT 245/65 R17, caixa de carga forrada e rollbar em preto; no habitáculo, bancos dianteiros exclusivos em pele com logótipo Strakar bordado, tapetes de borracha, emblema Sport na carroçaria e no habitáculo, faróis bixénon com luzes diurnas LED e acesso sem chave.

Esta série especial da L200 Strakar Sport custa 43.705 €, acrescentando 3500 € de equipamento (ao qual não há que acrescentar IVA) à L200 Strakar Cabina Dupla de 5 lugares com equipamento base, proposta por 39.400 €. Um negócio claramente vantajoso para quem dá valor à imagem do automóvel que conduz.

Na mecânica, não há novidades, mantendo-se no ativo o conhecido Diesel 2.4 DI-D MIVEC, com 181 cv e 430 Nm de binário máximo às 2500 rpm, o qual está acoplado a caixa manual de 6 velocidades. E, claro, referência obrigatória merece o muito eficaz sistema de tração integral inserível que a marca japonesa denomina de Super Select 4WD-II, com seleção por via eletrónica dos eixos motrizes – apenas o traseiro (2H); ambos (4H), e ainda o bloqueio do diferencial central (4HLc) e as redutoras (4LLc) –, através de comando manual giratório posicionado no prolongamento da consola central, paralelamente ao travão de mão.

A condução da L200 Strakar não é confortável, pois trata-se de veículo duro – os principais elementos afetos à condução, ou seja, a direção, embraiagem e engrenamento da caixa revelam peso e aspereza excessivos – com comportamento em estrada pouco ágil e resposta muito seca das ligações ao solo (principalmente do eixo traseiro rígido com lâminas), adornando em demasia a carroçaria em curva. Contudo, fora de estrada, esta pick-up transforma-se para muito melhor, mostrando uma eficácia notável, levando-nos sem dificuldade por caminhos inacessíveis aos automóveis comuns e também à maioria dos SUV que apregoam capacidades em todo-o-terreno... bastante boas.

Merecedor de elogio é ainda o desempenho do motor, que se mostra competente e sempre disponível, embora o escalonamento das relações iniciais da caixa (muito curtas), aliado à referida dureza do engrenamento, tornam a condução cansativa na utilização urbana. Não é, não haja quaisquer dúvidas sobre isso, um veículo fácil de utilizar no dia-a-dia. Contudo, o consumo até acaba por contrariar essa ideia, sendo aceitável para tamanha potência, respetivas prestações, peso e características do modelo, apresentando média a rondar 8 litros/100 km, valor que, naturalmente, sobe de forma significativa em para-arranca ou utilização em modo quatro rodas motrizes.

O habitáculo da pick-up japonesa tem qualidade de construção muito elevada, como se exige num veículo de trabalho e de lazer com capacidades para ser utilizado em ambientes austeros, mas o material predominante é o plástico rijo. Todavia, a aparência é agradavelmente moderna e, embora a posição de condução seja incómoda, como é habitual nestes veículos, os níveis de ergonomia são aceitáveis, pois os comandos relativos à condução estão bem posicionados, assim como o ecrã que serve o sistema de infoentretenimento, onde se pode também ver as muito úteis imagens captadas pela câmara traseira de auxílio ao estacionamento. A unidade que guiámos está homologada para cinco pessoas, mas a verdade é que o lugar central traseiro é mais estreito e desconfortável que os laterais.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

MITSUBISHI L200

Strakar Sport

Motor
Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 2442 cc
Alimentação Inj. direta, turbo, intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16v
Potência 180 cv/3500 rpm
Binário 430 Nm/2500 rpm
Transmissão
Tração Integral inserível c/ redutoras
Caixa de velocidades Manual de 6 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. c/molas helicoidais
Suspensão T Eixo rígido c/ molas lâminas
Travões F/T Discos ventilados/tambores
Direção/Diâmetro de viragem Eletro-hidráulica/11,8 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 5,205/1,785/1,775 m
Distância entre eixos 3m
Mala -
Depósito de combustível 75 litros
Pneus F 7,5jx17-225/50 R17
Pneus T 7,5jx17-225/50 R17
Peso 1840 kg
Relação peso/potência 10,22 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 179 km/h
Acel. 0-100 km/h -
Consumo médio 6,4 l/100 km
Emissões de CO2 169 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 5 anos ou 100.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 227,08 €

Medições

MITSUBISHI

Acelerações
0-50 km/h 3,6 s
0-100 / 130 km/h 10,8 s
0-400 / 0-1000 m 17,7 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 4,7 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 7,8/11,6 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 11,8/14,9 s
Travagem
100-0/50-0km/h 38,4/9,8 m
Consumos
Consumo médio 8,1 l/100km
Autonomia 925 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE