‘Pozinhos mágicos’ no bloco 6 cilindros biturbo elevam a potência do Competition dos 431 até aos 450 cv Com o opcional M Driver’s Package (2550 €), é possível fazer o ponteiro chegar até aos 280 km/h! À direita e útil: temperatura do óleo No lugar dos modos de condução, nos modelos da M existem soluções individuais para conjugar afinação de motor, caixa e suspensão Caixa DKG, de dupla embraiagem, com três níveis de ‘velocidade de ação’ e função 100% manual Entre as funcionalidades telemáticas agora também possíveis de controlar no visor tátil, acesso à Internet e a várias aplicações O M3 acolheu as últimas atualizações do Série 3, caso do renovado iDrive com monitor central tátil, inclusão de mais tecnologias de apoio à condução e ‘capricho’ nos serviços conectados O Pack Competition inclui bacquets fantásticas, não só pela ergonomia e enquadramento com os comandos, como também... para mostrar aos amigos! O logo ‘M3’ nas costas é iluminado. As regulações elétricas, com memórias, são opcionais (1255 €) No braço esquerdo do volante, tal como nos M3/M4 ‘normais’, botões M para ‘chamar’ configurações de condução guardadas As jantes de 20’’ da versão Competition são exclusivas, com acabamento maquinado, com peso e rigidez otimizados especificamente para este M3 No Competition, o 6 cilindros canta com voz mais grossa O Competition não é apenas um M3 com mais 19 cv! É máquina cujas ligações ao solo e regulações eletrónicas foram devidamente afinadas para... ‘refinar’ o prazer de condução

BMW M3 Competition

Fechar com ‘drift’ d’ouro

TESTE

Por Paulo Sérgio Cardoso 22-11-2018 12:00

Fotos: Gonçalo Martins

São já vários os sintomas de que o BMW Série 3 está a precisar de ser atualizado da cabeça aos pés. O mesmo acontece com o M3, onde as portas parece que já não fecham com a leveza de outros tempos, a direção pesa cada vez mais nas manobras, a suspensão chocalha-nos os ossos com veemência e até algumas soluções de design ou funcionalidade no habitáculo já não alcançam o carácter impressionista das mais recentes gerações da concorrência.

Sinais dos tempos a que nem mesmo um verdadeiro ícone da condução desportiva está imune. Mesmo que a BMW lhe tenha conferido um toque de Midas para este final de carreira, através da versão Competition que, por 7550 €, acrescenta rol de validades técnicas e cenário visual de exclusividade que conferem à máquina afinação específica e cunho de colecionismo...

Por fora, o negro domina os acabamentos da grelha frontal, o contorno da secção vidrada lateral e até mesmo o da própria sigla na tampa da mala. As jantes de 20’’ são exclusivas, com a especificidade do trabalho a estender-se da estética ao acabamento maquinado e rigidez específica.

Ainda nas ligações ao solo, o Competition conta, de série, com a suspensão de amortecimento variável, cujas leis e calibragem foram ajustadas para garantir ainda mais aderência direcional e motricidade ao eixo traseiro. A gerir o frenesim das rodas traseiras, diferencial eletrónico ativo da M igualmente afinado a preceito, tal como a intervenção do controlo de estabilidade.

As pérolas  mecânicas que vão encantar apreciadores e colecionadores da arte desportiva também podem ser encontradas sob o capot, com a M a trabalhar o bloco 3 litros biturbo com o intuito de fazer subir a potência dos 431 cv originais até aos 450 cv desta versão. Que resultam particularmente mais emotivos agregados ao novo sistema de escape, de voz bem mais grossa e de gargarejar mais eloquente, uma das pechas de sempre do M3, por não conseguir igualar o timbre vocal do anterior V8 atmosférico (e o V8 da concorrência...). No interior, são os bancos de formato integral que ajudam a compor a atmosfera e (ainda) a transformar o M3 num automóvel especial – os cintos estão decorados com as cores da M.

Como já avisámos, este M3 Competition está longe de ser um encanto no uso quotidiano. Quase todos os comandos e sensações sabem a rude, sem a souplesse pedida a modelo carismático e premium como o Série 3, embora a caixa automática DKG de 7 velocidades (de software atualizado) possa gerir com algum conforto as preces diárias. Como tal, e se o M3 normal já tem um cunho peculiar de condução, este Competition nasceu com ADN de... virilidade, qual lutador de boxe, que apenas no ringue consegue exibir os dotes para que foi treinado!

Mesmo que o DSC tenha sido devidamente calibrado, o M3 pede para (pelo menos)_rodar com o M Dynamic Mode, ou seja, já conferindo alguma liberdade de movimentos às rodas traseiras que, se bem acompanhada por movimentos muito precisos da direção, já muito nos regozija!

Tal como nos restantes elementos da M, existem três níveis de ajuste para o amortecimento, para o feeling da direção e sensibilidade do acelerador, e ainda outros três para a rapidez de atuação da caixa automática, a qual, se selecionada para ordens manual, responde realmente como tal, sem kickdown mesmo pressionando o acelerador a fundo.

Puxando devidamente pela máquina, o Competition valida toda a aula teórica. Logo pela questão emotiva trazida pela sonoridade, em que o modo mais imediato de reação do motor/acelerador se faz acompanhar de nota vocal dominante na estrada. Todas as afinações de chassis e suspensão estão devidamente entrosadas com o trabalho do diferencial traseiro, pelo que não só é perfeitamente percetível qual a zona e o momento de descolagem das rodas do alcatrão, como o limite de aderência aumentou de modo considerável ao M3 normal. Ou seja, mesmo ganhando-se mais velocidade e eficácia, a forma de controlo da derrapagem tornou-se ainda mais pura e simples, divertida e proveitosa!

Se até agora a direção surgia pesada, nos momentos de exploração da referida virilidade dinâmica o peso como que se acerta aos intentos, indo ao encontro da sensibilidade pretendida nos momentos de precisão e de reação repentina ao balanço da carroçaria.  Também a suspensão, dura, deixa transparecer o equilíbrio perfeito a conter os movimentos laterais da carroçaria, para que os bailados à saída das curvas ou no domínio da direcionalidade nos arranques se torne mais puro. E as barras estabilizadoras são especiais.

Apontamento final para os mais afincados e  apaixonados – quer seja por desportivos, quer em particular por elementos da M: no que diz respeito à condução, o M3 continua a convencer mais ao M4, por ser mais dócil, percetível e fácil de explorar. Além da sigla... que é a verdadeira!

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

BMW M3

Competition DKG

Motor
Arquitetura 6 cilindros em linha
Capacidade 2979 cc
Alimentação Inj. direta, biturbo, intercooler
Distribuição 2 a.c.c./24v
Potência 450 cv/7000 rpm
Binário 550 Nm/1850-5500 rpm
Transmissão
Tração Traseira
Caixa de velocidades Auto, dupla embraiagem, 7 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. triângulos duplos
Suspensão T Ind. multibraços
Travões F/T Discos ventilados e perfurados
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/12,2 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,671/1,877/1,431 m
Distância entre eixos 2,812m
Mala 480 litros
Depósito de combustível 60 litros
Pneus F 9jx20 - 265/30 R20
Pneus T 10jx20 - 285/30 R20
Peso 1635 kg
Relação peso/potência 3,6 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 250 km/h
Acel. 0-100 km/h 4 s
Consumo médio 8,3 l/100 km
Emissões de CO2 194 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 2 anos sem limite km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 711,69 €

Medições

BMW

Acelerações
0-50 km/h 1,7 s
0-100 / 130 km/h 4/13,7 s
0-400 / 0-1000 m 12,2/22,4 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 1,9 s
60-100 km/h (D) 2 s
80-120 km/h (D) 2,2 s
Travagem
100-0/50-0km/h 35,3 m
Consumos
Consumo médio 13,2 l/100km
Autonomia 454 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE