Toyota Land Cruiser

Gigante!

TESTE

Por Vítor Mendes da Silva 04-11-2018 13:00

Fotos: Gonçalo Martins

Houve um tempo em que existia uma classe à parte de todo-o-terreno puros e duros. Mas, a maioria, rendeu-se à comercial moda dos SUV. Na Toyota, no entanto, o Land Cruiser permanece fiel às suas raízes. E procura, agora, reafirmar o estatuto de rei dos TT com modernização tão profunda que a marca japonesa denomina como geração nova. A 5.ª, desde a original de 1951.

Na carroçaria insuflada do 4x4 nipónico, com quase 5 metros de comprimento e mais de 1,80 m, tanto em altura, como em largura, as primeiras mudanças que saltam à vista. Capot, grelha de radiador, faróis e para-choques dianteiro surgem com novo desenho e... dupla missão: esboçar visual mais moderno e permitir o aumento do ângulo de ataque para 31 graus, medida a juntar a outras credenciais fora de série, como são as alturas ao solo (700 mm) e de passagem a vau (215 mm) e os ótimos ângulos de saída e ventral (25º e 22º, respetivamente). Na traseira, há redesenhados grupos óticos com uma modernaça luz de stop por LED e... pouco mais.

O interior do automóvel foi, claramente, mais visado, ao receber um novo layout dos comandos no tablier e na consola, materiais de melhor qualidade nos revestimentos e um painel de bordo redesenhado, sobretudo na consola central, onde estão agrupados os (muitos!) comandos relacionados com transmissão, condução e conforto. O conjunto não é moderno ou especialmente atrativo, mas impressiona o cuidado empregue nos acabamentos, não faltando painéis almofadados ou um sistema de iluminação interior que incorpora luz LED na zona dos pés à frente, iluminação no teto, no porta-luvas e nos painéis das portas. Tantos mimos...

O motor de 2,8 litros do Land Cruiser foi atualizado para cumprir os regulamentos de emissões, mantendo apenas 177 cv, mas a debitar valentes 450 Nm de binário máximo logo às 1400 rpm. Acoplado à transmissão automática de 6 velocidades, o propulsor enferma de um condicionalismo, a sensação de arrasto em algumas acelerações, com aquela caixa de velocidade a apresentar funcionamento que se assemelha ao das conhecidas CVT… Com este agregado motor/caixa, o Land Cruiser demora mais de 13 segundos para acelerar de 0 a 100 km/h, a velocidade máxima é de apenas 175 km/h e também se demora mais do que seria desejável em quase todas retomas. Tolerava-se melhor se o 4 cilindros tivesse apetite menos voraz...

Contudo, a capacidade do Toyota no asfalto nunca foi o seu principal cartão de visita. A condução TT, sim! O Toyota não disfarça a sua condição de puro e duro com competências TT excecionais. E se já referimos os incríveis ângulos específicos, sublinhe-se também toda a parafernália de tecnologias.

O chassis, por exemplo, conta com sistema de suspensão cinética dinâmica (KDSS) que desliga automaticamente as barras estabilizadoras ativas na transposição de obstáculos complicados que originem cruzamentos de eixos, por exemplo – na estrada, faz os possíveis para anular desequilíbrios. Se o KDSS desligar as barras estabilizadoras, aumenta-se o curso das rodas e melhora-se contacto com o solo e é possível bloquear os diferenciais central e traseiro e, nesta versão automáticas, há programa Select Multi-Terrain (MTS), com cinco modos de ação: Lama/Areia, Gravilha, Pedras, Detritos/Pedras e Pisos Irregulares. No comando na consola central, rotativo, mudança nos parâmetros de funcionamento de controlo de tração, acelerador e travões para motricidade extra nas condições mais extremas. Há ainda o Crawl Control, com cinco opções de velocidade para transposição de obstáculos até 5 km/h, sem os pés nos pedais.

Fora de estrada, todos os movimentos do Land Cruiser podem ver-se no monitor de bordo, nomeadamente os ângulos das rodas e da direção, a atuação dos diferenciais, a altura da suspensão e o funcionamento dos sistemas TT. Para apoio à condução, quatro câmaras captam imagem a 360º do exterior do automóvel, projetando-a no ecrã. Destaque ainda para a estreia uma câmara e um radar de ondas milimétricas, para elevada capacidade de deteção, para o sistema Toyota Safety Sense, que dispõe de dispositivo de pré-colisão com função de deteção de peões, cruise control adaptativo, alerta de mudança de faixa de rodagem e comutador de máximos automático, e ainda monitor de ângulo morto e alerta de tráfego transversal traseiro.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

TOYOTA Land Cruiser

2.8 D-4D AUTO

Motor
Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 2755 cc
Alimentação Inj. direta CR, TGV, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16v
Potência 177 cv/3400 rpm
Binário 450 Nm/1400-2600 rpm
Transmissão
Tração Integral
Caixa de velocidades Automática de 6 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. c/braços duplos
Suspensão T Eixo multibraços
Travões F/T Discos ventilados
Direção/Diâmetro de viragem Hidráulica/11,6 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,840/1,855/1,845 m
Distância entre eixos 2,79m
Mala 107-553-1833 litros
Depósito de combustível 87 litros
Pneus F 7,5jx19 - 265/55 R19
Pneus T 7,5jx19 - 265/55 R19
Peso 2245 kg
Relação peso/potência 12,7 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 175 km/h
Acel. 0-100 km/h 12,7 s
Consumo médio 7,4 l/100 km
Emissões de CO2 194 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 5 anos ou 160.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 747,28 €

Medições

TOYOTA

Acelerações
0-50 km/h 3,9 s
0-100 / 130 km/h 13,1 s
0-400 / 0-1000 m 18,9 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 0 s
60-100 km/h (D) 8 s
80-120 km/h (D) 10,4 s
Travagem
100-0/50-0km/h 29,3/9,8 m
Consumos
Consumo médio 11 l/100km
Autonomia 790 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE