Carros novos até 15.000€

Reportagem

Por Vítor M. da Silva 28-10-2022 19:00

Depois da batalha contra os efeitos nefastos da pandemia, a indústria automóvel, motor económico do Velho Continente, está ainda a sofrer com crise na produção e fornecimento de semicondutores que quase parou a atividade industrial de muitos fabricantes, confrontada com a exigências da eletrificação, a que se soma a escalada vertiginosa dos preços da energia devido à guerra na Ucrânia e às sanções económicas impostas à Rússia. Resultado: automóveis novos cada vez mais caros… e raros – escasseiam nos concessionários as unidades para entrega.

Neste cenário, fomos ao mercado à procura de automóvel para comprar novo, com 15.000 euros para gastar.

Missão quase tão difícil como encontrar uma agulha num palheiro…

Fora do orçamento ‘à risca’

De base de gama em base de gama, percorremos os catálogos de cerca de quarenta marcas automóveis, para terminar com um lote de alternativas que se conta pelos dedos de uma mão! 

Mas, antes avançarmos com a lista dos modelos que conseguiriamos comprar sem fugir ao nosso orçamento, inumeramos aqueles que ficam excluídos da lista por muito pouco:

Fiat Panda 1.0 HYBRID 70CV, desde 15.682€

O posicionamento comercial especialmente competitivo sempre foi cartão de visita do Panda, que a Fiat comercializa agora conta com novo motor 3 cilindros atmosférico a gasolina da família FireFly, com 1 litro de capacidade, apenas uma árvore de cames e 6 válvulas, que rende 70 cv de potência.

Trata-se da mecânica que substitui 1.2 de 69 cv fora de forma e o primeiro eletrificado na gama do construtor italiano – pequeno motor elétrico com 5 cv do tipo BSG (Belt-integrated Strarter Generation) permite aproveitamento da energia regenerada (proveniente das desacelerações e travagens) e armazenada em pequena bateria de iões de lítio, de 3,6 kW, instalada sob o banco do passageiro. A marca anuncia consumo médio de 5,6 l/100 km.

Hyundai i10 1.0 MPi Comfort, desde 15.315€

A geração atual do Hyundai i10 chegou a Portugal no primeiro trimestre de 2020, por preços a partir de 14.100 euros e com companha de financiamento que reduzia aquele valor para 12.200 euros. Hoje, não há versão do citadino coreano por menos de 15.000 euros no mercado.

O i10 mais barato está disponível apenas com motor 1.0 MPi de 3 cilindros, 67 cv e 96 Nm, o qual pode ser acoplado a caixa manual de 5 velocidades ou, por mais 1200 €, automática também de cinco relações.

As opções mais em conta no mercado

Assim, abaixo do teto máximo imposto para este trabalho, só três automóveis cabem no portefólio de alternativas. Quem procura carro novo e não tem mais do que 15.000 euros para gastar está obrigado a escolher entre os modelos de acesso às gamas Dacia, Kia e Renault.

Renault Twingo Equilibre SCe 65, desde 14.260 €

O Twingo tem na imagem de forte personalidade trunfo que o emblema francês sabe capitalizar. Com a chegada de uma versão 100% elétrica, para caçar clientela no segmento dos citadinos, onde o sucesso emocional do Fiat 500 deixa margem reduzida aos outros construtores, os motores térmicos passaram para segundo plano, mas não desapareceram do catálogo.

Até porque transportam argumento de peso: preço-canhão abaixo de 15.000 euros. Isto no nível de equipamento mais ‘despido’ Equilibre e com o 3 cilindros atmosférico de apenas 65 cv de potência. Cruise control e Alerta de transposição involuntária de via são extras por 300 euros e até o banco condutor regulável em altura é pago num pack (250 euros) que inclui banco do passageiro rebatível p/posição mesa "one touch", arrumação nas portas traseiras e sob os bancos traseiros e bagageira modulável. Mas o sistema multimédia integrado Easy Link, em ecrã de 7 polegadas, os sensores de chuva e luz e o ar condicionado automático são de série.

Dacia Sandero, desde 11.350€

Na nova geração do Dacia Sandero, a marca romena do grupo Renault pegou numa folha em branco e fez um carro totalmente novo, construído sobre a competente plataforma CMF-B, a mesma das gerações atuais dos Renault Clio e Captur. Este é um dos automóveis mais acessíveis do mercado e que, seguramente, irá ao encontro das preces de muitos clientes particulares.

Os preços arrancam nos 11.350 euros da versão equipada com motor atmosférico a gasolina de 65 cv. O acesso à versão Stepway, a variante mais aventureira do compacto, com distância ao solo aumentada em quase 5 cm, faz-se com o motor TCe 90, por preços a partir de 14 850 euros.

Kia Picanto 1.0 CVVT ISG 5P URBAN, desde 14.205€

O Picanto na sua versão mais básica custa 15.750 euros, mas a Kia tem em curso uma campanha promocional com desconto no valor de 1545 euros, o que permite encaixar o citadino coreano no nosso orçamento e sobra verba para configurar alguns luxos. Por 600 €, a Kia propõe ‘pack’ que inclui navegação e câmara traseira.

O motor a gasolina é um três cilindros com credenciais modestas (67 cv às 5500 rpm e 98 Nm às 3750 rpm), a necessitar mais de 14 segundos para chegar de 0 a 100 km/h, mas capaz de rubricar consumo médio atrativo, de 4,4 l/100 km.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Reportagem