Crise dos semicondutores deverá continuar em 2023

Atualidade

Por AUTO FOCO 22-09-2022 12:23

A Volkswagen prevê que a escassez de semicondutores continue em 2023 e diz que as interrupções na cadeia de fornecimento de ‘chips’ ocorridas nos últimos dois anos tornar-se-ão «o novo normal».

O diretor de compras da Volkswagen, Murat Aksel, considera que as preocupações geopolíticas quem envolvem os principais fabricantes daqueles componentes eletrónicos indispensáveis aos automóveis criaram «questões novas e desafiadoras». Em fevereiro, aquele responsável disse que a escassez de chips poderia resolver-se ainda este ano, mas sua perspetiva mudou.

 «Os investimentos para implementar uma nova capacidade produtiva de semicondutores [menos dependente dos países asiáticos (sul-coreanos, chineses e Taiwan) que atualmente a monopolizam] estão em curso e são o caminho certo para a indústria automóvel global, mas provavelmente ainda haverá um déficit estrutural em semicondutores até 2023», referiu Aksel ao Automobilwoche.

A VW tem feito o que pode para reduzir o impacto da escassez de semicondutores que se arrasta. No início de 2022, o construtor alemão teve de reduzir a produção na sua fábrica de Wolfsburgo e introduziu um sistema de alerta precoce destinado a detetar déficits de fornecimento desses componentes que contribuiu para a empresa identificar 150 alternativas técnicas aos chips, noticia a publicação Fortune.

Além disso, a Volkswagen reduziu a dependência de semicondutores dos principais fabricantes sul-coreanos quando a sua divisão de software Cariad firmou recentemente um acordo com o fornecedor europeu de semicondutores STMicroelectronics e o TSMC de Taiwan para criar um fluxo de suprimento mais estável.

Os fabricantes de automóveis tiveram de retirar 3,23 milhões de veículos das linhas de produção devido à escassez de chips este ano, depois de já terem reduzido o fabrico em mais de 10 milhões de unidades em 2021. A América do Norte e a Europa foram particularmente atingidas, com a produção a diminuir 1,147 milhões unidades do ‘lado de lá’ do Atlântico e 1,089 milhões no Velho Continente. Analistas preveem que 2022 termine com menos 4.071.200 veículos produzidos devido à escassez de semicondutores, refere o Auto News.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Atualidade