Caixa negra para automóveis: Quando e como funciona?

Na Europa, para ‘ataque direto’ à sinistralidade, caixa negra nos automóveis novos a partir de julho.

Reportagem

Por VM 06-06-2022 20:08

A partir do mês de julho, caixa negra obrigatória também para automóveis na União Europeia (EU). O equipamento, idêntico aos que conhecemos da aviação para recolher e armazenar dados essenciais para determinar causas de acidente, é um de 8 sistemas de segurança que passam a figurar de série em todos os modelos novos, num plano que visa evitar até 25.000 mortes e mais de 140.000 feridos graves nas estradas nos próximos 18 anos. Objetivo para 2025: zero vítimas.

Como funcionam?

A nova ferramenta será útil para melhorar a segurança, pois tem como finalidade recolher informação, tanto do veículo como dos ocupantes, para registar e armazenar todo o tipo de dados que, em caso de acidente, permitem conhecer exatamente o que aconteceu antes, durante e depois do acidente.

A sua forma de funcionamento é muito simples: quando ocorre um acidente, a caixa negra ou Event Data Recorder (EDR) irá registar os dados durante os 30 segundos anteriores ao acidente e os 5 segundos posteriores. Toda a informação (anónima) será registada apenas em situações muito específicas, sempre com o principal objetivo de apurar causas e responsabilidades em caso de acidente.

De acordo com o ACP, “outra mais-valia da caixa negra é que pode vir a permitir aos fabricantes de automóveis melhorarem os sistemas de segurança”.

Onde são instaladas?

Este dispositivo deve ser instalado debaixo do banco do condutor e perfeitamente aparafusado ao chassis.

O tamanho é semelhante ao de uma bateria portátil e é feito de aço para resistir a impactos mais violentos. No interior encontra-se um sistema de cablagem que está ligado à rede de dados do compartimento de passageiros, bem como aos airbags. Existe também um processador, vários amplificadores e uma memória onde são registados os dados da viagem.

Que dados regista?

O EDR (Event Data Recorder) para automóveis não gravará imagens ou áudio. O equipamento permite apenas o registo de dados da condução, em mais de uma dezena de variáveis: velocidade; a pressão no acelerador ou as rotações do motor; o ângulo de viragem e a velocidade angular em graus; ação dos travões; a duração da aceleração positiva ou negativa; a ativação dos airbags e pré-tensores dos cintos; o uso dos cintos de segurança e as dimensões dos ocupantes; impacto e aceleração longitudinal.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Reportagem