Daytona SP3: 2,3 milhões para o Ferrari V12 mais potente de sempre

Marca italiana surpreende com superdesportivo de 840 cv, em edição limitada. Aceleração de 0 a 100 km/h em apenas 2,8 segundos e mais de 340 km/h.

Atualidade

Por VM 22-11-2021 09:59

Em 2018, lançamento da gama Icona composta só por dois automóveis inspirados em ícones da história da marca transalpina, como o MM Barchetta (1948) ou o 750 Monza (1954), os carros por trás do SP1 e do SP2, descapotáveis sem capota e para-brisas com produção limitada a 499 exemplares, em que SP identifica a divisão Special Projects do fabricante italiano, responsável pelo projeto, e o “1” e “2” o número de lugares.

Agora, a Ferrari surpreende com o terceiro elemento de série que reinterpreta modelos icónicos de Maranello. O novíssimo Daytona SP3, revelado durante a edição deste ano da Ferrari Finali Mondiali, no circuito de Mugello, em Itália, inspira-se nos protótipos de competição 330 P3/4, 330 P4 e 412 P que ocuparam todos os lugares do pódio das 24 Horas de Daytona de 1967, depois de protagonizarem cena mítica ao cruzarem a linha de meta praticamente lado a lado.

O novo superdesportivo da série Icone homenageia esse legado desportivo, mas celebra a inovação. O roadster SP3 é apresentando como o modelo de estrada mais aerodinâmico já construído pelo fabricante italiano.

O desenho de Flavio Manzoni incorpora portas com abertura diagonal e com generosos canais que direcionam o ar para os radiadores montados nas laterais, ajudando à refrigeração do motor. Com apenas 1,142 metros de altura, o Daytona SP3 também beneficia com a presença de condutas que extraem o ar de baixa pressão da parte inferior. Os espelhos retrovisores avançaram para as cavas das rodas, com os sport-protótipos do passado.

Usando técnicas estreadas no LaFerrari, o chassis é integralmente fabricado em materiais compósitos com tecnologia importada da Fórmula 1, tendo o banco integrado diretamente na estrutura (o condutor apenas pode acertar o posicionamento da caixa de pedais), para redução do peso do conjunto (só 1485 kg), ao mesmo tempo que garante uma posição de condução o mais aproximada possível à de um carro de competição.

Tomadas de ar verticais nos dois lados da avantajada grelha, outras duas no capot. E, na traseira, fortemente inspirada no 330 P4, o elemento mais forte do seu design, com um conjunto de lâminas verticais a toda a largura do carro.

Cavallino de corrida

O Daytona SP3 é Ferrari para conduzir em estrada, mas os ‘genes’ de competição revelam-se em cada detalhe, dos Pirelli P Zero Corsa desenvolvidos à medida, otimizados para piso molhado e piso seco, à configuração quase minimalista do habitáculo/cockpit para dois ocupantes. O volante integra todos os comandos necessários para controlar 80% das funções do SP3, enquanto o ecrã de 16 polegadas no painel de bordo reúne todas as informações de condução.

O motor com o nome de código F140HC, é o mesmo do 812 Competizione mas instalado em posição central traseira, associado a versão revista da caixa automática de sete velocidades e com admissão e escape melhorados, para ainda mais ‘músculo’. O V12 atmosférico de 6.5 litros do Daytona SP3 é o motor de combustão interna mais potente produzido pela marca para um automóvel de produção em série, atingindo 840 cv potência e 697 Nm.

A marca anuncia 2,85 segundos de 0 a 100 km/h e 200 km/h em apenas 7,4 segundos, com velocidade de ponta acima dos 340 km/h.

O Ferrari Daytona SP3 tem preço a rondar os 2,3 milhões de euros e produção limitada a 599 exemplares, todos já com dono.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Atualidade