Esculpido pelo vento: Bugatti Centodiece testado a mais de 300 km/h

Vídeos

Por VM 31-08-2021 17:54

Recebida a luz verde da administração do Grupo VW para produzir apenas 40 exemplares do Bolide, superdesportivo planeado para acelerar apenas em circuitos, a Bugatti acelera o programa de desenvolvimento do Centodieci, carro-tributo ao empresário italiano Romano Artioli e ao arquiteto Giampaolo Benedini, nomes por trás do EB110 de motor central.

O modelo com produção limitada a apenas 10 unidades (todas já com dono…), comercializadas por preços que arrancam nos 8 milhões de euros, antes de impostos e personalizações, está agora na fase avançada de simulações no túnel de vento da marca de Molsheim.

Um motor de 9.300 CV faz movimentar uma hélice de oito metros, capaz de gerar um fluxo de ar intenso e permanente, com força suficiente para fazer descolar um avião. Ao mesmo tempo, cinco bandas simulam simultaneamente velocidades de até 300 km/h: uma debaixo de cada pneumático e a quinta sob o piso do carro.

“Usamos este recurso para simular os fluxos de ar debaixo do veículo e nas rodas e, logo, afinamos com precisão o Centodieci”, explica André Kullig, responsável de projetos.

Ainda em estudo estão, obviamente, as necessidades especiais de refrigeração do propulsor enorme com 8 litros, de que se extraem até 1600 CV de potência, a temperaturas altíssimas, obrigando a uma gestão térmica sofisticada. Como no EB 110 da década de 90, o bloco em posição traseira está à vista, coberto por um painel transparente.

Depois, as diferentes direções de vento permitem simular situações especificas da condução e testar a eficácia aerodinâmica de cada componente.

“Não importa a velocidade e qual a situação de condução, o Centodieci é dinamicamente neutro e pode ser dominado em todos os momentos, apesar da imensa potência,” afirmou André Kullig, diretor de projetos na Bugatti.

 

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Vídeos