Nissan Leaf e+ 62kWh 10.º Aniversário

Números redondos

TESTE

Por Vítor Mendes da Silva 18-07-2021 07:00

Dez anos e meio milhão de unidades depois, o Nissan Leaf reinventa-se em versão especial de aniversário. O que traz de novo?

No início da década, a Nissan antecipou-se na eletrificação do automóvel, tendo no Leaf o primeiro grande protagonista da chamada revolução silenciosa. Mas o construtor japonês travou o ritmo e a concorrência acelerou, investindo muito massivamente na tecnologia. E, enquanto não chega o promissor Ariya, com o formato SUV da moda no mercado automóvel para promover a recuperação de marca empenhada no regresso à frente do pelotão, é na modernização da berlina hatchback do segmento C que a Nissan continua a apostar as suas fichas. A mais recente edição especial Leaf10 celebra exatamente dez anos de sucesso e pioneirismo tecnológico. 

Entre os elementos exclusivos saltam imediatamente à vista os emblemas específicos do 10º aniversário, gravados nos pilares mais recuados da carroçaria que também estreia combinação de cores num novo esquema de dois tons Ceramic Grey/Pearl Black. Ainda na decoração exterior, destaque para o padrão Kumiko, estreado no SUV Ariya, que decora as capas dos espelhos, a linha do tejadilho e a tampa da mala. As jantes são de 17 polegadas e com desenho exclusivo. 

No interior, mais soluções de conectividade 4G com o hotspot Wi-Fi para ligar até sete dispositivos em simultâneo. A aplicação para smartphone NissanConnected Services ganhou funcionalidades, permitindo a consulta remota do nível da bateria, o comando das portas e pré-aquecimento do carro. Na lista de equipamentos de série destaque para o sistema de ângulo morto inteligente (IBSI), que aciona os travões automaticamente em caso de perigo.

Destaque, ainda, para dois sistema ex-libris do Leaf, o ProPilot e o e-Pedal. O primeiro foi concebido para facilitar a tarefa de quem conduz e essencialmente controla três sistemas: o Lane Assist, que mantém o carro entre os limites da faixa de rodagem, o Cruise Control Adaptativo e a Travagem Assistida de Emergência, esta última destinada a evitar embates na traseira de outros veículos, em ciclistas e até atropelamentos de peões. Por seu turno, o e-Pedal permite que o condutor carregue, mais ou menos, no acelerador, consoante o ritmo a que se quer deslocar, para depois desacelerar, mais ou menos, consoante o nível de regeneração que pretende aplicar, reduzindo a velocidade do Leaf, e podendo mesmo travar caso retire o pé do acelerador. Com o e-Pedal, o travão fica guardado para travagens de emergência e pouco mais. Todavia, um condutor normal consegue fazer exatamente o mesmo, até no campo da regeneração de energia, apenas com o acelerador e travão, conduzindo de forma convencional.

O Nissan Leaf especial de aniversário está disponível com a bateria de 40 kWh e nesta versão 62 khW e+, com 67 cv de potência adicionais, atingindo 217 cv (160 kW) e ainda 115 km de autonomia extra com uma única carga, chegando a homologados de 385 km, segundo mais confiável ciclo WLTP. A versão de base do modelo, de 150 cv e 40 kWh fica-se por 270 km.

As diferenças são substanciais também nas performances, com o e+ a revelar-se bastante despachado, associado à mesma caixa automática de velocidade única. O motor mais potente beneficia muito as recuperações de velocidade garantindo total à vontade nas manobras de ultrapassagem, por exemplo.

Durante o nosso teste consumo médio de 18 kWh/100 km, o que representa uma autonomia real de 344 km com uma só carga de bateria.

No Leaf 10.º aniversário, e através da ligação CHAdeMO em postos rápidos de 50 kW, o tempo para abastecer a 80% é de 40 minutos, sendo que na tomada caseira é preciso esperar bastante mais para ter o carro carregadinho de eletricidade. Recomenda-se a aquisição de opcional carregador Wallbox (7 kW) da Nissan, recarregando-se a bateria de 20 a 80% em 7,5 horas (11,5 horas completamente) e em postos de carga rápida (100 kW), pouco menos de 50% ou o equivalente a 157 km em aproximadamente meia hora, o dobro para enchê-la de 20 a 80%.

A bateria de 62 kWh está no piso do carro. Por isso, a habitabilidade e a capacidade da bagageira do veículo nada sofrem, preservando-se, em ambas, níveis bastante satisfatórios para o segmento, em especial a volumetria de carga, de 435 litros na configuração convencional do compartimento, e um máximo de 1176 litros com as costas dos bancos posteriores rebatidos. A estes valores devem-se descontar-se o volume ocupado por um componente do sistema de áudio do especialista Bose, “mimo” de série…

Os preços do Nissan Leaf 62kWh e+ 10.º Aniversário arrancam nos 42.550 euros (36.450 euros, preço especial com campanha de financiamento). 

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE