Mitsubishi Eclipse Cross com autonomia para 55 km elétricos

No coração da sua gama de SUV, entre o ASX e o Outlander, a Mitsubishi lança versão revista e atualizada do Eclipse Cross, com nova imagem, mais desportiva, conteúdos modernizados e sistema híbrido ‘plug-in’ para até 55 km de condução exclusivamente elétrica em cidade.

Atualidade

Por VM 10-06-2021 15:17

Em 2017, a Mitsubishi recuperou do seu espólio de velhas glórias um nome que foi de coupé compacto para batizar mais um crossover da moda. O Eclipse dos tempos modernos, já com Cross no nome, chegava ao portefólio da marca japonesa para gravitar na órbita de Nissan Qashqai & Cia., objetivo que assume com mais ambição nesta versão revista e atualizada, com imagem bem mais apelativa, acompanhada de reforço forte na componente tecnológica.

Os preços arrancam nos 46.728 euros para clientes particulares. Para clientes empresariais, na campanha de lançamento, o valor é de 32.990 euros+IVA.

Com Via Verde, paga Classe 1 nas portagens.

Híbrido (re)conhecido

O sistema híbrido ‘plug-in’ que equipa o Eclipse Cross é conhecido do Mitsubishi Outlander, combinando dois motores elétricos (um por eixo) e unidade térmica de 2,4 litros a gasolina, que funciona sobre o ciclo Atkinson – diferenciação do tempo de abertura das válvulas que permite simular um menor tempo dedicado à compressão do que à expansão –, para uma potência máxima combinada de 188 cv (224 cv no Outlander), com possibilidade de rodar em modo 100% elétrico até aos 135 km/h.

A bateria, localizada sob o piso, na zona mais ao centro da carroçaria, é de 13,8 kWh, a permitir que o novo Eclipse Cross consiga percorrer até 55 km em modo puramente elétrico; registo em condução maioritariamente citadina.

O sistema admite carregamentos rápidos a um máximo de 22 kW, para recuperar até 80% da carga em 25 minutos. Numa tomada doméstica, 100% da carga em 7 horas.

Já no registo de condução em modo híbrido (em série, com o motor a gasolina a funcionar apenas como gerador, ou em paralelo, com o motor térmico acoplado às rodas da frente como protagonista e os dois motores elétricos em apoio), o consumo médio homologado é de 2,0 l/100km, equivalendo a emissões de CO2 de 46 g/km em ciclo combinado.

Para gestão melhor gestão da energia nas baterias em utilização, o condutor pode selecionar o modo "Save", que guarda a carga da bateria para momentos de condução mais adequados, ou o modo "Charge", que força a ação do 2,4 litros para carregar em andamento.  

Há ainda cinco programas de condução possíveis: Tarmac e Eco, para estrada alcatroada, dependendo do que se privilegiar (dinâmica ou economia); Gravel, para estradas não alcatroadas; Snow, para neve ou gelo; e Normal.

Mais equipado e espaçoso

Com as alterações operadas ao design, as medidas do SUV esticaram ligeiramente, o que permitiu aumentar a capacidade da mala, que varia entre os 328 e os 1108 litros, mas o modelo perde a capacidade de mover o banco traseiro sobre calhas de 20 cm para beneficiar o espaço para a carga ou a habitabilidade para os passageiros.

Entre as novidades, um novo sistema Smartphone-link Display Audio, com ecrã de 8” e compatível com os sistemas AppleCar Play e Android Auto ou um painel de instrumentação digital.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Atualidade