Mercedes EQS é o Classe S dos elétricos

Berlina com autonomia elétrica recorde também eleva a fasquia do luxo e da sofisticação na categoria.

Atualidade

Por Vitor M. da Silva 16-04-2021 19:28

Na Mercedes-Benz, novo ponta de lança para o contra-ataque ao sucesso da Tesla.

A berlina elétrica no topo do catálogo da EQ, submarca que a marca estrela criou, propositadamente, para a comercialização de elétricos, é apontada ao estatuto de referência absoluta em matéria de sofisticação e luxo e nas tecnologias.

Entre as muitas inovações, o impressionante sistema de infoentretenimento MBUX na versão mais recente do Hyperscreen, com ecrã 142 cm de largura (cobrindo uma área de 2432,11 cm2), a panóplia de sistemas para a condução autónoma de Nível 3 e as baterias de nova geração capazes de permitir autonomia recorde para até 770 quilómetros.

Ola Källenius, o sueco que preside o conselho de administração da Daimler AG, patrão da Mercedes-Benz, define-o como “o verdadeiro ponto de viragem na marca”...

O Classe S dos elétricos

Luxo, sofisticação e imagem. Baseado no concept Vision EQS, a berlina de produção é a primeira da Mercedes EQ a recorrer à estreante Arquitetura de Veículos Elétricos, do Grupo Daimler, a permitir manter todas as credencias do navio-almirante da marca alemã com motor de combustão. As dimensões são imponentes, de topo de gama, com 5,21 metros de comprimento e 3,21 m de distância entre eixos, o que o aproxima do Classe S na sua versão mais longa. As cotas interiores são igualmente referenciais e a bagageira tem capacidade para arrumar 610 litros ou 1770 litros, depois de rebatidos os encostos dos bancos posteriores. A silhueta é ainda assim afilada, valendo-lhe o estatuto de automóvel de produção em série mais aerodinâmico do mundo com apenas 0.20 Cx..

O EQS também vai dispor de eixo traseiro direcional (de série), com um ângulo da direção de até 4.5° ou até 10°, em opção, a permitir um diâmetro de viragem de apenas 10.9 metros.

No lançamento, apenas duas versões, o EQS 450+ só com motor traseiro de 245 kW/333 cv e 568 Nm, capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 6,2 segundos, e o EQS 580 4Matic, já com a configuração de dois motores (um por cada eixo) a debitarem 385 kW/523 cv e 855 Nm para levar a berlina elétrica de 0 a 100 km/h em 4,3 segundos. Mais tarde, versão com o cunho da AMG ultrapassará os 700 cv…

A bateria de iões de lítio maior, com 107.8 kWh de capacidade, permite autonomia para de até 770 quilómetros (WLTP). O sistema admite carregamentos de 400V, permitindo carregamentos ultra-rápidos, a 200 kW, podendo recuperar até 300 km em 15 minutos.

O carregador de bordo de série é de 11 kW, mas está disponível em opção um outro de 22 kW. No caso de ligação AC a uma ‘wallbox’ de 11 kW o tempo de carregamento completo é de 10 horas; cinco hora num terminal de 22 kW.

Ligar e carregar

Ligar e carregar. A ideia da Mercedes-Benz é tornar o carregamento de um elétrico o mais simples e conveniente possível. Com a nova função Plug&Charge, o EQS tem o processo facilitado em estações de carregamento públicas. O carregamento começa assim que o cabo de carregamento é conectado; nenhuma autenticação do cliente é necessária. O veículo e a estação de carregamento comunicam-se diretamente através do cabo de carregamento.

Tal como anteriormente, os clientes do “Mercedes me Charge” continuam a beneficiar da função de pagamento integrada com pagamento automático. O cliente escolhe o método de pagamento preferido apenas uma vez. Cada processo de cobrança é então debitado automaticamente - mesmo no exterior. Os processos de cobrança individuais são descritos numa fatura mensal.

A “Mercedes me Charge” é uma das maiores redes de carregamento do mundo e está em contínua expansão. Atualmente, é composta por cerca de 500.000 pontos de carregamento AC e DC em todo o mundo, dos quais mais de 200.000 estão na Europa.

Apenas um contrato é necessário: os clientes beneficiam de uma função de pagamento integrada com faturação simples após terem registado o seu método de pagamento com o parceiro de cobrança da Mercedes me uma vez. O objetivo principal são viagens descontraídas, descomplicadas, com transparência e certeza de planeamento.

Capacidade para aprender

Na berlina de luxo elétrica da Mercedes-Benz, rival de Tesla Model S, a estreia do MBUX Hyperscreen, evolução do sistema operativo recém-apresentado no novo Classe S, maior, mais moderno e com capacidade para… aprender.

O painel digital curvo, que é na verdade compostos por três ecrãs com tecnologia OLED (um no lugar da instrumentação, outro ao centro, para o infoentretenimento, e um terceiro à frente do passageiro dianteiro) usa a mais recente geração de inteligência artificial para que tanto o ecrã, como o sistema operativo apresentem capacidade de adaptação ao utilizador, podendo inclusivamente fazer sugestões personalizadas para diversas funções de multimédia, conforto e outras.

Graças à designada camada zero, o utilizador não necessita de percorrer todos os submenus nem fornecer comandos de voz. As aplicações mais importantes são sempre fornecidas no nível superior e numa vista descritiva em função da situação e do contexto. Desta forma, o condutor do EQS não necessita de realizar inúmeras etapas de operação.

Há um total de 12 atuadores sob o ecrã tátil para o feedback háptico durante a operação. Se o dedo tocar nalguns pontos, ativam um ponto de vibração notório para o utilizador. Duas camadas de cobertura reduzem os reflexos e tornam a limpeza mais fácil. O vidro curvo é resistente a riscos. Em resposta a caso de acidentes, existem pontos de quebra predeterminados graças à sua estrutura em ninho de abelha na camada inferior.

O equipamento de ponta conta com oito núcleos CPU, com memória RAM de 24 GB e 46.4 GB por segundo de largura de banda de memória RAM.

Ainda nas tecnologias, o EQS introduz sistemas como a deteção de micro-sono, através de uma câmara orientada para o condutor avaliando os movimentos das pálpebras para detetar sinais de fadiga ou o sistema de iluminação Digital Light, com tecnologia Full LED adaptativa e capaz de usar 1.3 milhões de microespelhos refletores por cada farol.

A Mercedes-Benz não revelou preços indicativos, nem a data para o arranque da comercialização.  

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Atualidade