Pagani Huayra R: 850 cavalos de corrida

Com produção limitada a apenas 30 exemplares, o Pagani Huayra R é para utilização exclusiva em pista.

Atualidade

Por Vitor M. da Silva 10:40

Motor V12 atmosférico de 850 CV, caixa manual/sequencial de seis velocidades e tração traseira. São estes os ingredientes dominantes de receita ‘purista’ na base do Huayra R, supercarro para utilização exclusiva em circuitos, sucessor espiritual do mais radical Zonda, no catálogo de criações incríveis da Pagani.  

O construtor italiano de San Cesario sul Panaro trabalhou em parceria com os alemães da HWA, empresa que constrói carros de competição para a Mercedes-Benz, para criar mecânica capaz de suplantar o V12 biturbo de origem Mercedes-AMG que equipa a versão de estrada. Mais emocional e muito leve (só 198 kg…), o novo 6.0 litros naturalmente aspirado rende 850 cv de potência (mais 10 cv do que no Huayra Tricolore) e 750 Nm de binário máximo entre as 5500 e as 8300 rpm, sendo o redline atingido às 9000 rpm.

“O novo motor tinha que ter o encanto, o romance, o som e a simplicidade dos motores de Fórmula 1 da década de 1980, ao mesmo tempo que incorpora a tecnologia mais avançada disponível na atualidade”, explicou Horacio Pagani, fundador e diretor da Pagani Automobili. 

A caixa é sequencial de seis velocidades com embraiagem de três discos feitos de metais sintetizados, anunciando redução da fricção em até 95%. Motor e caixa foram montados diretamente na estrutura do carro.

Dieta rica em fibra

Enquanto a carroçaria é integralmente produzida em fibra de carbono, o chassis monocoque combina carbono e titânio na sua conceção. Esta ‘dieta’ permitiu reduzir o peso do conjunto (dividido na proporção 46/54), aumentando de 16% na rigidez torsional. Na aerodinâmica, 1000 kg de força descendente aos 320 km/h…

O Pagani Huayra R custa 2,6 milhões de euros, antes de impostos.

 

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Atualidade