Peugeot 308 com dois PHEV desde o lançamento

Maior, mais moderno e dinamicamente evoluído, o novo compacto da marca do leão tem na imagem de forte personalidade trunfo valiosíssimo para o ataque às referências da categoria.

Atualidade

Por Vitor M. da Silva 18-03-2021 10:16

2021 afigura-se especialmente promissor para a Peugeot, que aos muito bons resultados nos primeiros dois meses do ano pode somar a chegada de geração nova do 308, automóvel importante comercialmente para o fabricante francês, considerando o posicionamento no valioso segmento C, ao lado de VW Golf, Renault Mégane & Cia.

Com mais de 7.000.000 de veículos vendidos ao longo das várias gerações, o compacto francês constitui pilar fundamental para o sucesso da marca. E, claro, precisamente devido ao êxito do modelo, a ambição aumenta na abordagem a cada sucessor.

O novo 308 é precursor do estilo atual da Peugeot, fundado com o 3008 e o 5008 – o primeiro, a assumir-se como principal modelo de inspiração, e com elementos de design atualizados mais recentemente nos 208/2008. Mas coube-lhe as honras da estreia da versão mais recente do emblema da marca, com o felino que simboliza o construtor desde 1850 — anterior à gama de automóveis –, representado agora num escudo de inspiração retro, semelhante ao criado em 1936, e que também foi utilizado em meados da década 60 na dianteira do 404.

Ainda à imagem do SUV, com que partilha plataforma e motorizações, o novo 308 é um automóvel maior no tamanho, desde logo no comprimento total, a que acrescenta 11 cm ao carro que se apresta a sair de cena, num total de 4,367 m. Também será mais largo (4,8 cm, para 1,852 m) e seguindo o padrão quase generalizado do desenho dos carros de hoje, maiores, mais largos e mais baixos, o sucessor terá menos 2 cm de altura, descendo para 1,44 metros.

A distância entre eixos é igualmente maior (5,5 cm), o que permite antecipar ganhos de habitabilidade, sobretudo no espaço para as pernas dos passageiros nos bancos posteriores. Até porque o compartimento da mala manteve praticamente intacta a sua capacidade: a volumetria útil até se reduziu de 420 para 412 litros, havendo agora um compartimento de 28 litros de capacidade por baixo do piso.

i-Cockpit de última geração

Igualmente garantido no interior está a mais moderna geração do i-Cockpit, o assim denominado painel de bordo exclusivo da Peugeot, com o volante de pequenas dimensões abaixo dos instrumentos e a completa digitalização dos ecrãs (de 10“ desde o nível de equipamento Active Pack, assumindo a tecnologia 3D no nível GT), incluindo amplo monitor tátil no centro consola central.

O novo design da consola central traduz o ganho de espaço proporcionado pela compacidade da nova unidade de climatização. O seu design reúne todos os controlos dinâmicos do veículo sobre um arco do lado do condutor: um novo controlo compacto, de impulso, para seleção dos modos (Reverse, Neutral, Drive) e 2 botões (Parking e Manual) para a caixa de velocidades automática de 8 velocidades; o seletor do Modo de condução, para escolher os diferentes modos (Electric, Hybrid, Eco, Normal e Sport) consoante a motorização.

A atentar às imagens do interior, o 308 evoluiu igualmente vasta dotação de tecnologias de apoio à condução e de infoentretenimento e conectividade, incluindo sistema de vanguarda na Peugeot Mirror-Link com compatibilidade para smartphone com Apple CarPlay e Android Auto. A experiência tecnológica com o PEUGEOT i-Connect Advanced é total, uma vez que dispõe de navegação conectada TomTom de elevado desempenho. Para uma legibilidade ideal, a visualização do mapa faz-se na totalidade do ecrã de 10” e as suas atualizações são realizadas over the air.

Ajudas à condução

A bordo do novo 308, as ajudas à condução de última geração completam a oferta tecnológica a bordo, ao melhor nível do savoir-faire da marca. Um novo passo em direção à condução semiautónoma é dado com o pack Drive Assist 2.0 (disponível no final do ano). Este inclui o Cruise Control adaptativo com função Stop and Go (com caixa de velocidades automática EAT8) e a ajuda à manutenção do veículo na faixa de rodagem, ao mesmo tempo que adiciona 3 novas funções para vias com dupla faixa de rodagem: mudança semiautomática de faixa: propõe ao condutor a ultrapassagem do veículo imediatamente à sua frente, propondo, de seguida, o regresso à faixa original; opera entre os 70 e os 180 km/h; Recomendação antecipada da velocidade: o sistema propõe ao condutor adaptar a velocidade do veículo (aceleração ou desaceleração) consoante as indicações dos sinais de limitação de velocidade; Adaptação da velocidade em curva: otimiza a velocidade em função do ângulo da curva; disponível até aos 180 km/h.

Híbridos no lançamento

Nas motorizações, motores de 3 cilindros a gasolina e Diesel de 4 cilindros, de 100 a 130 cv. Nas primeiras, motor 1.2 Puretech nas derivações de 100 cv (com caixa manual de seis velocidades) e 130 cv (caixa manual ou automática de oito velocidades). Na gama a gasóleo, versão de 130 cv do bloco de 1,5 litros Blue HDi, com caixa manual ou automática.

A estes, logo no lançamento, somam-se as duas opções híbridas ‘plug-in’: o HYBRID 225 e-EAT8, que combina o motor PureTech de 180 cv (132 kW) e um motor elétrico de 81 kW acoplado à caixa e-EAT8 e o HYBRID 180 e-EAT8, que associa o motor PureTech de 150 cv (110 kW) e um motor elétrico de 81 kW, também acoplado à caixa e-EAT8.

Nos dois PHEV, cerca de 60 km de autonomia elétrica, graças a bateria de iões de lítio com capacidade de 12,4 kWh, estando disponíveis dois tipos de carregadores embarcados, que vão ao encontro de todas as utilizações e soluções de carregamento pretendidas pelo cliente, um carregador monofásico de 3,7 kW, de série, e outro de 7,4 kW, igualmente monofásico, opcional. 

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Atualidade