Primeira atualização do Audi Q5

No lançamento, no outono, versão 40 TDI com motor 2.0 a gasóleo (204 cv), caixa automática de 7 velocidades e tração integral

Atualidade

Por Auto Foco 06-07-2020 16:28

Na Audi, durante o outono, edição nova do Q5. Trata-se da primeira atualização da 2.ª geração do 'Sport Utility Vehicle' (SUV), que a marca do Grupo VW revelou em outubro de 2016, no Mondial de l’Automobile (Paris). A intervenção valoriza quer os conteúdos técnicos e tecnológicos, como a apresentação exterior e interior de modelo que ganha 19 mm em comprimento, com a adoção de para-choques novos

 

Entre as novidades, sistema de info-entretenimento com 'hardware' e 'software' novos… Chama-se MIB3 e integra um processador mais rápido, que alimenta o monitor tátil de 10,1’’ no topo do painel de bordo, ao centro – substitui tecnologia que incluiu um ecrã com um máximo de 8,3’’ e eliminam-se muitos comandos, incluindo a superfície tátil e o comando rotativo que encontrávamos na consola entre os bancos dianteiros. Devido à mudança, operação mais intuitiva e rápida e maior conectividade, com acessos tanto a atualizações remotas como as informações de trânsito em tempo real. O Audi Virtual Cockpit soma-lhes instrumentação digital (monitor com 12,3’’) e, em opção, o projetor de dados no para-brisas (Head-Up Display).

 

No lançamento, disponibilidade apenas da versão 40 TDI com motor 2.0 a gasóleo (204 cv), caixa automática de 7 velocidades (S tronic) e tração integral (quattro ultra). Neste SUV, em condições normais, privilegiar-se-á o envio de binário para as rodas dianteiras (as traseiras ativar-se-ão automaticamente, detetando-se falha de aderência). Além da bateria convencional de 12V, o Q5 contará com uma bateria complementar de 48V, de iões de lítio, para armazenamento da energia recuperada por máquina elétrica durante as desacelerações e travagens. O dispositivo encarregar-se-á do arranque da mecânica de combustão interna, que poderá desligar-se na condução, mas de forma temporária, para permitir o movimento por inércia para e o acionamento precoce do Start-Stop. Na lista das vantagens dos sistemas mild-hybrid (MHEV), redução dos consumos e das emissões de escape. A marca alemã anuncia arranca 0-100 km/h em 7,6 s, velocidade máxima de 222 km/h e 5,3 a 5,4 l/100 km de consumo médio.

 

Depois, a gama ganhará segundo TDI, dois motores a gasolina e duas versões híbridas, ambas com sistemas de recarregamento externo das baterias (TFSIe). No demais, o Q5 produzido em San José Chiapa, no México mantém-se como o conhecemos. Anunciam-se quatro níveis de equipamento: básico, Advanced, S Line e Black Line.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Atualidade