França ‘injeta’ 8000 milhões de euros na indústria automóvel

Atualidade

Por Auto Foco 28-05-2020 13:31

Emannuel Macron anunciou plano de apoio à industria automóvel, muito debilitada pela pandemia da COVID-19. A crise de saúde pública mundial parou a produção e o comércio, dinamitando os alicerces financeiros dos fabricantes, que trabalhavam na mudança de paradigma dos motores térmicos para os elétricos para cumprirem normas antipoluição cada vez mais restritivas, sobretudo na Europa. O governo de Paris anunciou pacote de apoios que ascende a 8000 milhões de euros, mas impõe contrapartidas, nomeadamente a concentração no país da produção de carros sem emissões de gases de escape.

 

O plano do governo francês inclui um aumento significativo nos incentivos à compra de elétricos e ao abate de carros em fim de vida, para acelerar a renovação do parque circulante e retirar da estrada os automóveis mais poluentes. Marcon pretende que a França assume um papel de liderança na massificação das tecnologias elétricas e anunciou o objetivo de que os fabricantes do país alcancem a barreira do milhão de elétricos e híbridos produzidos por ano até 2025.

 

Para torná-lo possível, o presidente francês anunciou o aumento do apoio estatal à compra de automóveis elétricos de 6000 € para 7000 €. Este incentivo beneficia só os privados e apenas na compra de carros com preço até 45.000 €. Para os clientes empresariais, o bónus é de 5000 €. Também há ‘estímulo’ de 2000 € para todos os híbridos com tecnologia Plug-In com preços até 50.00 € que percorram um mínimo de 50 km de forma totalmente elétrica. Este pacote encontrar-se-á disponível entre 1 de junho e 31 de dezembro. Objetivo: ‘acelerar’ tanto a retoma do mercado como a massificação da eletrificação do automóvel.

 

Mas, o governo de Emmanuel Macron também preparou pacote de estímulos para a renovação do parque automóvel, oferecendo 3000 € na compra de modelo novo ou usado com mecânica a gasolina ou gasóleo moderna. E o apoio aumenta para 5000 €, na aquisição de viatura elétrica. O programa beneficia 75% dos franceses (deixa de fora apenas os cidadãos nacionais com mais rendimentos), admite a combinação de incentivos, pelos menos para os primeiros 200.000 modelos vendidos a partir de 1 de junho e permite um bónus máximo de 12.000 €, na compra de elétrico, contra a entrega de carro em fim de vida.

 

Em França, devido à COVID-19, as vendas de automóveis novos abrandaram 72% em março e 89% em abril, na comparação com os mesmos meses do ano passado. Também por isso, Macron preparou pacote de 1,3 mil milhões de euros para apoiar a retoma do comercio e diminuir os ‘stocks’ dos concessionários.

 

O anúncio de Macron coincidiu no tempo com a confirmação de aliança entre três ‘pesos pesados’ da indústria francesa, Renault, PSA e Total, para o desenvolvimento e produção no país e na Alemanha de baterias para automóveis elétricos e híbridos. A primeira comprometeu-se a redirecionar para a fábrica de Cleon, em França, um investimento planeado, originalmente, para a Ásia (bateria de iões de lítio com 100 kWh de capacidade). O presidente francês revelou, ainda, que a Peugeot prepara o lançamento de versão 100% elétrica do 3008, que assentará em plataforma nova e será construida nas linhas de montagem da marca em Sochaux, França.

 

Também para apoio à eletrificação do automóvel, o estado francês comprometeu-se com a instalação até 2021 de rede com 100.000 postos públicos para carregamento de baterias. Outras medidas: fundo de mil milhões de euros para apoio à retoma da produção, incluindo 200 milhões para o financiamento da modernização de fábricas de componentes.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Atualidade