Prémio Nobel da Química atribuído a pioneiros das baterias de iões de lítio

Atualidade

Por Auto Foco 10-10-2019 08:51

Os cientistas John Goodenough, Stanley Whittingham e Akira Yoshino ganharam o Prémio Nobel da Química de 2019 pelo desenvolvimento de baterias de iões de lítio.

Stanley Whittingham, da Universidade Binghamton (Universidade Estatal de Nova Iorque) desenvolveu a primeira bateria de lítio funcional no início da década de 1970, enquanto John B. Goodenough, da Universidade do Texas (Austin, Estados Unidos) duplicou o potencial da bateria na década seguinte. Por fim, Akira Yoshino, da Universidade Meijo, Asahi Kasei Corporation (Japão), eliminou o lítio puro da bateria, elevando a segurança do dispositivo.

«As baterias de iões de lítio revolucionaram as nossas vidas e são usadas em tudo, desde telemóveis a computadores portáteis e veículos elétricos. Através do seu trabalho, os laureados com o prémio da Química deste ano lançaram os fundamentos para uma sociedade sem fios e sem combustíveis fósseis», explicou a Real Academia Sueca das Ciências.

Uma nota final o norte-americano John B. Goodenough que, aos 97 anos, se tornou no mais velho vencedor de sempre de um Prémio Nobel.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Atualidade