Vendas abaixo da linha de água

Em agosto, ‘travagem’ de 19,1% nas matrículas de ligeiros de passageiros. Na Renault, -57,2%!

Opinião

Por José Caetano 20-09-2019 13:35

As vendas de carros novos em Portugal, teimosamente, mantêm-se (muito...) abaixo da linha de água, no vermelho. Em agosto, mais abrandamento na procura! Na comparação com o mesmo mês de 2018, abrandamento de 14,2% no número de matrículas (nos ligeiros de passageiros, ainda pior, com perda de 19%), para apenas 16.035, de acordo com a Associação Automóvel de Portugal (ACAP), que não disseca canais de distribuição e omite o impacto enormes do setor do rent-a-car na sustentação do mercado nacional (vale 40% dos registos), consequência do crescimento excecional do turismo no nosso País. Considerando apenas os clientes particulares, a categoria mais rentável para as marcas, perdas importantes…


Os números de agosto refletem-se no acumulado do ano, igualmente negativo. No frente a frente com 2018, nos primeiros oito meses de 2019, travagem de 5% nas matrículas, para 188.514 viaturas. Nos ligeiros de passageiros, números mais negativos, com -6,1% em agosto e -5,2% no período janeiro-agosto.


Por marcas, Renault 1.ª na tabela dos ligeiros de passageiros, após agosto muito negativo, com quebra de 57,2% nas matrículas, na comparação com o mesmo mês do ano passado, para 1063 automóveis. No ranking mensal, a marca francesa foi apenas 3.ª, atrás de Peugeot (1326 carros, +1,5%) e Mercedes-Benz (1222, +10,2%). Mesmo assim, no acumulado de 2019, no frente a frente com 2018, a perda de 15% não comprometeu a manutenção de liderança com 21 anos: 21.263 ligeiros de passageiros matriculados, redução na quota de mercado de 14,73% para 13,33%.


A Peugeot é 2.ª, com crescimento de 2,1%, para 16.843 automóveis (aumento na quota de 9,71% para 10,56%) e a Mercedes-Benz, travando apenas 0,1%, continua no pódio, com 11.391 carros (7,14% em vez de 6,70%).


Na SIVA, manutenção das réplicas do terramoto que arrasou a maior empresa automóvel no nosso País (SAG-SGPS SA), com as marcas do importador a perderem milhares de vendas. A Volkswagen é 9.ª na tabela anual, com 7524 ligeiros de passageiros (-21,3%), a Audi aparece apenas no 17.º lugar, com 2662 carros (-33,0%) e a Skoda posiciona-se em 24.º, com 1142 viaturas (-9,1%). 


Uma batata quente nas mãos da Porsche Holding Salzburgo, do Grupo VW. A compra da empresa portuguesa pelo distribuidor automóvel n.º 1 no mercado automóvel concretizar-se-á somente no final do mês. Depois, sim, austríacos ao leme de operação que precisa de socorro imediato!

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Opinião