Genebra (ainda?) exceção à regra

Ford, Hyundai, Infiniti, Jaguar, Land Rover, Mini, Opel e Volvo ‘falham’ maior exposição de 2019

Opinião

Por José Caetano 15-03-2019 12:25

Vivem-se tempos de mudança na indústria automóvel, com prenúncio de revolução no paradigma dominante há mais de 100 anos, com os motores elétricos a sucederem aos térmicos, de combustão interna. Reconfirma-o a edição 89 do salão de Genebra, a maior exposição mundial, por desfrutar de níveis de popularidade que não encontramos em Detroit, Pais, Frankfurt e Tóquio, os outros certames no top-5, principalmente entre os construtores.


Ainda assim, diversas marcas, várias de topo, falham Genebra-2019… Ford, Hyundai, Infiniti, Jaguar, Land Rover, Mini, Opel ou Volvo não estão representadas na Palexpo, o centro de exposições da cidade com pouco mais de 200.000 habitantes, incluindo muitos milhares de emigrantes portugueses, na margem do lago Léman, quase à sombra do Monte Branco, a montanha mais alta dos Alpes e da Europa Ocidental – 4808 m acima do nível do mar.


Os nomes dos ausentes demonstram a perda de gás das exposições. O fenómeno tem diversas explicações, mas a número um não é a redução da paixão pelo automóvel. Pelo contrário... Atualmente, os fabricantes têm número crescente de obrigações e, trabalhando com orçamentos limitados, fazem escolhas muito criteriosas, investindo só com certeza de algum retorno. Os salões não são, nunca foram!, espaços de comércio, ao contrário do que sucede com acontecimentos emergentes, como o Festival de Velocidade de Goodwood (Inglaterra) e a Semana do Automóvel de Monterey (EUA), que tem Concurso de Elegância (Pebble Beach) como emblema.


Simultaneamente, a Internet e as redes sociais transformaram a comunicação, maior devido à indisponibilidade da maioria dos consumidores para comprarem conteúdos. E, assim, necessidade de descoberta de alternativas para a promoção da relação com os públicos-alvo, que é cada vez mais direta. 


Genebra e a Suíça encontram-se no epicentro da história centenária do automóvel. Realizado em 1905, o 1.º salão contou com os modelos mais importantes no princípio do Século XX, a maioria com motores de combustão interna e a... vapor! Ao longo dos tempos, apresentaram-se, em estreia mundial, milhares de produtos, entre estudos/protótipos e carros de produção. Complementarmente revelaram-se equipamentos e tecnologias. Num país sem indústria, surpreendente! Na edição 89 do certame, apresenta-se o futuro da mobilidade, com a fórmula da eletrificação, parcial ou total, entre as prioridades partilhadas por todos os fabricantes.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Opinião