Mazda CX-30 2.0 Skyactiv -G VS Renault Arkana TCE 140 EDC

Fora da caixa

CONFRONTO

Por Paulo Sérgio Cardoso 06-08-2022 07:00

Fotos: Gonçalo Martins

Com o Arkana, a Renault afirma-se estreante entre os SUV coupé compactos, mas o certo é que também não falta identidade e ‘estilo’ ao Mazda CX-30! Qual conseguirá conjugar melhor o formato elitista com as funcionalidades quotidianas?

O Arkana traz à Renault o pioneirismo de mais um derivativo dos tão populares SUV, com a carroçaria ao estilo coupé a conferir elitismo num segmento que, à partida, se quer acessível e os seus modelos práticos. Para (tentar) ser barato, o Arkana nasce sobre variante de distância entre eixos alongada da plataforma do Captur, mas nem por isso se nega a cumprir desígnios de concorrentes igualmente estilosos oriundos de berços mais maduros, caso do Mazda CX-30, apoiado na plataforma do maior Mazda3.

E, logo por fora, o Arkana impõe o porte avantajado, sendo maior em todas as dimensões face a um CX-30 supostamente de segmento acima: da distância entre eixos ao comprimento, passando pela altura livre ao solo, o Renault assume-se mais SUV face ao Mazda. Grande por fora, grande por dentro, com a habitabilidade do Arkana a não se deixar escravizar pelo estilo coupé da carroçaria, oferecendo até um pouco mais de espaço em largura e comprimento no banco traseiro, só perdendo aí para o Mazda apenas 3 cm em altura (do assento ao tejadilho), mas sem que a cota aferida seja crítica ou leve os adultos a tocar com a cabeça no teto.
Depois, chegando-se à bagageira, o Arkana surpreende não só pelo amplo e facilitado acesso, como principalmente pelo volume de carga útil, com os 513 litros a permitirem o luxo de... mandar coisas lá para dentro! Com zona traseira da carroçaria menos pronunciada, o Mazda fica-se pelos 430 litros, sendo que ambos incluem plataforma amovível para organizar o piso de carga em duas alturas.

Qualidade e simplicidade nipónica
Ambos partilham forte afirmação estética exterior, mas as marcas escolheram diferentes estilos para os habitáculos: mais digitalizado, animado e desportivo o Renault; mais sóbrio, simplificado e qualitativamente superior o Mazda - as versões em teste também contribuem para essa sensação.

O Arkana R.S. Line deixa desde logo bem vincada a orientação desportiva, quer pelas aplicações a imitar carbono, decoração que mistura o negro e o vermelho, ótima pega perfurada para o volante; quer pelos bancos excelentes e ergonómicos, revestidos num misto de Alcantara e pele, que somam ainda a funcionalidade dos ajustes elétricos. O painel de instrumentos multicenários é 100% digital e a consola central dominada pelo ecrã tátil vertical de 9,3’’ do sistema multimédia. O equipamento inclui modos de condução e caixa automática com patilhas no volante.
A versão Evolve do Mazda é menos sensacionalista, embora os bancos em tecido cumpram perfeitamente a sua função de comodidade e contribuam para uma posição de condução corretíssima, mais baixa e mais ao estilo berlina do que SUV. As formas do tablier podem não ser tão inspiradas - note-se a simplicidade da instrumentação, mais analógica que digital, e apenas com as informações básicas para a condução - mas é inegável a superior robustez da construção e a qualidade transmitida por algumas zonas revestidas a pele. O sistema de infoentretenimento é controlado via comando rotativo e botões localizados na consola entre bancos, o que (quanto a nós) resulta mais funcional e seguro face aos monitores táteis. Em ambos existem comandos físicos e diretos para a climatização.

Distintas personalidades dinâmicas
As diferenças continuam a surgir muito bem vincadas na atitude para com a estrada e para o condutor, sendo que a principal (e talvez única semelhança!) seja o recurso a sistemas de hibridação ligeira (MHEV, Mild Hybrid) para aumentar a eficiência das mecânicas térmicas a gasolina.

Na Mazda, uma cada vez mais rara unidade atmosférica de 2 litros e 150 cv, que além de MHEV soma tecnologia de desativação de dois dos quatro cilindros em momentos de carga baixa ou parcial de acelerador - ao condutor chega apenas uma ligeira vibração mecânica, com o sistema multimédia a informar os instantes em que o motor trabalha a dois cilindros. A inferior disponibilidade de binário nos baixos regimes associada à presença de uma caixa manual de relações longas obriga a escalar as rotações para que se obtenha uma resposta mais vigorosa, por exemplo, em situações de ultrapassagem - ver os valores das recuperações aferidas. Elevando-se o regime, perde-se a suavidade e o silêncio que caracterizam o bloco 2 litros no uso quotidiano, com comando rápido, preciso e direto da caixa manual. Por outro lado, as acelerações a fundo resultam mais lestas face ao Renault, com o bom resultado de 0 a 100 km/h suportado pelo facto de ser alcançado em segunda velocidade.

A carroçaria mais baixa ajuda a melhor suster os movimentos laterais em curva e a criar fluidez dinâmica, bem ajudada pela direção precisa e eixo dianteiro rápido e certeiro.
O mais pequeno 1.3 turbo de 140 cv do Renault Arkana tem na superior disponibilidade de binário a baixos regimes e no trabalho conjunto com a caixa de velocidades argumentos que contribuem para uma condução mais despachada e relaxada, onde simplesmente... basta acelerar! Esta mecânica de 4 cilindros também surpreende pela suavidade e silêncio de ação, não precisando ser puxada para render mais velocidade, mostrando-se, igualmente, mais viva e mais mecanicamente ativa e linear (a caixa automática é decisiva) face à versão híbrida (E-Tech) já experimentada.

Olhando aos custos, percebemos que a versão R.S. Line do Arkana faz-se pagar pelo equipamento suplementar e por todos os pormenores que a definem, apoiados numa imagem decididamente mais desportiva. O Mazda CX-30 2.0 Skyactiv-G, mesmo sendo alvo de superior tributação anual de IUC, ganha pontos nos consumos mais baixos, numa utilização normalizada.

É preciso abrir portas para acreditar e validar as qualidades familiares do Renault Arkana, o primeiro SUV compacto de estilo assumidamente coupé, nascido sobre a plataforma do Captur, e que sem se escravizar ao design, propõe espaço e bagageira ao nível de segmentos mais altos. Está mecanicamente bem acompanhado com o motor 1.3 turbo e pela descontração proporcionada pela caixa automática. O igualmente carismático Mazda CX-30 não tem a largueza interior ou os equipamentos do Arkana mas oferece condução mais ágil - mesmo com amorfo 2.0 atmosférico.

Ler Mais

Ficha Técnica

Características

MAZDA CX-30

2.0 Skyactiv-G Evolve

RENAULT Arkana

TCE 140 EDC R.S. Line

Motor
Arquitetura 4 cilindros em linha 4 cilindros em linha
Capacidade 1998 cc 1333 cc
Alimentação Injeção direta (MHEV) Injeção direta, Turbo (MHEV)
Distribuição 2 a.c.c./16 v 2 a.c.c./16 v
Potência 150 cv/6000 rpm 140 cv/4500-6000 rpm
Binário 213 Nm/4000 rpm 260 Nm/1750-3500 rpm
Transmissão
Tração Dianteira Dianteira
Caixa de velocidades Manual de 6 velocidades Automática de 7 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. triângulos duplos Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Discos Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11,4 m Elétrica/11,2 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,395/1,795/1,540 m 4,568/1,821/1,576 m
Distância entre eixos 2,655 m 2,72 m
Mala 430-1406 litros 513-1269 litros
Depósito de combustível 51 litros 50 litros
Pneus F 215/55 R18 215/55R18
Pneus T 215/55 R18 215/55R18
Peso 1344 kg 1411 kg
Relação peso/potência 9 kg/cv 10 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 198 km/h 205 km/h
Acel. 0-100 km/h 8,8 s 9,8 s
Consumo médio 5,9 l/100 km 5,8 l/100 km
Emissões de CO2 134 g/km 132 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 3 anos ou 100.000 km 2 anos sem limite de km
Pintura/Corrosão 3/12 anos 3/12 anos
Intervalos entre revisões 20000 km 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 204,81 € 137,14 €

Medições

MAZDA

Acelerações
0-50 km/h 3,0 s
0-100 / 130 km/h 8,8/14,9 s
0-400 / 0-1000 m 16,5/30,2 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 7,4 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 7,2/9,5/13,2 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 10,0/13,5/19,8 s
Travagem
100-0/50-0km/h 38,3/9,6 m
Consumos
Consumo médio 6,7 l/100km
Autonomia 761 km

Medições

RENAULT

Acelerações
0-50 km/h 3,6 s
0-100 / 130 km/h 9,5/16,6 s
0-400 / 0-1000 m 17,1/31,2 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 4 s
60-100 km/h (D) 4,8 s
80-120 km/h (D) 6,3 s
Travagem
100-0/50-0km/h 38,2/9,1 m
Consumos
Consumo médio 7,2 l/100km
Autonomia 694 km