Com consumos na ordem dos 14 kWh/100 km, a autonomia pode agora chegar aos 250 km, mesmo com alguns percursos em autoestrada BMW i3 (120AH) Pack Comfort Adv. À imagem do que acontece nos modelos com motores de combustão, no portefólio da BMW, botão na consola para selecionar programa de condução O modo Sport é um dos fatores de diferenciação do ‘s’ face ao i3 normal, como que ‘espicaçando’ a existência dos 184 cv (no i3, 170 cv) BMW i3 (120AH) Pack Comfort Adv. Motor traseiro e tração às rodas posteriores não impediram a criação de mala com capacidade mediana: 260 litros úteis Posição de condução correta, bancos confortáveis. O acesso aos dois lugares posteriores facilitado pelas portas com abertura do tipo ‘suicida’ BMW i3 (120AH) Pack Comfort Adv. BMW i3 (120AH) Pack Comfort Adv. Versão S no BMW i3 tem ambições quase desportivas BMW i3 (120AH) Pack Comfort Adv. Autonomia ‘real’ em utilização mista ronda os 270 km BMW i3 (120AH) Pack Comfort Adv. BMW i3 (120AH) Pack Comfort Adv. BMW i3 (120AH) Pack Comfort Adv. BMW i3 (120AH) Pack Comfort Adv. Habitáculo com imagem moderna e requintada, muito bem construído com materiais de qualidade; nota ainda para a boa ergonomia geral Instrumentação digital permite vários modos de apresentação e fornece informação detalhadíssima DS3 Crossback e-Tense Performance Line DS3 Crossback e-Tense Performance Line DS3 Crossback e-Tense Performance Line DS3 Crossback e-Tense Performance Line DS3 Crossback e-Tense Performance Line DS3 Crossback e-Tense Performance Line Posição de condução correta, ainda que um pouco elevada; os bancos, forrados a pele e com estética apelativa, são cómodos e ergonómicos DS3 Crossback e-Tense Performance Line DS3 Crossback e-Tense Performance Line Não falta desembaraço em aceleração, em particular se ativado o modo Sport DS3 Crossback e-Tense Performance Line DS 3 e-Tense é 300 kg mais pesado do que a versão a gasolina DS3 Crossback e-Tense Performance Line DS3 Crossback e-Tense Performance Line

BMW i3 (120AH) Pack Comfort Adv. vs DS3 Crossback e-Tense Performance Line

Suplementos energéticos

CONFRONTO

Por Vítor Mendes da Silva 02-11-2020 18:45

Fotos: Gonçalo Martins

Suplementos energéticos. São cada vez mais os que acreditam que são indispensáveis para um estilo de vida ativo e saudável. Tal como na indústria automóvel já ninguém duvida dos benefícios da eletrificação do automóvel, rumo a uma mobilidade de futuro, mais sustentável.

ds3Na parisiense DS celebra-se a estreia do 3 Crossback E-Tense, automóvel que é o pioneiro entre os crossovers compactos equipados com propulsão 100% elétrica. Não é o primeiro do género entre automóveis de segmento B com o dito posicionamento premium, porque o i3 iniciou o processo de eletrificação da BMW em 2013, há sete anos. No fabricante alemão há, desde então, programa em marcha que pressupõe 25 viaturas eletrificadas até 2025, incluindo 12 modelos movidos apenas por motores elétricos alimentados por bateria. Este processo acelerou muito recentemente, com a chamada a ação da Mini, mas arrancou com o i3, então o único assumidamente premium na categoria.

bmw i3Beneficiando de constantes atualizações, o elétrico da BMW mantém tecnicamente o essencial do que conhecemos desde o original, com habitáculo de 2+2 lugares com favorecimento dos ocupantes dos lugares dianteiros em detrimento dos de trás, mala com capacidade apenas mediana, motor traseiro e tração às rodas posteriores. Mas a capacidade efetiva das suas baterias duplicou de iniciais 60 Ah para agora 120 Ah. Significa que, atualmente, mesmo na versão ‘s’, a mais potente e energeticamente mais gastadora, o BMW i3 pode com relativa facilidade ultrapassar a fasquia dos 250 km.

As baterias de alta voltagem passaram para 42,2 kWh, o que resulta também em mais tempo necessário para os carregamentos: para alcançar os 80% de carga serão necessárias mais de 15 horas de ligação a uma tomada doméstica (a 2,4 kWh) ou, então, 45 minutos se conectado a uma estação de carregamento rápido, a 50 kW.

Não difere muito da solução utilizada pela DS neste E-Tense. O DS 3 Crossback elétrico tem pack de baterias de iões de lítio de 50 kWh de capacidade que aguenta carregamentos rápidos a 100 kW, sendo precisos 30 minutos para reabastecer 80%. Por outro lado, conte-se com 7h30m para carregamento total na wallbox de 7,4 kW, ou 5h se ligado a 11 kW, tendo a marca apostado forte na eficiência do sistema de refrigeração das baterias para que seja retirada a máxima eficácia dos carregamentos.

No crossover, o pack de baterias faz movimentar motor de 136 cv que entrega a potência às rodas dianteiras, sendo utilizável através de três modos de condução – Eco, Normal e Sport –, sendo que o fabricante anuncia autonomia máxima na ordem dos 320 km em ciclo WLTP, em modo Eco, com potência limitada a 82 cv. Numa utilização mista, aproveitando as características do percurso para regenerar energia em andamento, em modo B (desaceleração de 1,2 m/s2; o modo normal desacelera 0,5 m/s2, estando a potência limitada a 109 cv), percorremos 300 quilómetros antes de ser necessário colocar a bateria a carregar. O i3s não vai tão longe, pode percorrer cerca de 270 km com uma só carga.

Mas o elétrico alemão tem 184 cv à disposição, mais 35 kW/48 cv que o compacto da francesa DS. Suplemento energético que, sem ser exagerado, explica pulo importante nas performances, com o i3s a destacar-se em todas as acelerações e retomas de velocidade no nosso protocolo de medições, e mais 10 km/h de velocidade máxima (limitada eletronicamente a 160 km/h). Para a celeridade de cada arranque contribuiu igualmente o binário máximo de 270 Nm (+20 Nm do que no carro francês) imediatamente disponível.

Há, contudo, um problema, que está diretamente relacionado com esta energia imensa, que se torna altamente viciante: resistir ao chamamento de automóvel que acelera disparado como uma bala aos comandos do pedal da direita, ainda para mais sem prejuízo do meio ambiente… Na verdade, são dois problemas. O i3s revela ainda algumas limitações em curva, sobretudo a velocidade mais elevada. Não que assuste, longe disso, mas não oferece aquele à-vontade que caracteriza habitualmente os BMW. Mesmo se, para melhor disfarçar centro de gravidade que é bastante elevado, nesta versão, suspensão rebaixada em 10 mm, com amortecedores e molas exclusivos, barras estabilizadoras mais rígidas e via traseira alargada em 40 mm, para mais estabilidade, segurança e boa agilidade, sobretudo em trajetos urbanos onde beneficia do ótimo diâmetro de viragem (9,8 metros).

O DS3 Crossback, não sendo elétrico de raiz, parece-nos claramente automóvel mais equilibrado entre aquilo que promete e o que efetivamente consegue oferecer. Excluindo a designação e-Tense na carroçaria, nada a distingue das demais propostas da gama. O que também significa mala maior e lotação para cinco ocupantes, quando o BMW tem habitáculo só para quatro. No DS até o comando da caixa de velocidades posicionado no prolongamento da consola central (onde há seletor para escolher os modos de condução) é igual às outras versões do 3 Crossback com caixa automática. E o mesmo no que toca à qualidade dos materiais utilizados, à qualidade de construção e ainda à ergonomia ou à facilidade de condução, sem truques. Exatamente como os primos com motor a combustão, o crossover elétrico da DS move-se com agilidade em percursos urbanos e mantém rolamento contido da carroçaria em curva, demonstrando ainda amortecimento competente, com mais conforto e uma capacidade para processar as irregularidades do piso que o elétrico da BMW não tem...

Mesmo se o conceito de veículo elétrico nem deveria estar focado em autonomia de larga escala, porque é no trânsito citadino e no uso quotidiano que a tecnologia faz mais sentido, ao percorrer 300 km com uma carga de bateria, o DS fica, obviamente, melhor na fotografia do que o BMW i3s (270 km), sobretudo num momento em que o abastecimento ainda é problemático. Depois, oferecendo maior lotação a bordo, bagageira bastante maior e compromisso mais equilibrado entre conforto de rolamento e eficácia do comportamento, o 3 Crossback E-Tense estreia-se a vencer em confrontos na AUTO FOCO. O preço inferior é empurrão decisivo para a vitória.

Ler Mais

Ficha Técnica

Características

BMW i3

s 120 AH Pack Comfort Adv

DS 3

CROSSBACK E-Tense Performance Line

Motor
Tipo Elétrico, síncrono Elétrico síncrono
Potência 184 cv 136 cv (100 kW)
Binário 270 Nm 250 Nm
Bateria Iões de lítio Iões de lítio
Capacidade útil 135 kWh 50 kWh
Tempo de carga (0-80%) 45 30 m (100 kW)
Transmissão
Tração Traseira Dianteira
Caixa de velocidades Automática, 1 velocidade Automática de 1 velocidade
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson Ind. McPherson
Suspensão T Ind. multibraços Eixo de torção c/barra Panhard
Travões F/T Discos ventilados Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/10,3 m Elétrica/10,7 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,006/1,791/1,590 m 4,118/1,791/1,534 m
Distância entre eixos 2,57 m 2,558 m
Mala 260-1100 litros 350 - 1050 litros
Depósito de combustível - -
Pneus F 5,5jx20 - 175/55 R20 215/60 R17
Pneus T 6jx20 - 195/50 R20 215/60 R17
Peso 1365 kg 1600 kg
Relação peso/potência 7,4 kg/cv 11,7 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 160 km/h 150 km/h
Acel. 0-100 km/h 6,9 s 8,7 s
Consumo médio 14,5 kWh/100 km kWh/100 km
Autonomia 278 320
Garantias/Manutenção
Mecânica 2 anos sem limite km 2 anos sem limite de km
Pintura/Corrosão - 8 anos
Bateria 8 anos ou 100.000 km -
Imposto de circulação (IUC) 0 € 0 €

Medições

BMW

Acelerações
0-50 km/h 2,8 s
0-100 / 130 km/h 6,8 s
0-400 / 0-1000 m 11,9 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 2,7 s
60-100 km/h (D) 3,2 s
80-120 km/h (D) 4,8 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37,7/9,8 m
Consumos
Consumo médio 14,5 kWh/100km
Autonomia 270 km

Medições

DS

Acelerações
0-50 km/h 3,2 s
0-100 / 130 km/h 8,6 s
0-400 / 0-1000 m 16,4/30,8 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 3,7 s
60-100 km/h (D) 4,5 s
80-120 km/h (D) 6,1 s
Travagem
100-0/50-0km/h 35,5/8,8 m
Consumos
Consumo médio 17 kWh/100km
Autonomia 280 km