Mercedes-Benz E 300 e vs BMW 530e iPerformance

Alta Voltagem

CONFRONTO

Por João da Silva 07-03-2020 16:45

Fotos: Gonçalo Martins

Tanto a BMW como a Mercedes têm vindo a fazer uma abordagem calma e progressiva à realidade dos automóveis elétricos, mantendo forte aposta nos motores a gasolina e a gasóleo, ignorando o alarmismo coletivo sobre o fim destas soluções (sobretudo no que toca aos motores Diesel), e apostando em propostas híbridas e híbridas plug-in mais racionais, como os dois bons exemplares que confrontámos: BMW 530e iPerformance e Mercedes-Benz E 300 e.

No primeiro, encontramos esquema híbrido que combina 4 cilindros a gasolina com 184 cv e unidade elétrica de 113 cv (252 cv e 420 Nm de binário no total) e que garante prestações muito interessantes, como pode comprovar através das medições que publicamos na ficha técnica. Sob o capot do BMW, há cérebro eletrónico, denominado eDrive, que gere (em conjunto com a transmissão automática Steptronic de 8 velocidades) a interação combinada entre os propulsores ou a intervenção separada de cada um deles, consoante as necessidades do momento de condução ou o desejo do condutor, que pode escolher entre moderar ou acelerar como se guiasse um verdadeiro desportivo. Sim, porque aceleração 0-100 km/h em 6,2 segundos não é cifra ao alcance de todas as berlinas desta envergadura. E este é um dos argumentos que merecem ser destacados no híbrido da BMW e que é também válido, e ainda com maior ênfase, para o Classe E 300 e.

O automóvel da marca de Estugarda cumpre o referido registo em 5,4 segundos, destacando-se ainda pelas recuperações muito rápidas, em que bate o rival de Munique de forma ainda mais evidente. Contudo, os registos conseguidos pelo Mercedes devem ser enquadrados com a explicação do esquema propulsor, muito mais potente e com binário muito superior. Vejamos: o sistema híbrido plug-in do Classe articula combina motor 2 litros a gasolina com 211 cv e 350 Nm e unidade elétrica de 90 kW, alimentada por bateria de iões de lítio, sendo o conjunto operado através da caixa de velocidades 9G-Tronic otimizada para funcionamento híbrido. No total, 320 cv e binário máximo de 700 Nm. A velocidade máxima do E 300 e está limitada a 250 km/h, sendo que a velocidade máxima no modo 100% elétrico é de 135 km/h; no BMW, velocidade máxima em modo híbrido é de 235 km/h, enquanto em regulação 100% elétrica é de 140 km/h.

Se a ideia dos utilizadores destes automóveis for manter os consumos em níveis baixos, aproveitando da melhor forma as vantagens da condução 100% elétrica, não são aconselhados ritmos próximos das velocidades máximas referidas, pelo menos durante longos períodos, pois se for o caso, a autonomia verde esfuma-se num instantinho. Contudo, se a bateria estiver totalmente carregada, e isto serve tanto para 530e como para E 300 e, e fizermos uma condução normal, sem grandes oscilações de velocidade ou acelerações bruscas, a autonomia elétrica em percurso misto (estrada, autoestrada e cidade) ronda os 30 km no BMW e os 35 km no Mercedes. Por outro lado, se utilizarmos a carga das baterias exclusivamente em cidade, alternando pára-arranca com andamentos lentos e médios, por exemplo, é possível fazer mais de 35 km elétricos no 530e e cerca de 45 km no E 300 e. Há quem diga que é muito pouco, que os veículos 100% elétricos fazem naturalmente mais... É verdade. Todavia, neste segmento de berlinas, EV só o Tesla Model S, mas custa quase mais 30 mil euros que quaisquer destes automóveis em análise, apesar de estar tão ou mais longe de ambos em qualidade, requinte, conforto ou dinâmica.

Regressando aos híbridos, realça-se que a função das unidades elétricas, no fim de contas, é ajudar o motor térmico nas prestações e nos consumos, e que as baterias (que são recarregáveis em fonte externa) vão recarregando com o andamento, o que permite baixar os consumos médios. Fizemos a experiência, partindo com ambos com a bateria a 100%. Guiando no mesmo percurso e, dentro do possível, ao mesmo ritmo, ficámos sem rede elétrica no BMW ao fim de 27 km, enquanto no Mercedes a fonte verde se esgotou aos 34. Prosseguindo até aos 100 km, apurámos consumo médio de 6,3 l/100 km no 530e e de 6,8 l/100 km no E 300 e. São valores muito aceitáveis tendo em conta potências e prestações.

Referimos brevemente a excelência destes automóveis em matéria de qualidade e requinte quando trouxemos o Tesla Model S à baila na comparação (incomparável, reforce-se) de autonomias elétricas, mas é agora altura de fazermos o elogio mais pormenorizado da excelência do trabalho das marcas premium alemãs nos habitáculos de Série 5 e Classe E. Num e noutro, desde o momento em que nos sentamos ao volante, a experiência de condução é de elevadíssimo nível. Não só pela posição em frente ao volante, como pela qualidade dos materiais e da construção de tudo o que nos rodeia. Os bancos são muito confortáveis e ergonómicos e todos os comandos relativos à condução e ao sistema de infoentretenimento estão bem posicionados e são fáceis de utilizar. Podemos achar que há demasiados comandos para as mesmas funções e que isso pode ser um pouco confuso, mas também é verdade que assim é provável que haja uma solução à medida de cada condutor. Há quem goste de usar os botões no volante, outros preferem tocar no ecrã, outros rodar o botão na consola... O certo é que, de uma forma ou de outra, as coisas funcionam e acabam por distrair menos do que ter uma autêntica televisão a ocupar toda a consola, como acontece no Tesla Model S... E já que recordamos o elétrico da marca norte-americana, façamos também o elogio aos elevados níveis de conforto proporcionados por Série 5 e Classe E, sendo que optámos por atribuir mais um ponto neste aspeto ao carro de Estugarda por nos parecer ligeiramente mais quieto em piso ruim.

Em contraponto, pontuámos com mais um ponto a favor do BMW na dinâmica, pois o carro bávaro é mais divertido de conduzir. A direção é direta e comunicativa e o chassis tem reações mais honestas que o do Mercedes, sendo mais fluido e leve nas transferências de peso em percursos sinuosos. O classe E posiciona-se de forma elegante em curva, adornando pouco e reagindo sem atraso importante aos movimentos da direção, mas não é tão sensitivo quanto o rival de Munique.

Tratando-se de confronto entre modelos da BMW e da Mercedes, dificilmente o resultado seria uma vitória desafogada. São dois automóveis de qualidade superior, servidos por bons sistemas híbridos plug-in, chassis competentes, habitáculos espaçosos e com qualidade muito acima da média. Analisando a tabela de pontuação, percebemos que o Classe E 300 e conquista vantagem decisiva nas prestações oferecidas pela tecnologia híbrida, bastante superiores às do BMW 530e, que, todavia, está longe de ser lento em aceleração ou nas retomas. Depois, aplauso para a muito boa autonomia elétrica real do Mercedes, com confiáveis 35 km.

Ler Mais

Ficha Técnica

Características

MERCEDES E

300 e

BMW Série 5

530e iPERFORMANCE

Motor térmico
Arquitetura 4 cilindros em linha 4 cilindros em linha
Capacidade 1991 cc 1998 cc
Alimentação Injeção direta, Turbo, Intercooler Injeção direta, Turbo, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16 v 2 a.c.c./16 v
Potência 211 cv/5500 rpm 184 cv/5000-6500 rpm
Binário 350 Nm/1200-4000 rpm 290 Nm/1350-4250 rpm
Motor elétrico
Tipo Elétrico, síncrono permanente Síncrono
Potência 90 kW (122 cv)/2500 rpm 83 kW
Binário 440 Nm/2500 rpm 250 Nm
Bateria - Baterias de iões de lítio
Capacidade da bateria 13,5 kWh -
Módulo Híbrido
Potência 320 cv 252 cv
Binário 700 Nm 420 Nm
Transmissão
Tração Traseira Traseira
Caixa de velocidades Automática de 9 velocidades Automática de 8 vel.
Chassis
Suspensão F Eixo multibraços Ind. c/ braços duplos
Suspensão T Eixo multibraços Eixo multibraços
Travões F/T Discos ventilados Discos ventilados
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11,6 m Elétrica/12,05
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,923/1,852/1,475 m 4,936/1,868/1,483 m
Distância entre eixos 2,939 m 2,975 m
Mala 370 litros 410 litros
Depósito de combustível 50 litros 46 litros
Pneus F 7,5jx17-225/55 R17 7,5jx17-225/55 R17
Pneus T 7,5jx17-225/55 R17 7,5jx17-225/55 R17
Peso 2005 kg 1845 kg
Relação peso/potência - 7,32 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 250 km/h 235 km/h
Acel. 0-100 km/h 5,7 s 6,2 s
Consumo médio 2 l/100 km 1,9 l/100 km
Emissões de CO2 41 g/km 37 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 2 anos sem limite de km 2 anos sem limite de km
Pintura/Corrosão 3/30 anos 3/12 anos anos
Intervalos entre revisões 30000 km 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 204,21 € 204,21 €

Medições

MERCEDES

Acelerações
0-50 km/h 1,9 s
0-100 / 130 km/h 5,4/20 s
0-400 / 0-1000 m 13,5/24,6 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 2,2 s
60-100 km/h (D) 2,7 s
80-120 km/h (D) 3,4 s
Travagem
100-0/50-0km/h 36,5/9,2 m
Consumos
Consumo médio 2,3 l/100km
Autonomia -

Medições

BMW

Acelerações
0-50 km/h 2,1 s
0-100 / 130 km/h 6,2 s
0-400 / 0-1000 m 14,9 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 3,1 s
60-100 km/h (D) 3,7 s
80-120 km/h (D) 4,3 s
Travagem
100-0/50-0km/h 35,4/8,8 m
Consumos
Consumo médio 2,4 l/100km
Autonomia -