Seat Tarraco 2.0 TDI DSG 4Drive vs Hyundai Santa Fe 2.2 CRDi 4x2

Grandes em tudo

CONFRONTO

Por João da Silva 08-02-2020 13:35

Fotos: Gonçalo Martins

Tratando-se de veículos eminentemente familiares, impõe-se análise inicial aos habitáculos, quaisquer deles com amplitude para receber quatro adultos altos em condições ótimas de conforto. Acrescentando mais uma pessoa à segunda fila de bancos, mantém-se o conforto das que viajam nos lugares laterais, mas a do meio ficará um pouco menos bem acomodado, pois esse lugar é mais elevado, mais estreito e muito menos envolvente em ambos os automóveis; ligeira vantagem merece, todavia, o Hyundai neste particular, pois não tem túnel da transmissão a perturbar a arrumação dos pés do passageiro. Aconselhamos que sejam pessoas de estatura mais baixa e com alguma agilidade a utilizar a 3.ª fila, pois os acessos, embora com amplitude razoável, obrigam a ligeira prática de contorcionismo.

Esmiucemos a habitabilidade: nos lugares dianteiros, o Hyundai destaca-se pela maior largura (150 cm contra 144 do Seat), enquanto na segunda fila de bancos o Tarraco oferece mais 1 cm no comprimento para pernas, vantagem irrisória, tal como é a diferença na largura de 2 cm a favor do Santa Fe; na altura, mais um centímetro em altura para o SUV coreano. Terceiras filas: no Hyundai, o espaço para pernas oscilar entre 60 e 77 cm, consoante a posição dos bancos da segunda fila, enquanto no Seat a variação é de 54-72. Diferença muito mais relevante encontramos na largura, com o Santa Fe a disponibilizar 137 cm utilizáveis face aos 122 do Tarraco; o espaço em altura é semelhante: 85 contra 83 cm, a favor do SUV coreano.

Nota final para os lugares mais recuados: embora o espaço ao nível dos ombros seja bom nos dois carros (apesar da desvantagem apurada pela fita métrica, o Seat oferece espaço razoável nesse particular), a posição muito baixa dos bancos (habitual nestas soluções de recurso), leva a que os ocupantes mais altos destes lugares fiquem com os joelhos quase ao nível do peito, o que não é confortável. O compromisso é, ainda assim, interessante.

Avancemos para as bagageiras, onde o Tarraco leva vantagem na configuração de cinco lugares, propondo 700 litros contra 547 do Hyundai Santa Fe. Vantagem do SUV espanhol nas demais arrumações, com 230 litros na versão de sete lugares (Hyundai, 130 litros) e 1775 litros na de dois (1625 litros no Santa Fe).

Tratando-se de versões topo-de-gama, os habitáculos revelam cuidados extra e importante acréscimo de equipamento. O Seat apresenta interior cuidado e sólido, alternando bons materiais, macios e agradáveis ao toque, com alguns plásticos menos bons. Contudo, o bom trabalho na junção dos painéis contribui para que o resultado final seja um espaço requintado e cuidado.

Por fim, elogio para a disposição dos elementos relativos à condução e para a posição correta do ecrã no topo da consola central, tal como sucede, aliás, no Santa Fe, cujo ecrã do sistema de infoentretenimento está colocado bem acima do tablier, o que facilita visualização e uso. Contudo, nunca é demais relembrar que estes dispositivos constituem sempre um foco de distração para quem conduz, sendo causa de inúmeros acidentes. Os estudos provam-no! O interior do SUV coreano destaca-se ainda pela boa qualidade dos materiais, com diversas superfícies forradas a pele ou almofadadas, o que lhe confere a aparência premium que o construtor asiático reivindicou para esta 4.ª geração. De resto, tudo muito sólido e prático.

O Seat Tarraco está equipado com motor 2 litros a gasóleo com 190 cv e 400 Nm, o qual é muito bem gerido pela competentíssima caixa automática DSG de 7 velocidades e dupla embraiagem, utilizável no modo 100% automático ou manual através do seletor na consola ou nas patilhas no volante. Particularmente bem sentados ao volante, desfrutamos de acelerações e retomas despachadas, bem como de interessantes níveis de conforto e dinâmica, com o Tarraco a não acusar em demasia o facto de estar calçado com jantes de 20’’, e revelando agilidade incomum para carro com esta envergadura. Mais: o sistema de tração integral é um acrescento importante em matéria de segurança, especialmente em pisos escorregadios.

O Santa Fe que testámos estava equipado com motor 2,2 litros Diesel com 200 cv e 436 Nm, e caixa automática de oito velocidades de dupla embraiagem que, tal como a DSG do Seat, também consegue fazer uma gestão criteriosa do motor, tornando a sua utilização bastante agradável, até porque os patamares de conforto são elevados. Menos capaz dinamicamente que o rival de ocasião, o Santa Fe revela, porém, evolução importante face à anterior geração, mostrando-se menos oscilante em curva, ainda que continue algo sensível a viragens mais bruscas, culpa da elevada altura ao solo.

SUV de sete lugares espaçosos e bem construídos, com bons motores a gasóleo, bons estradistas, mas com preços pouco convidativos e classificados como Classe 2 nas portagens (o Tarraco com tração dianteira paga Classe 1 com Via Verde, mas com tração integral é sempre Classe 2). As versões topo de gama de Santa Fe e Tarraco merecem ainda destaque pelos modernos equipamentos de conforto, entretenimento e segurança propostos de série, o que, naturalmente, acaba por elevar bastante os preços, tornando-os elegíveis apenas para famílias mais endinheiradas.

Ler Mais

Ficha Técnica

Características

HYUNDAI SANTA FÉ

2.2 CRDI 4x2

SEAT Tarraco

2.0 TDI DSG 4Drive

Motor
Arquitetura 4 cilindros em linha 4 cilindros em linha
Capacidade 2199 cc 1968 cc
Alimentação Inj. direta CR, TGV, intercooler Inj. dir. CR, TGV, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16v 2 a.c.c./16 v
Potência 200 cv/3800 rpm 190 cv/3500-4000 rpm
Binário 441 Nm/1750-2750 rpm 400 Nm/1750-3250 rpm
Transmissão
Tração Dianteira Integral permanente
Caixa de velocidades Manual de 6 velocidades Automática de 7 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson Ind. McPherson
Suspensão T Ind. Multibraços Ind. Multibraços
Travões F/T Discos ventilados/Discos Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11,8 m Elétrica/11,9 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,770/1,890/1,680 m 4,735/1,839/1,658 m
Distância entre eixos 2,765 m 2,787 m
Mala 130 - 547 - 1625 litros 230 - 700 - 1775 litros
Depósito de combustível 71 litros 60 litros
Pneus F 235/65 R17 235/50 R20
Pneus T 235/65 R17 235/50 R20
Peso 1875 kg 1845 kg
Relação peso/potência 9,3 kg/cv 9,7 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 203 km/h 213 km/h
Acel. 0-100 km/h 9,3 s 8 s
Consumo médio 6,6 l/100 km 7 l/100 km
Emissões de CO2 177 g/km 192 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 7 anos sem limite de km 4 anos ou 80.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 393,7 € 258,78 €

Medições

HYUNDAI

Acelerações
0-50 km/h 3,2 s
0-100 / 130 km/h 8,7 s
0-400 / 0-1000 m 16,3 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 3,8 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 4,4 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 5,9 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37,9/9,4 m
Consumos
Consumo médio 8,3 l/100km
Autonomia 855 km

Medições

SEAT

Acelerações
0-50 km/h 3,1 s
0-100 / 130 km/h 8,5 s
0-400 / 0-1000 m 16,2 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 3,9 s
60-100 km/h (D) 5,2 s
80-120 km/h (D) 6,4 s
Travagem
100-0/50-0km/h 36,3/9,5 m
Consumos
Consumo médio 8,2 l/100km
Autonomia 731 km