Hyundai Kauai 1.0 T-GDI Premium vs VW T-Cross 1.0 TSI Life

Sem frescuras

CONFRONTO

Por Vítor Mendes da Silva 13:30

Fotos: Gonçalo Martins

Técnica ou visualmente, o Polo pode considerar-se automóvel quase sem defeitos, mas também não está entre os compactos mais revolucionários e inspiradores da atualidade. Trata-se de modelo à medida de clientela que valoriza o preço, mas não abdica de qualidade e condução confortável e segura, mesmo sem grandes emoções… Ora, o recém-chegado T-Cross vem preencher, precisamente, toda essa franja mais emocional que resta no segmento B, com a imagem desempoeirada da moda e até alguns elementos de estilo inovadores na marca, mais e melhores soluções de modularidade no interior e aposta forte na personalização. Receita idêntica à utilizada pela Hyundai no desenvolvimento do Kauai, crossover que se diferencia de toda a concorrência direta logo pela imagem, arrojada, com as luzes diurnas e os piscas acima dos faróis principais e pintura a duas cores, preto para o teto e dez opções disponíveis para a carroçaria. E as fotos nem lhe fazem especial justiça. Ao vivo e a cores, bem mais impactante o SUV compacto que é nova cartada decisiva para fazer estragos na categoria da moda.

À medida da urbe

Compacto, à medida da sua vocação vincadamente urbana, o Kauai tem 4,1 metros em comprimento, mas o seu habitáculo parece de carro maior, com espaço abundante para acolher cinco ocupantes sem apertos. E o lado mais funcional do compacto modelo é ainda assegurado por compartimento de carga 361 litros, volumetria que praticamente triplica com o rebatimento dos encostos dos bancos posterior, movimento que pode ser efetuado de forma bipartida (40:60), originando plataforma de carga plana e desafogada.

Com os mesmíssimos 4,1 metros de comprimento, o T-Cross… faz melhor! O novo crossover da VW tem mais 5 cm que o Polo e não parece muito mais pequeno que um Golf ou um T-Roc, sendo, naturalmente, mais acanhado por dentro. Ainda assim, mais espaçoso que o rival coreano: por exemplo, na medição do espaço para pernas nos lugares posteriores do VW, 72 cm para o banco da frente, mais 8 cm do que no Hyundai… O T-Cross acrescenta mais-valia funcional: bancos posteriores que podem avançar ou recuar longitudinalmente sobre calhas com 15 cm, beneficiando-se o espaço para bagagens (fazendo oscilar a capacidade da mala entre os 385 e os 455 litros) ou o espaço para as pernas dos ocupantes atrás. Para ainda maior capacidade de carga, os encostos dos bancos traseiros rebatem na proporção 60:40, num único movimento. Depois, com a possibilidade de rebater-se também o encosto do banco do passageiro da frente (em opção), desenrasca-se também o transporte de volumes mais compridos, como uma prancha de surf.

Ao contrário do T-Cross (baseado na arquitetura técnica do Polo MQB A0), a base do Kauai é 100% nova, deriva do Elantra, oferecendo a possibilidade de admitir a adoção de sistemas de duas ou quatro rodas motrizes, que além de característica diferenciadora de boa parte dos concorrentes (Kia incluído), que têm só tração dianteira, também explica credenciais dinâmicas acima da média, com robustez assinalável para a categoria, que se nota na forma como pisa a estrada. Equilíbrio entre conforto e estabilidade muito convincente também foi um dos aspetos que mais nos impressionou ao volante do crossover alemão. Os acertos de molas e amortecedores não são demasiado firmes e não produzem desconforto à passagem por bandas sonoras ou lombas, mas nota-se que procuram outro desempenho em curva, com muito maior capacidade para conter os movimentos transversais da carroçaria do que seria de esperar num automóvel que apregoa alguma capacidade para fugir do asfalto e progredir por caminhos de terra. O VW não só se apresenta mais ágil como está dotado de direção que permite condução com mais ‘feeling’. O mecanismo do Hyundai deixou a sensação de ser sempre um pouco mais leve e dispersa na comunicação das rodas com o solo.

Num e noutro, painéis de bordo compostos por plásticos durinhos que são normativos na classe. O habitáculo do T-Cross bem mais animado, com mais cor no tablier, que pode incluir motivos em 3D, algo inédito em modelos da VW. De série, sistema Front Assist (sensores/ radar) com deteção de peões e travagem automática de urgência, além do aviso de mudança de faixa de rodagem e alerta do ângulo morto ditam vantagem alemã em matéria de segurança. Já os sensores de estacionamento e acesso mãos-livres são de série no Kauai e extras no VW.

‘Milinhos’ competentes

No VW, um pequeno grande 3 cilindros que é capaz de acelerações mais despachadas que o rival de ocasião. O 1.0 TSI com 115 cv é motor que entrega tudo desde as 1500 rpm até perto do red line e explorando-o corretamente exibe elasticidade e respostas prontas nos regimes baixos e médios que resulta em retomas de velocidade também mais convincentes. No estreante Kauai está um motor menos exuberante, também de 3 cilindros, e perfeitamente adaptado a utilização familiar a que se destina a automóvel com estas dimensões e peso. O 1.0 T-GDi, de que se extraem interessantes 120 cv, mas com binário máximo inferior, atrasa-se nas medições, compensando com funcionamento agradável, nada ruidoso quando se conduz de forma descontraída, e com desempenho exemplar em trajetos urbanos, beneficiando da da caixa manual de 6 velocidades com escalonamento certinho. Mas, atenção, é motor mais sensível à velocidade; acelerando-se o ritmo, o 3 cilindros a gasolina torna-se um pouco mais estridente e o consumo dispara.

Novidade recente no portefólio da VW, para posicionar imediatamente abaixo do T-Roc, o T-Cross destaca-se do rival de ocasião com par de caraterísticas que habitualmente não associamos à marca alemã: irreverência, com cockpit que consegue ser arrojado sem perder pitada da referencial noção de ergonomia, e uma relação ótima entre preço e equipamento, ao oferecer de série lista mais completa de itens de segurança. Habitáculo mais espaçoso e versátil, prestações mais convincentes e dinâmica mais envolvente são outros trunfos.

Ler Mais

Ficha Técnica

Características

HYUNDAI KAUAI

1.0 T-GDI PREMIUM

VOLKSWAGEN T-CROSS

1.0 TSI LIFE

Motor
Arquitetura 3 cilindros em linha 3 cilindros em linha
Capacidade 998 cc 999 cc
Alimentação Injeção direta, turbo Inj. direta, turbo, intercooler
Distribuição 2 a.c.c./12v 2 a.c.c./12v
Potência 120 cv/6000 rpm 115 cv/5500 rpm
Binário 172 Nm/1500-4000 rpm 200 Nm/2000-3500 rpm
Transmissão
Tração Dianteira Dianteira
Caixa de velocidades Manual de 6 velocidades Manual de 5 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Discos Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/10,6 m Elétrica/10,6 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,165 / 1,800 / 1,550 m 4,108/1,760/1,584 m
Distância entre eixos 2,6 m 2,551 m
Mala 361-1143 litros 385-455-1281 litros
Depósito de combustível 50 litros 40 litros
Pneus F 235/45 R18 6jx16-205/60 R16
Pneus T 235/45 R18 6jx16-205/60 R16
Peso 1308 kg 1245 kg
Relação peso/potência 10,9 kg/cv 13,1 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 181 km/h 193 km/h
Acel. 0-100 km/h 12 s 10,2 s
Consumo médio 5,6 l/100 km 5,9 l/100 km
Emissões de CO2 127 g/km 136 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 5 anos sem limite km 5 anos/100.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos 3/12 anos
Intervalos entre revisões 15000 km 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 137,26 € 137,26 €

Medições

HYUNDAI

Acelerações
0-50 km/h 3,3 s
0-100 / 130 km/h 10,1 s
0-400 / 0-1000 m 17,1/31,9 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 5,8 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 6,2/8/10,8 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 9/12,2/15,1 s
Travagem
100-0/50-0km/h 36,6/9,4 m
Consumos
Consumo médio 6,6 l/100km
Autonomia 757 km

Medições

VOLKSWAGEN

Acelerações
0-50 km/h 3,2 s
0-100 / 130 km/h 9,4 s
0-400 / 0-1000 m 16,7 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 5,5 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 6/7,5/10,8 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 8,7/10,4/15,1 s
Travagem
100-0/50-0km/h 39,9/9,6 m
Consumos
Consumo médio 6,6 l/100km
Autonomia 606 km