Ford Fiesta ST O volante tem ótima pega em pele perfurada e zona inferior recortada; painel de bordo pedia decoração com mais… ‘salero’ Ford Fiesta ST Ford tem programa específico para circuito Ford Fiesta ST Ford Fiesta ST No Fiesta, SYNC3 com ecrã tátil de 8” Caixa manual de 6 relações com escalonamento correto para usufruir de todas as potencialidades da ótima mecânica sobrealimentada Ford Fiesta ST Ford Fiesta ST Motor a gasolina de apenas 3 cilindros EcoBoost, turbo, de 1,5 litros, capaz de render os mesmos expressivos 200 cv da unidade VW no Polo Ford Fiesta ST Ford Fiesta ST Ford Fiesta ST Ford Fiesta ST Fiesta: bancos desportivos com ótimo apoio Ford Fiesta ST Ford Fiesta ST Ford Fiesta ST Fiesta ST é dos desportivos de segmento B mais divertidos que conduzimos, graças à afinação do chassis para tato preciso, deliciosamente ‘racing’, e um motor de 3 cilindros explosivo Ford Fiesta ST Ford Fiesta ST Ford Fiesta ST Ford Fiesta ST Ford Fiesta ST Ford Fiesta ST Ford Fiesta ST Ford Fiesta ST Ford Fiesta ST Utilitários (cada vez) mais rápidos! 200 cv são requisito mínimo de admissão a este clube Contas feitas, o mais potente Fiesta de sempre... convence! O atual Polo é exemplo do que melhor se faz entre os utilitários, com máxima atenção aos pormenores e ergonomia cuidada VW Polo GTI VW Polo GTI VW Polo GTI VW Polo GTI VW Polo GTI No Polo GTI, modos de condução de série VW Polo GTI Instrumentação digital em opção por 382 € Caixa automática de dupla embraiagem de seis velocidades com comando sequencial no seletor e em patilhas no volante VW Polo GTI Motor de quatro cilindros a gasolina 2.0 turbo é ‘emprestado’ pelo Golf e no Polo mais desportivo debita 200 cv e 320 Nm VW Polo GTI VW Polo GTI VW Polo GTI Polo: padrão axadrezado afeto à sigla GTI VW Polo GTI VW Polo GTI VW Polo GTI O desportivo da VW dispõe de motor 2.0 TSI, associado a comprovada caixa automática DSG. A dinâmica eficaz beneficia de sistema de bloqueio eletrónico do diferencial (XDS) VW Polo GTI VW Polo GTI VW Polo GTI VW Polo GTI

Ford Fiesta ST vs VW Polo GTI

Todos os dias são de festa!

CONFRONTO

Por Vítor Mendes da Silva 16-03-2019 09:00

Fotos: Gonçalo Martins

Um gozo, o comportamento, por vezes deliciosamente sobrevirador, deste Fiesta de 200 cv! E o motor 1.5, com 3 cilindros, capaz de render expressivos 200 cv/290 Nm, é uma surpresa tremenda: com o acelerador em baixo, não só ronca como os maiores, como faz disparar o compacto da oval azul para registos notáveis nas acelerações e nas retomas. É o primeiro desportivo com motor com esta arquitetura com tecnologia que desativa um dos 3 cilindros, se as necessidades de utilização/pressão no acelerador não obrigarem a uma entrega superior a 95 Nm – só não funciona em 1.ª velocidade. Mas quem diria!?

Ainda antes de se esmagar o pedal da direita para espicaçar convenientemente a mecânica, já se percebe que este Fiesta engrossa a voz, com forte rouquidão que emerge do escape (é trabalhado, mas nada artificial) e se torna mais dramático à medida que as rotações do motor sobem ou que a carga do acelerador aumenta, em nada fazendo crer que sob o capot trabalha pequenote 3 cilindros! Depois, além da entrega muito progressiva por parte do mil-e-quinhentos, é mecânica tão forte na resposta inicial e na disponibilidade de binário desde muito baixos regimes (cortesia da combinação turbo de baixa inércia e muito alta rotação), que parece mesmo existir lá à frente muito mais motor. Claro que é mais convincente a partir das 2000 rpm e até às 6000 rpm, mas desde que o regime se mantenha balizado entre as 1500 e 4500 rpm qualquer retoma de velocidade se realiza de forma expedita, sinal também de que o escalonamento da caixa serve os propósitos deste modelo, rapidíssima!

Do outro lado da barricada está um rival igualmente aguerrido: a atual geração do Polo GTI, com que a VW regressa a terreno que lhe é querido. E fá-lo em grande estilo, por exemplo, através de estreante adoção do bloco 2.0 TSI (herdado do Golf GTI) em derivação de 200 cv e 320 Nm, associado a caixa automática DSG de 6 velocidades – brevemente, também com transmissão manual. Para entender melhor o poderio desta mecânica não há melhor do que recorrer ao Launch-Control. Com o programa Sport ativado, basta teclar uma vez no botão do controlo de tração (Off, surge depois o modo ESC Sport se se pressionar durante mais tempo...), acelera-se para aumentar a rotação e só se larga o pedal do travão quando aparece no visor a tal indicação de que o sistema está ligado. Pé a fundo e o arranque é feito com violência, ultrapassando-se 100 km/h em apenas 6,6 segundos.

Interessa sublinhar que as trocas da caixa DSG, tanto mais se se tiver ativado o modo Sport, são sempre bastante rápidas (patilhas no volante e ação sequencial no seletor), embora a eletrónica possa hesitar nalguns momentos, como que fazendo uma espécie de compasso para decidir o que é melhor. Ainda assim, o TSI é sempre mais rápido do que o mil-e-quinhentos da Ford. E é quase irónico que um automóvel com estas credenciais seja, simultaneamente, tão fácil de guiar, amigável e bem-comportado. Tanto que em muitas ocasiões, e especialmente em modo condução faca na liga, parece que falta tempero à condução.

É produto mais apuradinho este Fiesta especial de corrida. Sem surpresa; se há marca que sabe que um pequeno desportivo vale pelo todo e não apenas pela velocidade que pode atingir em linha reta é a Ford. E, provando que este Fiesta ST consiste em bem mais do que o utilitário dotado com motor de ponta carregado de potência, estão as credenciais dinâmicas muito acima da média. Desde logo, porque os engenheiros da Ford conseguiram dar ao Fiesta ST uma afinação do chassis que confere tendência sobreviradora, pouco habitual em carros de tração dianteira, e que se expressa nalguma facilidade em soltar a traseira, seja porque entrámos depressa demais, seja por levantarmos o pé a meio da curva ou porque tivemos pressa em esmagar o pedal da direita antes de endireitarmos a direção. E se a marca da oval azul sabe como tornar uma direção rápida e precisa na resposta… A ideia que fica é a de que mesmo atirando à bruta o carro para dentro de uma curva fechada conseguimos de lá sair sem grandes malabarismos. É o efeito combinado de uma suspensão rebaixada, taragens (muito!) mais duras das molas e dos amortecedores e ferramentas como um eixo traseiro com nova tecnologia de molas, não uniformes e com vetorização de força. Entre os opcionais mais focados na dinâmica, a Ford propõe o Pack Performance constituído por autoblocante mecânico Quaife e também função Launch Control, que limita o regime do motor às 3000 rpm.

No interior, melhores também os bancos Recaro do Fiesta, que certificam que o condutor irá sentir-se bem amparado em estradas mais sinuosas e resolvidas em ritmos mais afoitos.

O compacto da VW é menos radical e, por isso, menos reativo, precisando de toque no travão (de desequilíbrio) à entrada das curvas para acordar o chassis e a frente fechar como no rival de ocasião. É o que tem o amortecimento mais macio. É o mais simples de conduzir (depressa), mas não será o mais divertido.

O Polo GTI está, de facto, mais próximo do irmão maior. Revela excelente tato de condução, eficácia e rapidez, cortesia de agregado mecânico excecional que combina motor de 2 litros com 200 cv e uma caixa DSG que faz tudo bem. E depois com o condão de acrescentar conforto e a versatilidade de um 5 portas. O Fiesta ST é mais old school e compensa com a melhor relação sensações/preço do mercado! A travagem é mais potente e a direção a mais pesada, com todo o conjunto a ganhar rapidez de reações já aproximada ao que se pode experimentar num carro de corridas. É um tração dianteira que pode ser guiado com o acelerador. Um gozo!

Ler Mais

Ficha Técnica

Características

FORD FIESTA

ST

VOLKSWAGEN POLO

GTI DSG

Motor
Arquitetura 3 cilindros em linha 4 cilindros em linha
Capacidade 1497 cc 1984 cc
Alimentação Inj. direta, turbo, intercooler Inj. direta, turbo, intercooler
Distribuição 2 a.c.c./12 v 2 a.c.c./16v
Potência 200 cv/6000 rpm 200 cv/4400-6000 rpm
Binário 290 Nm/1600-4000 rpm 320 Nm/1500-4350 rpm
Transmissão
Tração Dianteira Dianteira
Caixa de velocidades Manual de 6 velocidades Aut., dupla embraiagem, 6 vel.
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Discos Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem - Elétrica/10,6 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,068/1,735/1,469 m 4,067/1,751/1,438 m
Distância entre eixos 2,493 m 2,549 m
Mala 311-1093 litros 305 - 1079 litros
Depósito de combustível 42 litros 40 litros
Pneus F 7,5jx18 - 205/40 R18 7,5x18 - 215/40 R18
Pneus T 7,5jx18 - 205/40 R18 7,5x18 - 215/40 R18
Peso 1262 kg 1355 kg
Relação peso/potência 6,3 kg/cv 6,8 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 232 km/h 237 km/h
Acel. 0-100 km/h 6,5 s 6,7 s
Consumo médio 6 l/100 km 5,9 l/100 km
Emissões de CO2 136 g/km 134 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 2 anos sem limite km 5 anos ou 90.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 16163 € 204,21 €

Medições

FORD

Acelerações
0-50 km/h 2,9 s
0-100 / 130 km/h 7,1 s
0-400 / 0-1000 m 15,7 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 3,7 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 3,7/4,7/6,2 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 5/6,3/7,9 s
Travagem
100-0/50-0km/h 36,7/9 m
Consumos
Consumo médio 8 l/100km
Autonomia 525 km

Medições

VOLKSWAGEN

Acelerações
0-50 km/h 2,9 s
0-100 / 130 km/h 6,6 s
0-400 / 0-1000 m 14,8 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 3,5 s
60-100 km/h (D) 3,7 s
80-120 km/h (D) 4,2 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37,5/9,5 m
Consumos
Consumo médio 7,8 l/100km
Autonomia 513 km