Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI

Renault Mégane Grand Coupé TCe 130 vs Hyundai i30 Fastback 1.4 T-GDI

Mudam-se os tempos...

CONFRONTO

Por João ouro 19-01-2019 17:00

Fotos: Gonçalo Martins

As tendências são cíclicas e no mundo automóvel esse fenómeno acontece quase sempre quando é preciso estimular as vendas! Por vezes, a força do marketing é absurda, outras vezes não... Os antigos modelos de três volumes, geralmente de 4 portas, outrora com êxito, depois praticamente desaparecidos, chegam agora com outras designações mais ajustadas às circunstâncias atuais. E às modas! Assim, apesar de ter sido desenvolvido ao mesmo tempo que os outros modelos Mégane (5 portas e carrinha), a típica variante de 4 portas só agora é colocada no mercado nacional sob o nome Grand Coupé. A puxar para cima, tal como a etiqueta Fastback no caso da 3.ª geração do i30, embora esta obedeça a outra lógica, quase como se se tratasse de uma espécie alternativa mais desportiva, até pelo recurso à mecânica 1.4 T-GDI a gasolina de 140 cv.

De facto, o modelo adota a mesma plataforma do Ioniq, mantendo a largura e a distância entre eixos do hatchback (de 5 portas), embora tenha mais 11,5 cm no comprimento e menos 3 cm na altura.

Face ao irmão, a habitabilidade é praticamente idêntica, mesmo que nos lugares traseiros a altura até ao teto seja inferior, por causa do design do tejadilho nessa zona, num estilo coupé que é mais pronunciado do que no caso do adversário da Renault. Neste último, aliás, o desenho até ao terceiro pilar é igual ao das variantes de 5 portas e Sport Tourer (carrinha), respeitando todo o ar de família, mesmo que o comprimento registe mais 36,7 cm do que o 5 portas e a distância entre eixos (4,3 cm adicionais) seja comum à da carrinha. Familiar!

Com a fita métrica é possível verificar que as dimensões a bordo não diferem assim tanto e nalguns locais são terrivelmente... iguais, como por exemplo na largura à frente ao nível dos ombros, mesmo que o Renault usufrua depois de mais espaço na altura até ao teto, e em especial atrás, aí com 5 cm adicionais. Ainda nos lugares à retaguarda, na distância para as pernas dos ocupantes, entre bancos, o i30 é superior, tendo aí mais 4 cm.

Contudo, esse conforto é depois esbatido devido ao curto apoio dos assentos em profundidade, inclusive nas zonas laterais. O túnel central não é nada exagerado ou intrusivo, mas a posição para as pernas é mais elevada do que no caso do adversário. Em ambos, o forro dos bancos é em pele e tecido e a aparência dos materiais é muito boa (versão Style no i30 e Executive no Mégane), sem falhas ao nível das montagens. O equipamento de série é ainda mais extenso no Renault, o qual propõe elementos que não estão sequer previstos neste i30, como o alerta de ângulo morto, iluminação diferenciada consoante o modo de condução ou o head-up display.

O conforto da condução é parecido, mas há, novamente, ligeiras vantagens por parte do Mégane tricorpo, quer pelo equipamento dedicado à segurança ativa (mais vasto...), quer pela apreciação dinâmica propriamente dita. Não é tão seco e firme nos pisos irregulares (pneus Continental Conti Sport Contact5 contra Michelin Pilot Sport4, ambos 225/40 com jantes em liga leve de 18’’) e o temperamento em estrada também pode ser adulterado de forma mais convicta através do programa MultiSense e dos modos ECO, Comfort, Sport, Neutral e Perso. Esses ajustes são ainda mais progressivos (afetando o esforço da direção e a resposta do motor) do que no modelo da Hyundai, já que este dispõe apenas das configurações ECO e Sport, e neste caso porque integra transmissão automática de dupla embraiagem (DCT, 7 relações), cuja ação sequencial pode ser operada por patilhas no volante.

A resposta da referida caixa DCT até corre melhor no tal acerto Sport, aí mais imediata nas passagens, à atitude lenta (e por vezes hesitante) no resto das situações, embora sem prejuízo ao nível das prestações aferidas. Não é de estranhar que o propulsor 1.4 T-GDI atinja acelerações e retomas de velocidade acima das do 1.2 TCe da Renault, este com menos potência (10 cv) e binário inferior, embora a substituição por motor 1.4 de origem Mercedes-Benz até já esteja em curso (1332 cc de 140 cv).

Nesse contexto, o i30 regista sempre medições mais favoráveis e avança com outra determinação (os pesos estruturais e os índices aerodinâmicos equivalem- se), mesmo que a génese do propulsor (injeção direta, turbo) permita obter resposta mais efetiva nos regimes intermédios e em alta, tal como no TCe do Mégane, este com a vantagem de atingir consumos mais regrados (caixa manual oblige, esta com atuação precisa e mais longa em 5.ª e 6.ª). O intervalo mais frequente coloca-se entre 6,6 e 7,2 litros por cada 100 km, embora seja possível baixar até cerca de 6 l/100 km em modo ECO pausado. Pior cenário por parte do 1.4 T-GDI, cujas médias reais determinam valores a partir de 7,6 e 7,9 100/km, algo que se agrava no tráfego urbano intenso, sendo possível chegar bem próximo dos 10 l/100 km.

Regressando à dinâmica, importa destacar as assistências eletrónicas incluí das, tanto num caso como noutro, desde avisos de pré-colisão e de aproximação, alertas de transposição de faixas de rodagem (2 níveis no Hyundai) e travagens de emergência ativas, por exemplo, tendo o Mégane mais dispositivos.

A atitude do Renault é consistente e forte na ligação à estrada, até porque a direção é mais precisa do que a do i30, esta mais lenta a reagir e com mais peso no modo Sport. Em qualquer dos casos, o que contará é a matriz familiar espelhada numa estética diferenciada que pelos vistos resiste aos tempos...

Ler Mais

Ficha Técnica

Características

HYUNDAI I30

FASTBACK 1.4 T-GDI

RENAULT MÉGANE

GRAND COUPÉ TCE 130

Motor
Arquitetura 4 cilindros em linha 4 cilindros em linha
Capacidade 1353 cc 1198 cc
Alimentação Inj. direta, Turbo, Intercooler Inj. direta, Turbo, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16v 2 a.c.c./16v
Potência 140 cv/6000 rpm 130 cv/5500 rpm
Binário 242 Nm/1500 rpm 205 Nm/2000 rpm
Transmissão
Tração Dianteira Dianteira
Caixa de velocidades Automática, DCT, 7 velocidades Manual de 6 vel.
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson Ind. McPherson
Suspensão T Eixo Multilink Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Discos Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/10,6 m Elétrica/11,3 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,455/1,795/1,425 m 4,632/1,814/1,443 m
Distância entre eixos 2,65 m 2,711 m
Mala 450-1351 litros 503 - 987 litros
Depósito de combustível 50 litros 50 litros
Pneus F 7,5jx18 - 225/40 ZR18 7,5jx18 - 225/40 R18
Pneus T 7,5jx18 - 225/40 ZR18 7,5jx18 - 225/40 R18
Peso 1362 kg 1368 kg
Relação peso/potência 9,72 kg/cv 10,52 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 203 km/h 200 km/h
Acel. 0-100 km/h 9,5 s 10,6 s
Consumo médio 5,6 l/100 km 5,3 l/100 km
Emissões de CO2 129 g/km 119 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 5 anos sem limite km 5 anos ou 100.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 168,98 € 101,49 €

Medições

HYUNDAI

Acelerações
0-50 km/h 3,6 s
0-100 / 130 km/h 9,6 s
0-400 / 0-1000 m 17,7 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 4,4 s
60-100 km/h (D) 6,9 s
80-120 km/h (D) 7,8 s
Travagem
100-0/50-0km/h 35,6/9,5 m
Consumos
Consumo médio 7,6 l/100km
Autonomia 657 km

Medições

RENAULT

Acelerações
0-50 km/h 4 s
0-100 / 130 km/h 10,9 s
0-400 / 0-1000 m 17,6 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 6,2 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 7,6/11,5 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 11,8/15,1 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37,3/9,2 m
Consumos
Consumo médio 6,8 l/100km
Autonomia 730 km