Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Chassis, mecânica e suspensões iguais às das do 3008, num SUV que tem maior dimensão e peso. Não adorna muito em curva e é eficaz. Mesmo com jantes de 18’’ não há reações ‘duras’ O sistema Advance Grip Control é capaz de garantir melhor tração em pisos de lama, areia e neve através dalguns ajustes eletrónicos Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Interior ‘premium’ da versão GT Line é visível em vários detalhes e aplicações, tendo volante de formato desportivo forrado a pele Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Acesso à 3.ª fila é apertado, mas aí o espaço é melhor do que no Renault na distância para as pernas, tendo largura e altura mais exíguas Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Peugeot 5008 1.5 BlueHDI ‘Pack’ elétrico (5008) para os bancos da frente custa 1300 €, incluindo massagens Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Peugeot 5008 1.5 BlueHDI Qual é o SUV, qual é o monovolume? Tal como a estética, há conceitos que às vezes até enganam... Na dinâmica, é ponto assente que o 5008 exibe alguns trunfos acima do Renault, inclusive a curvar Renault Grand Scénic Hybrid Há um certo efeito de travão-motor devido à tecnologia híbrida (recuperação de energia), mas as prestações estão num bom plano. Conforto também é elevado, até porque as jantes são de 20’’ Renault Grand Scénic Hybrid Renault Grand Scénic Hybrid Renault Grand Scénic Hybrid Renault Grand Scénic Hybrid Versão Intens está bem equipada. Ao centro, ecrã tátil (R-Link 2) opera várias funções, selecionando-se aí os modos de condução No visor frontal é possível ler a assistência dada pela ‘força’ elétrica, num gráfico vertical (com setas) à esquerda e com pétalas a medir a eficiência Renault Grand Scénic Hybrid Renault Grand Scénic Hybrid Renault Grand Scénic Hybrid Renault Grand Scénic Hybrid Renault Grand Scénic Hybrid Bancos em pele e tecido (série) com ajustes manuais no do condutor Renault Grand Scénic Hybrid O espaço é mais apertado, mas há rebatimento elétrico a partir da mala. O banco lateral da 2.ª fila eleva-se e desliza para facilitar o acesso Renault Grand Scénic Hybrid Renault Grand Scénic Hybrid Renault Grand Scénic Hybrid Renault Grand Scénic Hybrid Renault Grand Scénic Hybrid

Peugeot 5008 1.5 BlueHDI vs Renault Grand Scénic Hybrid

Duelo de conceitos, e de motorizações

CONFRONTO

Por João Ouro 05-09-2018 14:35

Fotos: Gonçalo Martins

A dúvida faz parte da construção e do caminho até a uma eventual certeza! Trata-se de condição necessária para atingir esse objetivo, embora o itinerário possa ter várias etapas. Como em tudo.

No caso dos motores Diesel, as polémicas em vigor têm tido o efeito de lançar outro género de respostas, cujo âmbito é mais consensual no que se refere às respetivas emissões dalguns gases, nomeadamente do CO2 e do conhecido NOx (óxidos de azoto) que esteve na base do famigerado Dieselgate.

Não há soluções unâmines, mas aos poucos os construtores lideram a atual fase de conversão a limites ambientais cada vez mais exigentes. E é também por aí que se poderão comparar estes novos automóveis das marcas francesas Peugeot e Renault, modelos familiares acima de tudo (7 lugares), mas sobretudo mais ecológicos e de baixo consumo.

Nesse domínio a discussão está num plano avançado, tendo em conta que o 5008 dispõe agora doutra mecânica BlueHDI a gasóleo de 1.5 litros (em vez da anterior 1.6) que foi desenvolvida a 100% pelo grupo PSA e que adota cerca de 200 novas patentes. Entre as inovações inclui-se outro sistema de tratamento de gases com catalisador seletivo de 2.ª geração e filtro de partículas, ambos mais eficazes e próximos do motor. Dessa maneira já é possível cumprir a norma Euro 6.2d, sem exceder no dia-a-dia 2,1 vezes os valores medidos em banco de ensaio. Melhor assim!

No caso do Scénic a solução é outra, graças à estreia de tecnologia híbrida associada a bloco Diesel dCi de 110 cv, que consiste na aplicação de um pequeno motor/gerador elétrico (10 kW/13,6 cv) alimentado por bateria de iões de lítio (48 volts) instalada sob o piso traseiro. Esta é capaz de armazenar energia (nas travagens e desacelerações) para enviá-la posteriormente ao bloco dCi, permitindo atingir maior binário (15 Nm extra, até 275 Nm) e melhor rendimento. Há ainda outra bateria secundária de 12V destinada a fazer funcionar luzes, climatização e demais equipamentos. Não há modo estritamente elétrico ou possibilidade de recarga externa, mas a Renault diz que a redução nos consumos e nas emissões atinge 10% à versão normal, além da melhoria ao nível das prestações.

Na prática isso acontece, uma vez que a força elétrica pressente-se na condução em vários momentos, inclusive nas acelerações inusitadas, permitindo que, apesar do elevado peso, este Grand Scénic seja despachado q.b., sem qualquer dificuldade de progressão. Mas a apreciação dinâmica é reiterada por um juízo vulgar: equilibrada, estável, mas pouco entusiasta, mesmo se se ativar o modo Sport para outro tipo de frenesim. E há ainda que contar com o efeito de travão-motor ligado à fase de regeneração, embora o conjunto híbrido atue de forma impercetível, bastando segui-lo no visor ao lado do velocímetro, na barra gráfica. O start-stop é discreto (ligado à natureza híbrida) e as últimas relações da caixa manual são longas (5.ª e 6.ª), pelo que o consumo agradece. A média mais frequente coloca-se em 5,5 l/100 km, o que num automóvel deste género é surpreendente. E essa é uma certeza... óbvia! Em tudo o resto, este Grand Scénic Hybrid Assist é igual a um Grand Scénic normal (espaçoso, modular e familiar), tendo a vantagem de ter o preço mais acessível da gama, a par da garantia de 5 anos ou 100.000 km.

No 5008, por sua vez, as garantias são doutra ordem: melhor qualidade ao nível da condução (direção, chassis e suspensões), além de prestações/recuperações acima das do adversário (ver ficha), algo que a maior potência da mecânica Diesel poderá explicar (20 cv acima da do bloco Renault), assim como o binário elevado de 300 Nm. A acústica Diesel foi atenuada e o start-stop não é brusco, como é comum nos modelos do grupo PSA, ao mesmo tempo que a caixa manual de 6 relações foi otimizada. Tudo melhor, mais suave!

A resposta do bloco BlueHDi é mais forte do que a do dCi, existindo também o modo Sport para desempenho e atitude desportiva, embora sem exagero. Mesmo que não haja grande rapidez a curvar, o Peugeot é mais eficaz a desenvencilhar-se nessas situações e o tato da direção é outro. Melhor, sem dúvida!

Outra certeza é dada pela eficácia do Advanced Grip Control (300 €), algo que é útil perante condições adversas.

Por fim, como não bela sem senão, o modelo Peugeot atinge consumo médio acima do oponente da Renault, mesmo que o valor não seja totalmente descarado: 6,2 l/100 km a ritmo cauteloso, embora seja (muito) fácil projetá-lo para patamar perto dos 7 l/100 km. É fazer contas! O esforço inicial é maior e a garantia vulgar (2 anos), embora a versão GT Line possua mais equipamentos (de série) e melhor imagem. Certo! Ponto final na discussão a favor do... 5008.

Ler Mais

Ficha Técnica

Características

PEUGEOT 5008

1.5 BLUEHDI GT LINE

RENAULT SCÉNIC

GRAND SCÉNIC HYBRID ASSIST INTENS

Motor
Arquitetura 4 cilindros em linha 4 cilindros em linha
Capacidade 1499 cc 1462 cc
Alimentação Injeção direta CR, TGV, Intercooler Injeção direta CR, TGV, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16v 1 a.c.c./8v
Potência 130 cv/3750 rpm 110 cv/4000 rpm
Binário 300 Nm/1750 rpm 260 Nm/1750 rpm
Transmissão
Tração Dianteira Dianteira
Caixa de velocidades Manual de 6 velocidades Manual de 6 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Discos Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11,2 m Elétrica/11,4 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,641/1,844/1,651 m 4,634/1,866/1,655 m
Distância entre eixos 2,84 m 2,804 m
Mala 702 - 1862 litros 189 - 533 litros
Depósito de combustível 56 litros 53 litros
Pneus F 8jx18 - 225/55 R18 195/55 R20
Pneus T 8jx18 - 225/55 R18 195/55 R20
Peso 1505 kg 1540 kg
Relação peso/potência 11,6 kg/cv 14 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 191 km/h 181 km/h
Acel. 0-100 km/h 12,7 s 13,7 s
Consumo médio 4,2 l/100 km 3,6 l/100 km
Emissões de CO2 109 g/km 94 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 2 anos sem limite de km 5 anos ou 100000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 145,05 € 145,05 €

Medições

PEUGEOT

Acelerações
0-50 km/h 3,2 s
0-100 / 130 km/h 10,3 s
0-400 / 0-1000 m 17,2 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 5,7 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 7,6/11 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 11,2/14,4 s
Travagem
100-0/50-0km/h 35,2/8,9 m
Consumos
Consumo médio 6,2 l/100km
Autonomia 903 km

Medições

RENAULT

Acelerações
0-50 km/h 3,8 s
0-100 / 130 km/h 11,4 s
0-400 / 0-1000 m 17,9 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 5,6 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 8,2/11,5 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 12,5/14,7 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37,9/9,3 m
Consumos
Consumo médio 5,5 l/100km
Autonomia 963 km